Abel Braga critica a arbitragem do Fla-Flu e exalta jogadores: “É um time de amor e de luta”

O empate entre Fluminense e Flamengo neste domingo, no Maracanã, foi polêmico. No primeiro gol do rival, Éverton, autor do cruzamento para a área, estava impedido no momento em que recebeu passe de Willian Arão. Porém, o árbitro validou o lance. Abel Braga, durante a entrevista coletiva, questionou a arbitragem, mas fez questão de exaltar o elenco.

– Fica um gosto amargo. Mas é um empate por vários fatores. Fair play ficou longe. Richarlison levou seis pontos na cabeça no vestiário. Árbitro deveria ter deixado voltar. Richarlison ia disputar a bola ali. Estava muito bom com o primeiro árbitro. Ele deveria ter dado amarelo no lance do pênalti. Estava impedido no primeiro gol. E o presidente do Flamengo reclamou dos acréscimos. No jogo de quarta-feira, eu tive um gol corretamente anulado por impedimento. Enfim. Foi aquilo de sempre. Os jogadores mostraram que não é um time sem vergonha. É um time de amor e de luta. De amor à camisa. De repente, à noite, vou tomar um vinho estragado. De raiva – brincou.

No empate rubro-negro, com gol marcado por Miguel Trauco, Richarlison estava fora de campo sendo atendido por conta de um sangramento na cabeça; logo, o Tricolor estava com um a menos. A demora do árbitro em autorizar a volta do atacante ao campo irritou Abel.

– Quando o Richarlison caiu, não teve flair play. Quando ele colocou a touca, o árbitro não deixou ele voltar. E saiu o gol. Não sei se tem a ver, mas no momento do gol eu estava com um a menos – frisou.

Na reta final da partida, Darío Conca entrou no lugar de Cuéllar. Muito vaiado, o argentino parece ter ficado incomodado e cometeu falta duríssima em Orejuela. Como punição, apenas o cartão amarelo. Para o treinador do Flu, ficou barato.

Richarlison teve de colocar uma toca de natação devido ao sangramento. (Foto: Mailson Santana)

– A gente não tem sido feliz com as contusões. Não tem problema de músculo. É sempre trauma. Não justificava. Um ex-colega. Não sei se o Conca perdeu a cabeça com a vaia que aconteceu. Poderia ter sido expulso – opinou.

O clássico marcou, além do reencontro entre Fluminense e Conca, a estreia como profissional do lateral-esquerdo Matheus Mascarenhas. O jogador, substituído na etapa final, teve boa atuação e foi elogiado por Abel Braga, com quem teve uma conversa ‘reveladora’ antes do duelo.

– Eu disse a ele: “Já marcou o Vinicius Junior?”. Ele: “Já, professor”. Perguntei como? Ele disse que perdemos na Gávea de 4 a 0. Falei: “f****”. Mas ele entrou e fez um bom jogo. Não é só colocar o garoto. Tem de fazer uma análise real de quem sai e por qual motivo ele sai. Tive de tirar o peso do Léo. No primeiro lance dele com o Grêmio, ele foi vaiado. O menino foi bem. Entrou preparado. Muita personalidade. É claro que o mental neste tipo de jogo ocasiona o desgaste – avaliou o comandante.

Confira outros trechos da coletiva de Abel Braga:

Orejuela e o resultado com o Flamengo

Ele levou uma falta no meio do campo. E não teve amarelo. Mas não quero mais comentar. Está complicada a arbitragem. Tudo está muito complicado no país. Hoje tivemos uma barbárie em Curitiba. É deprimente. O jogo de repente foi um reflexo. Enfim. Empatamos com um grande time, com grandes jogadores. Tiveram domínio, mas não chances. Saio bem chateado com o empate.

Vaias

Torcedor é soberano. Se ele vaia o adversário, está nos ajudando. Na semana passada, chamou o time de ser vergonha. Não é. Minha equipe luta da maneira que pode. Ninguém chegou ao vestiário sem ter dado o máximo. Nós temos coragem. É um grupo de coragem.

Pouco público no clássico

Vocês vivem muito de números. A imprensa, no caso. Vocês deveriam perceber que quando tem feriado na quinta ou na sexta… e tem jogo do Fluminense depois, não vai ninguém. Os caras têm dinheiro e viagem.

Gol do Flamengo no fim

Foram quatro pernas. E a bola quicou. Esse foi o implante de grama que fizeram no Maracanã

 Falta de jogadores experientes

Mas eu ponho para jogar. A minha conduta é essa. E eu não vou mudar. Não vou falar mal. Não vou justificar nada. O presidente é uma pessoa correta e também não fala nada que não pode. Ele era o presidente do Conselho Fiscal e pode falar. Não sei se, com jogadores cascudos, a gente não sofreria o gol.

Saudações Tricolores,Nicholas Rodrigues.

Nicholas Rodrigues

Jovem estudante, colunista do FluNews, tricolor fanático e amante do jornalismo, profissão que quer seguir. (Twitter: _NickNeves / Instagram: _nickneves)