fbpx

Atletas e funcionários do Flu são vacinados em ação da prefeitura no CTPA

Por Rômulo Morse


Além da paralisação dos jogadores no treinamento desta terça, outra novidade aconteceu no CT Pedro Antônio. Uma ação de vacinação da prefeitura do Rio de Janeiro foi promovida antes do protesto. Foram aplicadas doses da tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) para atletas e funcionários. Vale lembrar que o clube registrou só em 2019 três casos de caxumba.  O zagueiro Frazan, o lateral-esquerdo Mascarenhas e o volante Caio foram diagnosticados com a doença.

Allan fala sobre parceria com Ganso e experiência fora do país

Por Rômulo Morse


Apresentado nesta terça como reforço do Fluminense, o volante Allan participou de entrevista coletiva e falou sobre diversos assuntos. Além de especificar sua posição em campo e abordar o período que ficou fora do Brasil, ele falou sobre a parceira com Paulo Henrique Ganso.

Veja também: Fluminense apresenta o volante Allan, novo reforço tricolor

“É um grande jogador, um cara experiente, do bem, que sempre ajuda os mais novos e vai ser muito bom ter ele no dia a dia, nos ajudando nos jogos. Sempre bom ter alguém assim no elenco, acho que ele veio para somar e independente de nome, de status, somos um grupo e vai ser o maior prazer poder atuar ao lado dele.”

O jogador de 21 anos pertence ao Liverpool, da Inglaterra, e assinou vínculo de seis meses por empréstimo, podendo ser renovado pelo mesmo período. Ele está há três anos e meio fora do Brasil, sem nunca ter atuado no país. Com isso, diz que “foi uma experiência boa, não só em termos de futebol, mas como pessoa. Por ter que me virar na adaptação, língua…” e definiu sua posição:

“Sou um jogador de meio-campo, atuo como primeiro e segundo volante sem problemas. Sou um jogador que se doa muito para a equipe, tento ajudar da melhor forma. Posso atuar em outras posições, se precisar.”

Celso Barros se pronuncia sobre paralisação no treino desta terça

Por Rômulo Morse


Candidato à presidência do Fluminense nas eleições de 2016 e ex-presidente da Unimed, Celso Barros se pronunciou nas redes sociais em relação ao protesto do elenco nesta terça. Ele falou sobre a situação política da instituição e solicitou a antecipação de um novo pleito.

Leia também: Dirigente diz não ter prazo para regularizar pendências financeiras

“Os jogadores do Fluminense fizeram hoje uma paralisação em razão de uma série de compromissos financeiros não cumpridos pela atual gestão do clube. Por esta razão no final de janeiro os sócios foram às urnas convocadas pelo próprio presidente e decidiram por ampla maioria pela antecipação das eleições . Pedro Abad, convoque logo as eleições. ST.”

Com folha salarial na casa dos R$ 4 milhões, o clube pagou no último dia 13 de fevereiro o que devia em relação a dezembro de 2018. Porém, ainda há pendências de três fatores: CLT (13º salário e férias referentes a 2018 e janeiro referente a 2019), direitos de imagem (novembro e dezembro de 2018 e janeiro de 2019) e a premiação do Brasileirão do ano passado e da primeira fase da Copa do Brasil.

Presidente do TJD-RJ crê em chance “remotíssima” de exclusão do Carioca

Por Rômulo Morse


O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), Marcelo Jucá, crê que a chance do Fluminense de ser excluído do Campeonato Carioca é “remotíssima”. O motivo seria o clube ter entrado com uma ação na Justiça Comum, porém, Jucá fala que “seria necessário dolo específico de se atingir a competição, o que não parece ter ocorrido”.

O tricolor agiu dessa forma visando obter uma liminar para fazer valer o contrato com o Consórcio Maracanã e o direito de se posicionar no setor sul do estádio. Por conta disso, a Procuradoria do Rio de Janeiro (TJD-RJ) denunciou o clube na última segunda, tendo a possibilidade de ser excluído do estadual. No final do mesmo dia, Marcelo Jucá, que também preside a Comissão de Direito Desportivo da OAB-RJ, negou por meio de liminar a suspensão preventiva. O caso irá a julgamento.

Até a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), que mostrou descontentamento com a atitude do presidente Pedro Abad, também não gostou da possibilidade de exclusão do clube da sua competição.  Segundo fontes escutadas pelo portal Globoesporte.com, a denúncia foi vista como um “exagero”.

Jucá foi perguntado nesta terça sobre a atuação do tribunal desportivo em casos dessa espécie. O presidente do TJD-RJ disse que a medida adotada pelo Fluminense, de acionar a Justiça Comum, normalmente é feita por clubes de menor expressão e comentou a situação.

“Na qualidade de pesquisador, com tese de Mestrado tratando justamente sobre a Justiça Desportiva, posso afirmar que foram poucos os casos de julgamentos no artigo 231 do CBJD e que na maioria das vezes são clubes de porte menor que utilizam desse expediente com o objetivo de tumultuar um campeonato. Falando apenas em tese sobre o caso específico, entendo que o Fluminense optou por defender um direito legítimo garantido em contrato e que este é conflitante com o regulamento da competição. A questão é contratual com reflexos desportivos diretos e dai, o grande desafio sobre a competência. Em uma hipótese como essa a chance de exclusão do torneio é remotíssima, pois seria necessário dolo específico de se atingir a competição, o que não parece ter ocorrido”.


Fonte: Globoesporte.com

Fluminense apresenta o volante Allan, novo reforço tricolor

Por Rômulo Morse


O novo reforço para o meio-campo tricolor foi apresentado nesta terça. Trata-se do volante Allan, de 21 anos. O jogador, que pertence ao Liverpool, da Inglaterra, assinou vínculo de seis meses por empréstimo, podendo ser renovado pelo mesmo período. Em coletiva, ele citou uma das razões para acertar com o clube: o técnico Fernando Diniz.

– É um dos fatores que me fez vir para o Fluminense, trabalhar com ele, pelas características e a forma de jogo. Espero que ele possa me ajudar muito. Todos sabem da forma que ele gosta de jogar, gosta de ficar com a posse. Isso é o futebol, o futebol bonito. Todos comprando a ideia, vai dar coisa boa.

Dirigente diz não ter prazo para regularizar pendências financeiras

Por Rômulo Morse


Após a paralisação desta terça em protesto pelo atraso no salário do elenco, o diretor executivo de futebol, Paulo Angioni, afirmou em coletiva que não há prazo para resolver a situação. Ainda de acordo com ele, o time treinará normalmente nesta quarta.

Leia também: Elenco não treina em protesto por atraso de salários

“Ainda não temos essa solução e estamos buscando. A ação dos jogadores foi apenas hoje, não quer dizer que não vão treinar mais. Amanhã, estão aqui normalmente. A gente fica triste, mas compreende em função do que temos de pendência com eles. Não fizemos promessa. Se não temos certeza que podemos realizar, não podemos fazer. Eu não fiz, pelo menos.”

Angioni também falou que foi comunicado da decisão e que a mesma foi tomada pelo grupo como um todo. Com a situação, os jogadores realizaram apenas atividades na academia.

“É a posição do grupo. Não é de uma pessoa, uma liderança ou duas. Eles fizeram o que é feito normalmente antes do treinamento. O que não aconteceu foi a ida ao campo. Apenas me comunicaram. Acompanho o dia a dia e sei das pendências. Imagino que o embasamento deles é naquilo que é devido. Eles tentam encontrar uma solução e querem que a direção entenda que precisa solucionar a situação.”

Com folha salarial na casa dos R$ 4 milhões, o clube pagou no último dia 13 de fevereiro o que devia em relação a dezembro de 2018. Porém, ainda há pendências de três fatores: CLT (13º salário e férias referentes a 2018 e janeiro referente a 2019), direitos de imagem (novembro e dezembro de 2018 e janeiro de 2019) e a premiação do Brasileirão do ano passado e da primeira fase da Copa do Brasil.

“Não houve pedido de prazo, foi apenas uma forma de manifestar a insatisfação com o que está acontecendo. Foi muito bem ordenado e educado. Há um mix de situações. Os jogadores que chegaram agora só têm o mês de janeiro. Os que estão desde o ano passado ainda têm 13º e direitos de imagem atrasados. No momento em que você faz um movimento desses, é porque há uma unidade. Se fosse desordenado, um ou outro vazaria. Foi uma decisão que eles tomaram em conjunto.”, completou o dirigente.

Elenco não treina em protesto por atraso de salários

Por Rômulo Morse


O tricolor teve um dia fora dos padrões nesta terça-feira. Por conta do atraso nos salários, os atletas do elenco fizeram uma paralisação e se recusaram a treinar. Com isso, o diretor executivo de futebol, Paulo Angioni, falou sobre o caso em entrevista coletiva e confirmou a situação.

– Tivemos uma situação desagradável e não houve treinamento por insatisfação dos jogadores por algumas situações que não foram cumpridas. A gente compreende, entende, e por isso não houve a realização do treino. O Fluminense tem uma pendência com 13º, salário de janeiro e duas premiações, a mais recente é a Copa do Brasil. Além de algumas imagens – falou o dirigente.

Fonte: Globoesporte.com

Seleção Brasileira de base convoca atletas e profissional do Fluminense

Por Rômulo Morse


Seguindo a tradição de Xerém, quatro jovens das categorias de base do Fluminense foram convocados para representar a Seleção Brasileira. O goleiro Marcelo, o meia Miguel Silveira, e os atacantes Matheus Martins e Kayky se apresentarão para o time Sub-17 que irá disputar o Sul-Americano da categoria e para o Torneio de Desenvolvimento da UEFA Sub-16. O preparador físico Igor Cotrim também foi lembrado e estará na equipe.

Diretor esportivo da base tricolor, Marcelo Teixeira se mostrou satisfeito com o que vem sendo realizado na área e comemorou:

– Muito feliz em ver o resultado do nosso trabalho também sendo reconhecido pela nossa Seleção. Temos o objetivo de formar cada vez mais meninos com nível para jogar as competições internacionais, para poderem chegar ainda mais preparados na equipe principal do Fluminense. Outra felicidade é ver nosso preparador físico sendo lembrado pela CBF. Mostra que estamos no caminho certo e cumprindo as nossas metas de capacitar cada vez mais os profissionais de Xerém.

O goleiro Marcelo e o meia Miguel Silveira estão na lista do técnico da Seleção Sub-17, Guilherme Dalla Déa, que chamou 26 jogadores para um período de treinos na Granja Comary, em Teresópolis. A atividade visa preparar para o Sul-Americano que será disputado no Peru. O técnico ainda fará três cortes.

Pela equipe Sub-16, o comandante Dudu Patettuci chamou os atacantes Kayky e Matheus Martins. Eles vão disputar o Torneio de Desenvolvimento da UEFA, realizado na Inglaterra em formato de quadrangular. Igor Cotrim, preparador físico do time Sub-17 do Fluminense, também estará na delegação.

Árbitro de Flu e Vasco relata xingamento de Airton na súmula

Por Rômulo Morse


Árbitro da final da Taça Guanabara, na qual o Vasco venceu o Fluminense por 1 a 0, Bruno Arleu Araújo relatou na súmula xingamentos do volante Airton. Por conta da reclamação, já nos últimos instantes da partida no Maracanã, o atleta foi expulso.

– Expulsei com cartão vermelho direto o atleta Airton (…) por haver proferido as seguintes palavras em minha direção: “Você é um m…, você conseguiu o que queria”. – descreveu o árbitro.

Outro que recebeu a punição foi o atacante Luciano. Após consultar o VAR (árbitro de vídeo), utilizado pela primeira vez no Campeonato Carioca, o juiz viu um empurrão do jogador depois que uma confusão foi armada por conta da falta de Andrey em Calazans, já nos acréscimos. Bruno Arleu foi notificado, consultou o lance e puniu o camisa 18 tricolor. O volante vascaíno ficou com o cartão amarelo.

Estreia de Ganso é confirmada para essa sexta, contra o Bangu

Por Rômulo Morse


A espera acabou. O Fluminense anunciou que Paulo Henrique Ganso, o novo camisa 10, vai fazer sua estreia com a camisa tricolor contra o Bangu, nesta sexta, às 21h, no Maracanã, pela primeira rodada da Taça Rio. Também foi divulgado o esquema para a venda de ingressos.

A comercialização dos bilhetes terá início nessa terça-feira (19). Pela internet, começará às 10h, por meio do site www.futebolcard.com, enquanto os pontos físicos ficarão disponíveis às 13h. Em acordo com o adversário, que será o mandante do duelo, os sócio-torcedores do tricolor terão os mesmo descontos de uma partida em casa. Os preços variam de R$ 15,00 a R$ 40,00.

Confira abaixo todas as informações:

VALOR DOS INGRESSOS:

Setores Sul e Leste Inferior (Gratuidades apenas no setor Leste Inferior)
100% de desconto – Pacotes Futebol e Check-Ins 2019 e Tricolor de Coração
R$ 15 – 62,5% de desconto – Sócio Futebol, Eterno Amor, Construa o CT e Pacote Jogos
R$ 30 – 25% de desconto – Guerreiro
R$ 40 – Demais torcedores (R$ 20 meia-entrada)

PONTOS DE VENDA E TROCA DE INGRESSOS (SOMENTE DINHEIRO):

Laranjeiras: Sede do Fluminense (Rua Álvaro Chaves, 41)
Dia 19/02, das 13h às 20h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 20h

Maracanã: Bilheteria 1 (Avenida Maracanã, S/N)
Dia 19/02, das 13h às 17h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 17h

Jacarepaguá: Loja Torcedor Carioca: (Estrada do Gabinal, 313, Lj 116/117, Galeria A)
Dia 19/02, das 13h às 17h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 17h

Del Castilho: Loja Oficial Fluminense FC – Shopping Nova América (Avenida Pastor Martin Luther King Jr, 126, 1° piso)
Dia 19/02, das 13h às 22h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 22h

Niterói: Clube Canto do Rio (Avenida Visconde do Rio Branco, 701, Centro)
Dia 19/02, das 13h às 17h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 17h

Araruama: Loja Fanáticos : Av. Brasil, 10 – Loja 112 – Araruama
Dia 19/02 das 13h às 17h
Dias 20 e 21/02 Horário 10:00 às 17:00hs (apenas venda, sem troca)

VENDAS NO DIA DA PARTIDA (SOMENTE DINHEIRO): 

Laranjeiras – Sede do Fluminense
Das 10h às 14h

Maracanã – Bilheteria 1
Das 10h até o término do 1º tempo

VENDAS PARA TORCIDA DO BANGU:

Bangu: Estádio Moça Bonita (Rua Sul América, 950)
Dia 19/02, das 13h às 17h
Dias 20 e 21/02, das 10h às 17h

Maracanã: Bilheteria do Acesso E
Dia 22/02, das 19h ao fim do primeiro tempo

CHECK-IN PARA SÓCIO-TORCEDORES:

Pacotes Futebol, Check-Ins 2019, Tricolor de Coração, Sócio Futebol, Eterno Amor, Construa o CT, Pacote Jogos e Guerreiro:

Do dia 19/02, terça-feira, às 10h, até o dia 21/02, quinta-feira, às 23h50.

Os sócios também podem adquirir seus ingressos com o desconto do plano nos pontos de venda, na Sede do Fluminense e no Maracanã.


Fonte: Globoesporte.com

Flu e Vasco lucram R$ 109 mil cada com renda da final da Taça Guanabara

Por Rômulo Morse


Em meio a confusão no duelo entre Vasco e Fluminense, no domingo, pela final da Taça Guanabara, os clubes tiveram lucro. A final no Maracanã rendeu R$ 109.013,75 para cada equipe. Com 29.002 torcedores presentes, as equipes ficaram com apenas 20% do valor total arrecadado de R$ 1.129.912,00.

Segundo o borderô do jogo, publicado no site da Ferj, o clássico teve despesa de R$ 911.884,49, sendo sua maior parte referente ao aluguel do estádio, custando R$ 470 mil. Já a federação conseguiu ficar com quantia considerável, tendo apenas R$ 7 mil a menos que os times. A taxa da entidade, que custou nessa ocasião R$ 102.181,60, é cobrada em partidas de teor decisivo ou em duelos que envolvam os quatro grandes.

Confira abaixo o documento:

 

Liminar de suspensão preventiva a Pedro Abad e ao Fluminense é negada

Por Rômulo Morse


O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Marcelo Jucá, negou nesta segunda a liminar para suspender de forma preventiva o Fluminense do Campeonato Carioca e o mandatário tricolor, Pedro Abad. O pedido foi feito por André Valentim, procurador-geral do TJD-RJ.

A decisão, provisória, ainda pode render a exclusão da instituição do torneio e será julgada por uma comissão disciplinar do tribunal em questão. Após tal julgamento, há duas instâncias restantes (o Pleno do TJD-RJ e, na sequência, o Pleno do do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD) até a decisão definitiva.

A denúncia  é referente às polêmicas do duelo contra o Vasco, pela final da Taça Guanabara. O clube foi denunciado nos artigos 231 e 258-D do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O primeiro pode terminar com a exclusão do Flu do estadual e recebimento de multa entre R$ 100,00 e R$ 100 mil, relacionado a infração de acionar o Judiciário sem que esferas desportivas tenham se esgotado:

“Pleitear, antes de esgotadas todas as instâncias da Justiça Desportiva, matéria referente à disciplina e competições perante o Poder Judiciário, ou beneficiar-se de medidas obtidas pelos mesmos meios por terceiro”.

Já o artigo 258-D está ligado ao ato de conduta contrária à ética desportiva, que poderia render multa no valor de R$ 10 mil.

O mandatário tricolor, Pedro Abad, também foi enquadrado em dois artigos do mesmo código. Ele foi denunciado no artigo 243-D, que aborda “incitar publicamente o ódio ou a violência” (por conta da coletiva no último sábado, quando convocou o torcedor para “guerrear”).  A pena cabível é suspensão de 360 a 720 dia, além de punição financeira, entre R$ 100,00 e R$ 100 mil.

O segundo (artigo 258) aborda “conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva”. A penalidade seria em forma de afastamento de 15 a 180 dias.

Fluminense emite nota sobre decisão dos portões fechados na final da Taça Guanabara

Por Rômulo Morse


O Fluminense emitiu na madrugada desse domingo uma nota oficial referente a decisão de ter portões fechados contra o Vasco, no Maracanã, às 17h do mesmo dia,  pela final da Taça Guanabara. No texto, o clube informou que por conta da desobediência do contrato com o consórcio e da liminar, que garantia o setor sul ao tricolor, fez o requerimento para tal buscando a segurança dos torcedores.

Ainda segundo o comunicado, publicado no site do clube,  o time das Laranjeiras também fala que busca “a preservação do seu direito”. Na mesma madrugada, a desembargadora de plantão, Lucia Helena do Passo, determinou que o jogo não tivesse torcida e que tivesse  a devolução do dinheiro para aqueles que já compraram seus ingressos.

Confira, na íntegra, a nota oficial:

O Fluminense FC comunica que, diante do descumprimento do contrato e decisões judiciais por parte do Maracanã e Vasco da Gama, como medida extrema e buscando a segurança de todos os torcedores e a preservação do seu direito, requereu, entre outros pedidos, que a final se desse com portões fechados. A desembargadora acolheu o pedido do Fluminense, negando a tentativa do Vasco de se esquivar da decisão judicial que impedia o acesso de sua torcida ao setor Sul do Maracanã.

Enquanto o Clube aguardava a decisão da desembargadora de plantão – proferida apenas nesta madrugada, postergamos tanto quanto possível a venda de ingressos nas Laranjeiras.

Por esse motivo, mantida essa decisão, não abriremos a venda de ingressos neste domingo nas Laranjeiras.

Lamentamos muito que a festa das torcidas não aconteça na partida de logo mais, mas estamos certos que a torcida tricolor apoia e está ao lado do Fluminense nesse imbróglio.

Portões fechados na final da Taça Guanabara foi decretado por motivos de segurança

Por Rômulo Morse


A Justiça decretou que o clássico entre Vasco e Fluminense, neste domingo, às 17h, válido pela final da Taça Guanabara, no Maracanã, seja sem torcida, com os portões fechados. A decisão, emitida pela desembargadora de plantão, Lucia Helena do Passo, que também determinou a devolução do dinheiro para aqueles que já compraram seus ingressos, teve como justificativa a segurança dos torcedores.

Tal ação foi tomada após o time Cruz-Maltino entrar com um agravo de instrumento durante o plantão judiciário visando derrubar uma liminar conquistada pelo Fluminense. A mesma reconhecia o tricolor tendo direito ao setor sul do estádio, o que é previsto em contrato do time das Laranjeiras com o Complexo Maracanã, assinado em 2013.

Lucia Helena do Passo considerou que, pelo acordo firmado, as partes deveriam se entender com o Fluminense em relação a utilização do setor em disputa, algo que não aconteceu. A desembargadora também ressaltou a possibilidade de episódios de violência entre as torcidas e criticou o comportamento dos dirigentes.

Segundo ela, as atitudes e falas de Alexandre Campello, presidente do Vasco, e Pedro Abad, mandatário do Fluminense, “acirram o conflito posto e, agressivamente, incitam a violência entre os torcedores”. Dessa forma, por motivos de segurança, optou pela determinação dos portões fechados.

Confira abaixo o documento na íntegra: 

Desembargadora determina final da Taça Guanabara sem torcida

Por Rômulo Morse


Nova reviravolta na tumultuada final da Taça Guanabara. A Justiça decretou que o clássico entre Vasco e Fluminense, neste domingo, às 17h, no Maracanã, seja sem torcida, com os portões fechados. A decisão, emitida pela desembargadora de plantão, Lucia Helena do Passo, também determinou a devolução do dinheiro para aqueles que já compraram seus ingressos.

Mais informações em breve.

Flu anuncia ponto de venda nas Laranjeiras para duelo contra o Vasco

Por Rômulo Morse


O Fluminense anunciou em sua conta no Twitter que terá uma carga limitada de ingressos disponíveis à venda nas Laranjeiras para o duelo contra o Vasco, pela final da Taça Guanabara. O jogo está marcado para esse domingo, às 17h, no Maracanã.

A medida, solicitada por torcedores e sócios nas redes sociais, foi acatada pelo clube. O horário de funcionamento do novo ponto de venda será das 10h às 13h. Além disso, o tricolor também pode garantir seu lugar no próprio estádio da partida. A Bilheteria 1 estará disponível das 10h às 17h45, enquanto a Bilheteria 4 ficará aberta das 13h às 17h45.

Confira todas as informações sobre a venda de ingressos para a partida abaixo:

PONTOS DE VENDA: 

FLUMINENSE:

Laranjeiras – das 10h às 13h
Bilheteria 01 do Maracanã – das 10h às 17h45
Bilheteria 04 do Maracanã – das 13h às 17h45

VASCO:

As vendas para o setor sul seguem suspensas. O Vasco aguarda uma autorização da Justiça para retomar a comercialização.

Bilheteria de São Januário, das 10h às 13h – apenas sócios do Vasco
Mega Loja de São Januário – apenas sócios do Vasco
Bilheteria 02 do Maracanã – das 13h às 17h45
Bilheteria 03 do Maracanã – 10h às 17h45

VALORES DOS INGRESSOS:

FLUMINENSE:

  • SETOR NORTE

Sócio: R$ 30,00
Inteira: R$ 60,00
Meia: R$ 30,00

  • SETOR LESTE INFERIOR OU SUPERIOR (SETOR MISTO)

Sócio: R$ 40,00
Inteira: R$ 80,00
Meia: R$ 40,00

  • MARACANÃ MAIS (SETOR MISTO)

Inteira: R$ 250,00
Meia: R$ 125,00

VASCO: 

  • SETOR SUL

Inteira – R$ 60
Meia – R$ 30
Estatutário: R$ 30,00
Cadeirão: R$ 18,00
Caldeirão Mais: check-in
Colina: R$ 18,00
Colina Mais: check-in
De Norte a Sul: R$ 30,00

  • SETOR LESTE INFERIOR OU SUPERIOR (SETOR MISTO)

Inteira – R$ 80
Meia – R$ 40
Estatutário: R$ 40,00
Cadeirão: R$ 80,00
Caldeirão Mais: 80,00
Colina: R$ 24,00
Colina Mais: check-in
De Norte a Sul: R$ 40,00

  • MARACANÃ MAIS (SETOR MISTO)

Inteira: R$ 250,00
Meia: R$ 125,00

Flu fecha patrocínio para a final da Taça Guanabara

Por Rômulo Morse


O Fluminense fechou um patrocínio pontual com a Estácio para a decisão da Taça Guanabara, contra o Vasco da Gama. Marcado para às 17h, no Maracanã, o tricolor entrará em campo com a marca do grupo da área da educação estampada abaixo do nome dos atletas.

Publicando a parceria no site oficial do clube, o diretor de Marketing do tricolor, Lawrance Magrath, falou sobre o acordo.

– O Fluminense acertou uma parceria pontual aproveitando este jogo de grande visibilidade. A Estácio é uma grande instituição e tem uma capilaridade importante no Brasil. Somos do Rio de Janeiro mas temos muitos torcedores espalhados pelo Brasil, muitos deles impactados pela Estácio.

Confira abaixo como ficará o uniforme do Fluminense para o duelo:

Imagem: Divulgação

Vasco x Fluminense: como garantir seu ingresso para o duelo

Por Rômulo Morse


A poucas horas da final da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca,  entre Fluminense e Vasco, os torcedores que pretendem ir ao jogo podem comprar o ingresso neste domingo. Marcada para às 17h, no Maracanã, o tricolor tem à disposição as bilheterias 1 e 4 do estádio.

A primeira citada funcionará das 10h às 17h45, enquanto a segunda ficará aberta das 13h até 17h45.  Ficando com o setor norte, o torcedor do Fluminense pagará R$ 60,00 (meia-entrada por R$ 30,00), enquanto custará R$ 30,00 para os sócios.

No setor leste, seja inferior ou superior, onde a torcida é mista, o bilhete custará R$ 80,00 (R$ 40,00 a meia-entrada), com o sócio do Fluminense pagando o mesmo preço da meia. No Maracanã Mais, igualmente misto, está sendo comercializado por R$ 250,00 (R$ 125,00 a meia).

Confira abaixo todas as informações para o duelo da Taça Guanabara:

PONTOS DE VENDA: 

FLUMINENSE:

Bilheteria 01 do Maracanã – das 10h às 17h45
Bilheteria 04 do Maracanã – das 13h às 17h45

VASCO:

As vendas para o setor sul seguem suspensas. O Vasco aguarda uma autorização da Justiça para retomar a comercialização.

Bilheteria de São Januário, das 10h às 13h – apenas sócios do Vasco
Mega Loja de São Januário – apenas sócios do Vasco
Bilheteria 02 do Maracanã – das 13h às 17h45
Bilheteria 03 do Maracanã – 10h às 17h45

VALORES DOS INGRESSOS:

FLUMINENSE:

  • SETOR NORTE

Sócio: R$ 30,00
Inteira: R$ 60,00
Meia: R$ 30,00

  • SETOR LESTE INFERIOR OU SUPERIOR (SETOR MISTO)

Sócio: R$ 40,00
Inteira: R$ 80,00
Meia: R$ 40,00

  • MARACANÃ MAIS (SETOR MISTO)

Inteira: R$ 250,00
Meia: R$ 125,00

VASCO: 

  • SETOR SUL

Inteira – R$ 60
Meia – R$ 30
Estatutário: R$ 30,00
Cadeirão: R$ 18,00
Caldeirão Mais: check-in
Colina: R$ 18,00
Colina Mais: check-in
De Norte a Sul: R$ 30,00

  • SETOR LESTE INFERIOR OU SUPERIOR (SETOR MISTO)

Inteira – R$ 80
Meia – R$ 40
Estatutário: R$ 40,00
Cadeirão: R$ 80,00
Caldeirão Mais: 80,00
Colina: R$ 24,00
Colina Mais: check-in
De Norte a Sul: R$ 40,00

  • MARACANÃ MAIS (SETOR MISTO)

Inteira: R$ 250,00
Meia: R$ 125,00

Fonte: Globoesporte.com

PM aumenta efetivo para duelo entre Fluminense e Vasco

Por Rômulo Morse


Com a polêmica entre Fluminense e Vasco em relação ao setor sul do Maracanã para a final da Taça Guanabara, a Polícia Militar se mostrou preocupada e aumentará o efetivo para a partida. Em entrevista, o tenente-coronel Silvio Luiz, comandante do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos, afirmou tal posição. O Bepe deverá ter 400 policiais em serviço no duelo.

Ele esclareceu que o objetivo da ação é tentar fazer com que o torcedor que irá ao jogo não sinta os reflexos da disputa nos bastidores e definiu a estratégia que será utilizada.

– A gente vai acompanhar. Como medida, o que nos cabia fazer, é reforçar principalmente a área externa, que é uma grande preocupação, para que o torcedor que não tem nada a ver com essa confusão e está apenas indo para assistir o jogo não sofra os reflexos disso. Vou começar o jogo com somente o necessário na parte interna, e a maior parte concentrada na área externa, e aí faremos o remanejamento durante a partida de acordo com o necessário.

O tenente-coronel concedeu entrevista neste sábado (Foto: Raphael Zarko)

Com um contingente maior que o utilizado no Fla x Flu, vencido pelo tricolor por 1 a 0 e válido pela semifinal da Taça Guanabara, o comandante lembrou que o relacionamento ruim entre as partes não começou agora.

– Na verdade o clima entre as torcidas de Vasco e Fluminense já é muito ruim desde quando houve essa questão dessa briga pelo setor. Claro que para esse jogo isso se acirrou muito mais porque o Vasco efetivamente vai ocupar o setor sul.

Também houve uma reunião com as organizadas dos clubes, sendo avisado pelo Bepe que cada uma será escoltada e levada direto para a entrada correspondente ao seu time. Vale lembrar que a Young Flu, maior organizado do Fluminense, está proibida de levar instrumentos, faixas e materiais ao estádio.

Fonte: Globoesporte.com

Flu divulga nota repudiando declarações de jornalista da FoxSports

Por Rômulo Morse


O Fluminense divulgou uma nota oficial em seu site na noite deste sábado repudiando as declarações do jornalista Osvaldo Pascoal, dos canais do FoxSports. Durante o programa “Expediente Futebol”, o mesmo criticou o presidente Pedro Abad por ter convocado o torcedor “para a guerra” contra o Vasco.

Adversário na final da Taça Guanabara, final do primeiro turno do Campeonato Carioca e que está marcada para este domingo, às 17h, no Maracanã, o time de São Januário colocou à venda ingressos para o setor Sul. Irritado com a situação, Abad, em coletiva neste sábado, disse que o cruzmaltino e o Consórcio Maracanã descumpriram uma decisão judicial e, mesmo contra a realização da partida nessas circunstâncias, convocou os torcedores “à guerra” visando lotar o setor Norte.

Confira abaixo a nota na íntegra:

O Fluminense FC lamenta e repudia a forma como o jornalista Osvaldo Pascoal, da emissora Fox Sports, interpretou parte de uma declaração feita pelo presidente Pedro Abad durante a entrevista coletiva concedida na tarde deste sábado (16/02), nas Laranjeiras. Com o respaldo da mesa, o jornalista chegou a pedir a prisão do mandatário tricolor entre outros ataques ofensivos. Vale salientar que o Fluminense é um dos maiores defensores da paz nos estádios de futebol. Em momento algum o presidente induziu seus torcedores a uma conduta violenta na partida de amanhã (17/02), no Maracanã.

Saiba qual será a provável escalação do Fluminense para o duelo de amanhã

Sem muitas surpresas, o Fluminense deverá ter apenas uma mudança para o primeiro jogo da final do Carioca, diante do Flamengo, domingo, no Maracanã. Segundo o Globo Esporte, Digão será o provável substituto do Nino, lesionado.

Tendo em vista a tal mudança, a provável escalação para o jogo de amanhã será : Muriel; Gilberto, Matheus Ferraz, Digão e Egídio; Dodi, Hudson e Yago; Nenê, Marcos Paulo e Evanilson.

A partida amanhã está marcada para as 16h e será transmitido mais uma vez pelo canal do Fluminense no YouTube, FluTV .

Fonte : Globoesporte.com

Foto : Divulgação Fluminense

Ferj altera horário do Fla-Flu decisivo

Por meio de suas redes sociais, a Federação de Futebol do Rio, a Ferj, modificou o horário do jogo decisivo entre Flamengo e Fluminense na próxima quarta-feira (15).

Inicialmente marcado para às 21h e 30, o jogo foi antecipado para as 21h.

Embora não tenha sido confirmado pela Federação, o horário pode ter sido um pedido do SBT, emissora que fechou com o Flamengo o direito de transmissão da partida que é de mando rubro-negro.

O primeiro jogo, neste domingo (12), segue o horário habitual das 16h.

Opinião Rafael de Castro ” – Um clube de uma enorme alma, que construiu a história x ninguém”

Olá, Guerreiros!

Penso que todo atleta, ao ser contratado por um clube gigante, como o FFC, deveria receber uma aula teórica sobre a história da instituição. Certamente nesta história haveria um capítulo para explicar o que aconteceu em 07/07/1912. Nesta data houve o primeiro fra X FLU, sendo o adversário imensamente favorito, por possuir 9 jogadores titulares campeões com o FFC no campeonato anterior. Exatamente! Perdemos 9 titulares de uma só vez e com uma equipe remendada enfrentamos logo nossos “traidores”, que diante das suas atitudes levaram o clube de regatas para o campo de futebol. O restante, até os dias atuais, cabe uma longa explanação para compreender como eles chegaram aqui robustos, tendo como piloto seu padrinho Roberto Marinho, em especial nos “regimes autoritários”, onde os controles das comunicações e a expansão dos seus meios, principalmente para o norte e nordeste brasileiro, tinha nosso rival como “abre alas” do sistema, levando a alegria e ocultando as mazelas que vivíamos.

Em que pese a grande alegria pela “conquista” do capítulo de 08/07/20, que certamente poderia ficar gravada na história como “a batalha da moral X o apocalípse da imoralidade”, não estou aqui para manifestar euforia futebolística. O momento que vivemos na história da humanidade não nos permite tratar futebol como prioridade, mas como elemento cultural histórico do nosso país, seria natural a extração de bons exemplos e ações, como às demonstradas por inúmeros artistas em “Lives gratuitas” e muitas toneladas de alimentos doados. 

O FFC é berço do FootBall brasileiro, carioca e da seleção brasileira. É o único clube de futebol no mundo a receber do COI a taça Olímpica, em 1949, por inúmeras contribuições aos esportes olímpicos, pela sua moralidade, pela sua estrutura e pela sua HONRA! Para receber a honraria, o pleiteador deve ser exemplo de organização administrativa e um vitorioso nos setores esportivos, sociais, artísticos e cívicos. Este reconhecimento é considerado o Prêmio Nobel dos Esportes. 

O “mundo” sempre soube quem é o FLUMINENSE e o reconhece pela sua fidalguia, pela sua contribuição a inúmeras modalidades esportivas, não somente o famoso football, que aliás, foi o motivo central de sua criação, diferentemente dos demais “grandes do RJ”. Nas piscinas, quadras, no tiro, entre outras, produzíamos, desde a origem, medalhas para o país e cidadãos de bem para a sociedade. Em campo éramos o maior campeão daquilo que havia de mais valioso até a década de 80 passada, o Campeonato Carioca. Chegamos ao final da década de 70 ainda sobrando nesta condição, com título nacional no primeiro modelo de “grande campeonato brasileiro”, 1970, justamente o ano do futebol arte. Havíamos levantado canecos da Taça Rio SP, um “mini brasileiro” para a época, inúmeros torneios relevantes para o período na Europa (contra os seus gigantes) e mesmo diante da ignorância de muitos e ocultação tendenciosa da mídia, havíamos nos sagrados campeões do modelo de Mundial que havia, batendo inclusive o Penãrol, base da seleção Uruguaia que havia derrotado o Brasil 2 anos antes em pleno Maracanã (https://globoesporte.globo.com/futebol/times/fluminense/noticia/jogo-fluminense-x-penarol-de-52-e-eleito-maior-da-historia-tricolor-e-jogador-vivo-se-emociona-honra.ghtml).

Fluminense1952/Palmeiras 1951

Paralelo a esta linda trajetória, surgia um fenômeno que está atrelado a tudo que hoje conhecemos como “Jeitinho Brasileiro”. Como bem elucidou o Dr. Renato Soares Coutinho em sua tese de Doutorado em História na UFF (https://www.historia.uff.br/stricto/td/1453.pdf), o clube de Regatas divorciado da Rede Globo foi alçado a um modelo de “política nacionalista popular”. Em período de golpe de estado, sem congresso e com nova constituição autoritária, foi criado o DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda e neste momento quem já nadava em berço esplendido era o maior ídolo da nação: O Sr. Marinho. 

Entre várias articulações, utiliza-se massiçamente as principais mídias da época para divulgar o sucesso do modelo autoritário, mas que espelhava um cuidado com o povo, com as crianças e mostrava para os quatro cantos do país um sucesso, que tinha nos tentáculos rubro negros a magia ideal para comover as massas e tratar o povo como “gado”. Daí surge, por exemplo o Jornal dos Sports, absoluto para a época. Mas Marinho precisava de um sócio que representasse toda a arquitetura do modelo: eis que ganha destaque Mário Filho. 

Exatamente! Mário Filho, irmão do ilustre e consagrado até hoje, Nelson Rodrigues, não somente conduz o noticiário esportivo brasileiro, como também ignora a utilização de recursos públicos para regimentar uma massa, através da paixão e da ignorância (percebendo a coincidência com os tempos atuais?). Este mesmo, anos após, viraria o nome do maior e mais belo estádio de futebol de todos os tempos: Maracanã.

Neste momento o FFC tinha a consolidação da sua sede própria, casa da seleção canarinho, que anos após, mesmo sem nenhum recurso estatal, teve ¼ da sua arquibancada ceifada para obras da cidade, além dos serviços utilizados pelo Palácio Guanabara.

No lado dos que compraram a história, surge o decreto 3.686, na década de 30, cedendo ao clube de regatas terreno nobre, onde hoje existe a sede da Gávea. Era o que faltava para estruturar as campanhas governamentais, os cenários perfeitos que associavam o rubro negro ao “Brasil forte”. 

Como não tenho pretensões de parafrasear o Dr. Renato Soares Coutinho, deixo que vocês observem os detalhes em seu material original, que está exposto em link acima, mas exponho a seguir apenas algumas fotos e trecho do vasto texto, que considero essencial. 

Esse grande projeto criou um fenômeno. Como um clube sem nenhuma representatividade no cenário internacional, nada relevante esportivamente em qualquer modalidade no cenário nacional e até mesmo 3ª ou 4ª força no cenário estadual conseguira chegar à década de 50 como maior torcida do Brasil, quiçá do mundo? 

Resposta cristalina no material do Dr. Renato Soares Coutinho e até mesmo no breve resumo deste texto. 

Para que não demonstre ignorância aos fatos positivos, aproveitaram uma baita geração para serem vencedores na década de 80, mesmo que Internacional e principalmente Atlético MG tenham seus motivos para criar ressalvas escandalosas. Em paralelo aumentava sua campanha de time popular, criando “Fake News” contra aquele que era o mais próximo “time do povo”, o único grande fora da zona sul, entre outras mais imundas contra o FFC como a eterna associação entre um jogador vindo do Bangu, que lá usava pó de arroz e foi contratado por nós já sob esse triste hábito, além do ranço homofóbico criado (quem tem cultura e personalidade em classes menos favorecidas para virar as costas para o “time do povo” e abraçar um time “afeminado” e “preconceituoso”?). 

Em resumo, meus nobres, curtir a vitória é maravilhoso. Ganhar da soberba, do jeitinho brasileiro, da ganância, do desrespeito às leis e às vidas humanas não tem preço. No entanto, o resultado não nos altera. Perdendo ou ganhando, nosso caráter é centenário, enquanto eles buscam sempre os atalhos e estão sempre tropeçando no próprio destino.

Os episódios recentes que envolvem este clube são de embrulhar o estômago, mas eles foram criados assim. Essas são suas raízes e não mudarão mesmo diante da empatia que toda coletividade teve com eles em dias recentes e tão difíceis. 

Dois ou três dias após uma tragédia para todo nosso país, teríamos um fra X FLU. Minutos após o Fluminense postava solidariedade e se colocava a disposição para remarcação do jogo, o que ocorreu. Agora, durante uma Pandemia inigualável em nossa história, onde não temos condições de contar em dedos das mãos e sim em um maracanã super lotado de mortos, eles mais um vez, desafiam a lei, criam a lei, manipulam a lei, e buscam o jeitinho brasileiro, para chegarem ao Brasileirão mais preparados que os demais de outros estados, que ainda precisarão jogar de 5 a 7 jogos em 20 dias e imediatamente entrar na longa disputa do título nacional; para finalizarem um campeonato estadual de forma desumana, sem que os adversários tivessem em condições mínimas aceitáveis fisicamente; para expor seu patrocínio conquistado na mesma surdina que a sua Medida Provisória; para impor seu irracional projeto que limita a 4, ou 5, que seja 10 milhões de pessoas que terão acesso à internet, sendo que a TV atingiria historicamente 50, 60 ou 80 milhões de pessoas, tão carentes de alegrias em dias tão difíceis.

A decisão de que o campeonato deve ser decidido nos dias 12 e 15/07 é a gota d`água. Na euforia do êxito de uma batalha, muitos tricolores estão ignorando que jogamos 4 partidas em 10 dias, sendo a última, uma decisão com vários desfalques e outros que saíram de campo esgotados, machucados…

Davi pode superar Golias uma vez; Duas vezes é bem difícil; Três é pouco provável! Isso não significa que nossa “armadura” se dobrará para a camisa deles e muito menos sinal de medo da revanche, mas entendo que devemos protocolar uma solicitação para alteração das finais, com argumentos fisiológicos/médicos. As finais sempre foram em dois domingos e sem que haja nenhum motivo real a quadrilha cria mais uma forma de desequilibrar a competitividade. Por mim, acatam que seja 15/07 e 22/07, ou não jogamos. 

Deixemos as duas datas para que eles transmitam no seu canal “time A X time B”; ou
Time dos 62 funcionários demitidos X Time dos familiares das vítimas.

Enquanto isso, sugiro que a Globo, historicamente farinha do mesmo saco, retransmita irmãos coragem para o Brasil todo dizendo que o Duda jogava dopado; retransmita o Tufão como traficante e não como bom moço; faça cobertura do goleiro assassino sem se preocupar com a imagem do clube; faça uma cobertura séria sobre a maior tragédia no meio esportivo brasileiro, com a morte de 10 jovens e a negativa do clube de aceitar a proposta do MP que representava menos que 4% do faturamento anual e menos até do que o lucro liquido divulgado; volte no tempo, em 2012, e forje alguma tramóia na documentação que criou o abismo no futebol brasileiro, com diferenças que chegariam a 1Bi de faturamento em 1 década para os demais times de tradição; apresente no Globo Reporter a posse do terreno da Gávea e como o clube de regatas foi usado como propaganda política para que chegasse uma imagem de um país que os povos isolados nem conheciam; as relações entre Godinho, Lava Jato, BNDES, empresas que patrocinaram o clube, obtendo grana junto ao mesmo banco; o escárnio de mais uma vez ter recursos públicos injetados em sua camisa…

Eles são de outro patamar, que tenho orgulho de não fazer parte. Que não demitam mais ninguém ou não infrinjam mais leis que possam gerar tantas perdas financeiras, psicológicas ou de vidas humanas! 

#FinaisEm15e2207

#SeNãoAcatarNãoJoga

Como escreveu o gênio Nelson Rodrigues: “o Flamengo tem mais torcida; o Fluminense tem mais gente…”


Rafael de Castro Ladewig de Araujo.

Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

Site explica porque Flu não negociou transmissão do primeiro jogo da final do Carioca

Segundo o portal UOL, o Fluminense optou por não negociar os direitos de transmissão do primeiro jogo da final do Carioca, contra o Flamengo, por entender que, mesmo rescindindo o contrato, a partida na teoria seria da TV Globo, já que o clube tinha vínculo com ela para o Estadual desse ano.

Mesmo com aval da emissora permitindo a venda para outras emissoras, a cúpula Tricolor decidiu por exibir a primeiro confronto da decisão na FluTV.

Vale lembrar que a Rede TV! procurou o Fluminense, para a transmissão da final da Taça Rio na última quarta (8) e ouviu esta justificativa.

O Tricolor inclusive já anunciou nas redes sociais que a partida será transmitida de forma exclusiva pela plataforma do clube no Youtube.

Flu encerra preparação para a final com baixas e Odair tem dor de cabeça para montar equipe

O Tricolor realizou neste sábado (11) último treino, no CT Carlos Castilho, visando o primeiro jogo da final do Carioca contra o Flamengo, neste domingo (12), às 16h.

Já sem Fred e Ganso, que se recuperam de um problema na vista e de uma lombalgia, respectivamente, Odair Helmann teve mais um problema de última hora. Trata-te do zagueiro Nino que sofreu uma entorse no joelho direito.

Sem três dos principais jogadores, o treinador terá dor de cabeça para montar a equipe que vai a campo. Tendência é que Digão assuma vaga de Nino. Já no ataque Evanilson deve seguir como centroavante do time.

Foto: Lucas Merçon/FFC

Bruxa solta ! Fluminense perde mais um titular pra final do Estadual

A bruxa está a solta em Laranjeiras. Depois de perder Fred e Ganso, o Fluminense confirmou que não vai contar com Nino, que sofreu uma entorse no joelho e está fora do primeiro jogo da decisão do Estadual.

Segundo informado pela assessoria do clube, o zagueiro teve a lesão durante o treinamento da última sexta-feira (10). Ele já realizou os exames que apontou a contusão, e iniciou o trabalho de reabilitação.

O clube confirmou também que Nino já está fora do primeiro jogo da final ante o Flamengo este domingo (12), às 16h.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Além de Fred, ganso deve ser mais uma baixa no Fluminense para disputa das finais do estadual

Depois de confirmar a ausência de Fred nas finais do estadual ante o Flamengo, o Fluminense deve ter outra ausência: o meia Paulo Henrique Ganso.

Curiosamente, os dois jogadores já haviam desfalcado a equipe no Fla-Flu da final da Taça Rio, quando o Fluminense sai campeão após empatar em 1 a 1 no tempo normal e ganhar nos pênaltis.

Segundo o portal Globoesporte.com, Ganso deve seguir de fora por conta ainda dá lombalgia que o tirou da final da Taça Rio. Além disso, a idéia da comissão técnica e fazer um trabalho de recondicionamento físico com o meia, da mesma forma que vinha se fazendo no início do ano.

Desde que o clube voltou a atuar após a parada por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), Ganso atuou em duas partidas. Iniciou a partida contra o Volta Redonda, sendo substituído no segundo tempo. Na partida seguinte, contra o Macaé, entrou no segundo tempo. Já contra o Botafogo, foi relacionado, mas ficou toda a partida no banco de reservas.

Decisão do Carioca pode ser transmitida em tv aberta

A grande decisão do Campeonato Carioca entre Flamengo e Fluminense pode ter transmissão em tv aberta. De acordo com o portal R7, o SBT fará a transmissão da decisão, marcada para a próxima quarta-feira (15), as 21h e 30, no estádio do Maracanã.

Ainda de acordo com a publicação, o primeiro jogo, que acontece neste domingo (12), ainda será transmitido com exclusividade pelo canal do Fluminense no YouTube, a FluTv, assim como fez na decisão da Taça Rio.

Vale destacar que o Fluminense, mandante na primeira partida é quem detém o direito da transmissão do jogo, que passe a ser do Flamengo, na última partida, a decisão.

O R7 publicou ainda que de acordo com um diretor ligado ao SBT já existe um acordo entre a emissora e o Flamengo, faltando apenas a assinatura do contrato para o negócio ser de fato oficializado.

A geração da partida será da mesma empresa que opera a FlaTV, usando juntos o mesmo sinal base, mas com equipes de transmissão diferentes. Téo José é o nome pretendido pelo SBT, caso seja liberado pelo Fox Sports.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Hudson disse ” esse título coroa um início de trabalho…” Leia a íntegra

Já no próximo domingo, o Fluminense voltará a enfrentar o Flamengo, no primeiro dos dois jogos da final do Campeonato Carioca. Na quarta-feira dia 15.07., o volante reconhece que a missão será difícil, em razão da força do time rival, mas mostra confiança no trabalho e na qualidade da equipe tricolor. Hudson falou a Flu Tv a emoção de erguer a taça e mais.

Hudson: “Esse título coroa um início de trabalho no clube, nos deixa muito feliz e só nos dá motivação para seguir buscando o melhor para o Fluminense. E especial sendo o capitão, tendo a honra de erguer o troféu. Felicidade ao extremo. Realização profissional, realização de sonho. Todo jogador tem esse sonho e hoje consegui realizar mais um na minha carreira.”

Top