Telefonema de Mattos, briga de empresários e conversa com Abel: Bastidores do caso Richarlison

Proposta, enviada na terça-feira, tirou o sono de Richarlison

Na tarde desta sexta-feira, pós-aprovação das contas de 2016, um outro assuntou causou polêmica e agitou as Laranjeiras. Às vésperas do duelo com o Fluminense, a ser disputado em São Paulo, o Palmeiras apresentou à diretoria tricolor uma proposta de 11 milhões de euros (R$ 40 milhões) por Richarlison. A tendência era de que a oferta fosse analisada, e um encontro entre os dirigentes dos clubes aconteceria sábado à noite, após a partida. Mas o tema ganhou grandes proporções, tornando-se um problema.

Em entrevista a canal de TV, mandatário tricolor revela detalhes da recusa do atleta em viajar com a delegação

Uma atitude inesperada tomada pelo atacante surpreendeu a todos, inclusive ao presidente. Em entrevista à ESPN Brasil, Pedro Abad revelou o pedido do camisa 70 de não ser relacionado para o jogo, válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Devido ao entendimento de que é cedo para ir para a Europa, Richarlison, de 20 anos, acredita que uma transferência para o Alviverde poderia valorizá-lo e, ao mesmo tempo, ser benéfica para o Tricolor.

– Recebi alguns representantes que fizeram uma proposta pelo Richarlison pelo Palmeiras, e eu havia combinado que daria uma resposta final no sábado, depois do jogo. Hoje (sexta-feira) de manhã fui surpreendido com esse absurdo do Richarlison não querer ir para o jogo. Ele é muito jovem, tenho certeza de que escutou alguma coisa que não gostou. Ele é de grupo, se empenha demais e tem uma boa cabeça, mas sem dúvida nenhuma foi influenciado por alguém – disse Abad ao programa Bate-Bola, da ESPN Brasil.

Richarlison desabafou com Abel Braga

Ao chegar para o último treino antes da viagem da delegação, o jogador resolveu esclarecer a Abel Braga o que estava acontecendo, após passar uma noite praticamente em claro. Um suposto telefonema de Alexandre Mattos, responsável por dar detalhes da oferta palmeirense, teria seduzido Richarlison.

Richarlison expôs o ocorrido a Abel Braga, antes de atividade no CT. (Foto: Lucas Merçon)

Decisão do atacante foi influenciada por empresário

Um dos empresários envolvidos na tratativa, Renato Velasco afirmou, em telefonema a Alexandre Torres, integrante da cúpula de futebol tricolor, ter aconselhado Richarlison a ficar no Rio. E explicou o motivo.

– Eu fiz esse pedido ao clube e dei esse conselho ao Richarlison, de ser sincero com o Abel. Se o Fluminense perde ou ele não joga bem, cairia na conta dele. O Richarlison não se sente pronto para ir para a Europa nesse momento. Na cabeça dele, se desenhou uma situação perfeita: o clube levava um bom dinheiro, ele jogaria uma Libertadores em um outro grande clube e ganharia tempo antes de ir para o futebol europeu. Que jogador não quer jogar uma Libertadores? Agora, se o Fluminense não vê com bons olhos, nós vamos sentar, conversar, e ele fica.

Briga pela representação do jogador vem à tona 

No final de 2015, o Flu desembolsou cerca de R$ 10 milhões para adquirir 50% dos direitos de Richarlison. O negócio com o América-MG teve ajuda financeira de Giuliano Bertolucci. A agremiação mineira manteve 30% do atleta. A sobra pertence à empresa de Luciano Martins, quem participa da vida da jovem promessa desde a época no Coelho. Antes sócio, Renato brigou com Martins e, depois, a parceria foi encerrada. Logo, iniciada a disputa pela representação.

– Eu sou o representante legal do Richarlison. Renato não o é. Como mora no Rio, ficou mais próximo do jogador e fez a cabeça dele. Eu gosto muito do Richarlison e tenho certeza de que a situação será resolvida. O que não pode é ele sair prejudicado e tampouco o Fluminense – afirmou Luciano, que alegou ter contrato com o jogador até 2020.

Luciano, residindo em São Paulo, fez um adendo no contrato, no qual colocava Bertolucci como um dos agentes de Richarlison. Entretanto, Velasco garante que o vínculo venceu, o que deixaria o caminho livre para a formação de um novo.

– Não existe vínculo com o Luciano. Eu tenho uma parceria com o Bertolucci, registrada na CBF, e tomo conta da carreira do Richarlison. Passados dois anos, que era a duração do contrato com o Luciano, um antigo parceiro, o Richarlison veio trabalhar comigo. Isso é normal no futebol – destacou Renato.

Atacante lida, ainda, com briga de seus agentes. (Foto: Divulgação)

Fluminense deve a antigo parceiro, que curiosamente é um dos empresários do camisa 70

Giuliano Bertolucci é velho conhecido do Tricolor. Tem direito a receber uma quantia das transações de Kenedy e Gérson – total é de aproximadamente R$ 6 milhões. O lucro com a venda de Richarlison poderia quitar a pendência. O empresário optou por manter o silêncio, porém, conforme apurou o Globoesporte.com, sequer pressionou o clube carioca para acertar a transferência. Ele apenas levou a proposta do Palmeiras à mesa dos cartolas do Flu.

Caso será tratado internamente pela diretoria, que descarta negociação com o Palmeiras

As tratativas com o Alviverde foram finalizadas, pelo menos segundo Pedro Abad, que assegura não haver uma ‘conflito’ entre os clubes. A conversa com Mattos foi totalmente profissional. A polêmica será resolvida internamente. O único prejuízo, até agora, é a ausência do destaque do time na partida de mais tarde, às 16h.

– O relacionamento do Richarlison com o clube continua o mesmo. Vai ser tratado internamente, vamos conversar com o atleta. O garoto vai ficar no Rio de Janeiro, vai se cuidar, espairecer a cabeça. A partir de domingo, começamos a tratar. Queria fazer um pedido para o torcedor tricolor para não hostilizar o Richarlison, não ataquem o atleta. Ele é um jogador extremamente profissional, treina mais do que é exigido, em campo se mata pelo clube, honra nossa camisa.

Com contrato até 2020, o atacante, cuja multa rescisão é de R$ 50 milhões, fez cinco jogos pelo Fluminense neste Brasileirão. Caso atue em mais dois, estará impossibilitado de vestir a camisa de outra equipe brasileira.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Nicholas Rodrigues

Jovem estudante, colunista do FluNews, tricolor fanático e amante do jornalismo, profissão que quer seguir. (Twitter: _NickNeves / Instagram: _nickneves)