Em jogo nervoso, Flu supera Criciúma e se classifica na Copa do Brasil

Foto: Hector Werlang
Foto: Hector Werlang

Na volta ao estádio Giulite Coutinho, o Fluminense venceu o Criciúma por 3×2 e classificou-se para a próxima fase da Copa do Brasil. Em jogo nervoso e aberto, a equipe repetiu o placar da primeira rodada da Primeira Liga e superou o adversário catarinense. Os gols foram marcados por Douglas, Henrique Dourado e Sornoza.

O time comandado por Abel Braga começou a partida com duas surpresas na escalação: Renato no lugar de Lucas, que sentiu desconforto muscular na última partida e foi poupado, e a volta do goleiro Diego Cavalieri à equipe titular. Apesar das mudanças, o desempenho inicial da equipe não foi diferente do apresentado nesta temporada, com o foco no ataque e utilizando a marcação alta.

Os 20 primeiros minutos foram marcados por pressão do time da casa, não demorando para surtir efeito. Aos 14, Léo fez boa jogada pela esquerda e passou para Douglas, livre na entrada da área. O volante chutou com categoria e colocou a bola no canto direito do goleiro. Mesmo com a vantagem do empate e começando a partida ganhando, o time não parou. Pouco tempo depois, em erro na saída de bola do Criciúma, Richarlison roubou a bola da zaga e foi derrubado. Pênalti, cobrado de forma perfeita por Henrique Dourado, ampliando para 2×0.

Após construir boa vantagem, os guerreiros passaram a administrar a partida, dando mais chances ao Criciúma. Os comandados de Deivid começaram a criar chances, levando perigo à meta tricolor. Chegando aos 30 minutos de jogo, Raphael Silva cruzou da direita e a zaga do Flu não conseguiu cortar, sobrando para o zagueiro Diego Giaretta abrir o placar para os visitantes. Os catarinenses aproveitaram o momento da própria equipe e da defesa do adversário e atacaram mais. Se o gol de mão de Barreto não tivesse sido anulado pelo árbitro Leandro Vuaden, teriam empatado na primeira etapa (resultado que classificaria a equipe). O restante da primeira etapa foi marcado pela pressão do time visitante.

A única mudança do Fluminense para o segundo tempo foi a substituição de Douglas, sentindo desconforto muscular, para a entrada de Wendel. A atitude das equipes permanecia igual ao término da primeira etapa, exigindo a atuação de Cavalieri. O goleiro foi providencial para salvar o tricolor em algumas oportunidades.

Abelão resolveu mudar mais uma vez, tirando o Ceifador e colocando Marcos Jr para jogo. A reação do Fluminense só chegou aos 16 minutos, logo depois da substituição, com outra bela jogada de Léo. O lateral-esquerdo deu assistência para Sornoza, que bateu forte e marcou o terceiro gol em Mesquita.

Com o placar em 3×1 e o Tigre buscando o empate, o jogo ficou aberto. O fim da batalha ficou marcado por muitas oportunidades perdidas de ambos os lados. Aos 42, em bagunça generalizada da defesa tricolor (mais uma), Sylvinho descontou, fazendo a equipe partir pra cima com todas as armas. As ações não surtiram efeito e o Fluminense venceu por 3×2.

Com a vaga na quarta fase garantida, a equipe aguarda pelo sorteio (que acontece nessa sexta-feira, às 14h30), podendo enfrentar qualquer time. Disputando a Taça Rio simultaneamente, os guerreiros voltam ao Giulite Coutinho no domingo para a partida contra o Nova Iguaçu. O Flu não deverá contar com Lucas e Douglas, ambos sentindo desconforto muscular, e quw serão reavaliados. O elenco se reapresenta no CT Pedro Antônio, amanhã, às 16h.

Saudações Tricolores,
Rômulo Morse