A falta do 9.

É evidente que falta muita coisa para este time do Fluminense, dentre elas, um camisa 9.

Aqui, não especificamente sobre um jogador, mas qualquer um que desempenhe tal função com êxito.

O Fluminense já teve bons ataques, o que não ocorre hoje em dia. Apesar de rápido, nosso sistema ofensivo tende a ser ineficiente.
Para um time que já teve: Dodô, Leandro Amaral, Rafael Moura, Rafael Sóbis, Maicon, Wellington Nem e Fred, nem todos sendo centroavantes de ofício, mas exímios goleadores, tem sido difícil engolir o atual ataque.

Em outras áreas, o Fluminense não é excepcional, mas, na frente, a coisa realmente está feia.

Wellington veio e deu uma qualidade grande ao time, mas fica evidente que não tem para quem tocar a última bola.

Richarlison ainda não mostrou a que veio, apesar de “liso” e mostrar um potencial, deve sair da “promessa” e passar a ser o “valeu a pena”.

Marco Junio tem oscilado demais em todos os jogos, mas tem estrela e, quando está inspirado, pode desequilibrar.

Ceifador, desde que chegou, não ceifou nada.

Magno Alves tende a ser o melhor em campo quando entra, apesar do condicionamento reduzido devido à idade, talvez pudesse ser testado como titular.

Tivemos uma grande chance a mais de Libertadores com o advento do G-6. Esperamos que algo mude e passemos a nos tornar mais agressivos e perigosos ao gol do adversário. Não só falta um 9, falta um time, mas, olhando para trás, que falta faz um 9!

E você, caro companheiro de paixão, o que pensa?!

Saudações Tricolores,

Marcelo Sampaio.

 

foto: globoesporte.com