Colunas

Balu: muito mais do que um exemplo de Força e de Flu… “Não é apenas futebol. Nunca foi…” por Antonio Gonzalez.

Depois de 6 anos afastado por ter-me sentido desrespeitado por alguns componentes, que jamais fizeram questão de reconhecer a minha trajetória, eis que no dia 5 de junho de 2020 (depois de falar ao telefone com o Flávio Sinno, com o Bruno Gasparzinho e com o Fábio Esteves – que pediram a minha reflexão sobre o novo momento da TFF) fui ao encontro do Presidente Balu, na sede, ainda em construção, da Força Flu.

Ao sair de lá, me senti renascido… uma parte de mim, que eu mesmo havia amputado, renascia.

E da melhor forma possível: com AMOR.

Eu tinha ficado impressionado com a obra que estava sendo feita, aproveitei para dar alguns conselhos. Ele me deu um presente que guardarei para o que me restar de vida: uma máscara de proteção com uma das logomarcas da VENENOSA (sim!… VENENOSA, que nasceu em 1983, significava e significa um estado de espírito, de constante rebeldia… era o Brasil no final daquela Ditadura… e nós, os de verde, também botamos a cara na reta para mudar o país).

A partir daquele dia, rara foi a semana que não visitei a sala. E quando ele não respondia às mensagens e aos telefonemas eu reclamava: “qualé Balu… porra não quer mais falar comigo?” (acompado por uma sonora gargalhada).
Nas respostas, o mesmo tom: “estava vendo isso e aquilo para a torcida…”…

E assim, voltou a ser na última sexta-feira…

Na primeira ligação, às 12h19, não atendeu…

Na segunda, às 14h16, ele atendeu… novamente: “qualé Balu… porra não quer mais falar comigo?” (acompado por uma sonora gargalhada)… “estou indo pegar às bebidas para a festa de aniversário”…

Um minuto e vinte seis segundos durou àquela ligação… parece pouco tempo… mas… muito intenso.

Às 17h02 tocou o meu celular, era o Pagaio (Presidente de Honra da TFF)… palavras desconexas, onde a princípio eu só entendia “mal súbito” e “Balu”…

Sem rumo, fiz ligações que confirmaram a tragédia…

DESPIROQUEI do antigo verbo despirocar (entrar em paranóia para os mais jovens).

O resto da história todos sabemos.

Até que veio o velório que me exige repetir o título desse texto:

Balu: muito mais do que um exemplo de Força e de Flu… “Não é apenas futebol. Nunca foi…”

Literalmente o Balu fez a TORCIDA DE PORRADA chorar.

Ver os olhos marejados dos ex-presidentes Pagaio e Pará, cortou o meu coração.

Eu, devido ao meu complicado estado de saúde, estava dopado…

Aí vem um dos grandes guerrilheiros de todos os tempos, o Alvimar, também com lágrimas nos olhos… porra… duro aguentar… nós 2, duas torres desabando.

Régis, o Vice Presidente, totalmente imerso em tristeza, passou mal.

Bruno Gasparzinho (um grande Diretor Financeiro) que, assim como o Balu, chegou na TFF em 1994, não encontrava palavras para definir o tamanho da catástrofe que afetava a todos.

Os mais jovens, como o Bruninho, talvez lidando com a morte por primeira vez na vida, lágrimas escorrendo pelo rosto, colocando bandeiras e faixas, era preciso representar não só ao falecido presidente, mas também, ao amigo e ao Paizão Balu.

Duda Monvoisin, desabando, assim como o Pedro Vital e o Rodrigo Volume… graças ao trabalho do Balu, é muito mais do que uma diretoria de torcida organizada… AMIZADE QUE DEFINE.

O Feminino em peso. Annie Ribeiro merece muito o meu respeito, assim como todas as mulheres da TFF. Hoje, graças a Deus, é explícito que o “lugar delas também é na arquibancada”. Inquestionável e imensurável o trabalho que realizam.

Hugo (forçaflumente chamado de Linguicinha) representando aos mais novos, também desnorteado, tentava entender o real tamanho do que estava vendo.

Leopoldina, Zona Sul, São João, São Gonçalo, Zona Oeste, Maré, Centro, Baixada, Brasília… todos representaram…

Esse era, quer dizer, é o Balu!

Carlos Muniz, da Sangue Jovem do Santos, tão antigo quanto eu nas lides de organizadas, sensibilizado, emocionado…

Do Eduardo Jonas (que muito ajudou na tecnologia dos mosaicos e nas pinturas da sala) da TUF – Torcida Uniformizada do Fortaleza, fico com as palavras que escreveu no seu Facebook:

“Peço licença aos familiares, amigos e aliados para fazer essa pequena homenagem ao irmão Balu. BALU DA FORÇAFLU!!!!
São várias lembranças meu mano. Quero te agradecer por me dar a oportunidade de matar a saudade do dia a dia de uma torcida organizada, pois morando fora do meu estado eu não tinha essa chance, mas você me concedeu na sua Torcida. QUE HONRA!”… Esse é o Baluismo (by Duda Monvoisin).

Já o Neguinho, monitor da REMOçada/RJ, mostrou que a GRATIDÃO jamais pode ter data de validade. Tem que ser eterna.

Para toda a família – esposa, filhos, pais, irmãos – os meus mais sentidos pêsames.

O TRABALHO DESSA DIRETORIA DO BALU TEM QUE CONTINUAR… Cabe aos mais antigos dar suporte… mas a REVOLUÇÃO CULTURAL da TFF tem que continuar escrevendo o futuro.

Propositalmente termino esse texto me referindo a 2 NOVOS AMIGOS, que a TFF me deu:

Ao Ricardo Araújo, o Chefe, de Viçosa, MG – MUITO OBRIGADO por tudo!

Ao Gabriel Diniz – você é umas das melhores cabeças e talentos que conheci nos meus 45 anos de movimentos de arquibancadas, as suas lágrimas que rasgaram o meu coração, não serão em vão. O FLUMINENSE e a FORÇA FLU precisam de você.

Por tudo isso sobre o nosso eterno Presidente Balu: “muito mais do que um exemplo de Força e de Flu… “Não é apenas futebol. Nunca foi…””.

Quanto a mim, no pouco que me resta de saúde (sou uma bomba relógio), com muita humildade só posso dizer: MUITO OBRIGADO BALU! ETERNAMENTE.

Nós seremos sempre GUERRILHEIROS.

Antonio Gonzalez

Ps.: tive a sorte de ter a ajuda do Balu na cessão de fotos e vídeos para a música “FLUMINENSE EU SOU!”.

Confira:

“Feliz aniversário, Dr. Celso” – Por Wagner Aieta

Feliz aniversário, Dr. Celso”


No fim dos anos 90, estávamos à beira do precipício, ou melhor, rumo ao mais profundo círculo do inferno.
Já tomados pela desesperança, eis que surge uma mão redentora e nos puxa para cima.
E, mais, pouco a pouco, essa mão redentora recoloca-nos no lugar que a História nos reservou.


Abandonemos a metonímia da parte (mão) pelo todo (pessoa).
Graças a ele, nós, tricolores, aguardávamos, ansiosos, a chegada do mês de janeiro, que era recheado de especulações e boas notícias. Não tinha essa de Caio Paulista, Danilo Barcelos, Cristiano da Moldávia não!
Essa espera, amigos, não era em vão.


Graças a ele, vimos craques voltarem a envergar o nosso manto: Romário, Edmundo, Ramon, Asprilla, Beto, Felipe, Petkovich, Carlos Alberto, Thiago Silva, Thiago Neves, Fred, Conca, Deco, etc.


Graças a ele, tornamo-nos o time mais badalado do Brasil.
Graças a ele, ganhamos três títulos nacionais e fizemos uma campanha histórica na Copa Libertadores em 2008 – que nos foi tirada, apenas, para dar um quê de tragédia grega. Assim sucede com todos os heróis.


Refiro-me ao Dr. Celso Barros, cujo lugar de honra, por seus inegáveis feitos, já está guardado no panteão dos grandes tricolores.

Nos dias de hoje está fazendo uma enorme falta no nosso amado Fluminense FC, embora seja Vice Presidente eleito.


PARABÉNS Dr. CELSO BARROS! O senhor tem o reconhecimento daqueles que realmente importam.

Equipe Canal Flunews

Análise: Quem é e como joga Cristiano, lateral-esquerdo, novo reforço do Fluminense?

Um jogador desconhecido mas que tem muito potencial para ser titular e ajudar o Fluminense nas competições que irá disputar. Conheça um pouco desse atleta que estava jogando no Sheriff da Moldávia e brilhou contra o Real Madrid em pleno Santiago Bernabeu.

Cristiano é um lateral ofensivo, de boa estatura e excelente passe, pode jogar tanto na 1ª linha defensiva quanto na linha central, caso Abel Braga opte por jogar com 3 zagueiros, como analisamos no Tática Didática. Além dessas características o lateral-esquerdo com passagem pelo Volta Redonda/RJ se destaca também pelas assistências, em 27 jogos pelo Sheriff na temporada 21/22 deu 9 passes para gol, ou seja, um passe a decisivo a cada 3 jogos.


Um atleta com grande potencial e que vem em definitivo para o Fluminense, tem sua maior oportunidade na carreira aos 28 anos. Tem que se adaptar ao futebol brasileiro e com isso poderá mostrar o futebol que jogou contra o Real Madrid pela Champions League 21/22, tendo destaque na fase ofensiva e defensiva, além de ter sido escolhido o melhor em campo.

A torcida tricolor pode esperar um lateral muito técnico, excelente nas fases ofensivas, com bom passe, boa estatura e com certa experiência.

Nathan

Análise: Como joga Nathan? E como irá se encaixar no time de Abel Braga?

Nathan está prestes a assinar com o Fluminense. Empréstimo de um ano, junto ao Atlético-MG. Seria a “cereja do bolo” tricolor para a temporada 2022. Praticamente fechará a lista de reforços, caso Cano e Cristiano sejam confirmados como novos jogadores do Flu.

Nathan é um meia polivalente. Algo raro dentro do futebol brasileiro. Sabe fazer a função de 10, mas também a de 8. Ou seja, pode jogar como segundo volante, auxiliando na saída de bola. Mostramos essa polivalência no vídeo do Tática Didática, que segue abaixo.

O futuro jogador do Flu também pode atuar como falso 9. Fez isso no Galo, mesmo em algumas partidas. Não é a forma como se sente mais confortável, mas consegue jogar. Também tem a opção, como falamos no vídeo do Tática Didática, de ser um ponta pela esquerda. Mas atua um pouco diferente de um extremo clássico. Nathan não chega na linha de fundo. Ele afunila para o meio, buscando o passe ou finalização de perna direita.

Obviamente, nem tudo são flores. Nathan tem alguns problemas. O principal deles é que “desliga” do jogo. Algo que o torcedor tricolor está acostumado. Parece ser uma sina: o Fluminense só contrata meia com dificuldade de ser regular ao longo dos 90 minutos. Tanto Ganso, quanto Cazares, sofrem do mesmo mal.

Ir para o Fluminense é um passo importante na carreira de Nathan. Após ser contratado a peso de ouro pelo Atlético-MG, viu as conquistas de 2021 praticamente do banco de reservas. Agora terá a possibilidade de comandar o meio-campo de um time que vai disputar a Libertadores e voltar a mostrar porque é um dos talentos do futebol brasileiro.

Mais Notícias

Adversário do Fluminense na Libertadores estreia com vitória no Campeonato Colombiano Apertura.

Na primeira rodada do Campeonato Colombiano, Apertura, o Milionarios enfrentou o Deportivo Pasto fora de casa, usando um esquema 4-4-1-1. O adversario do Fluminense na 2°fase da Libertadores, venceu por 1×0 gol do recem contratado e estreante, Diego Herazo, meia atacante de 25 anos que jogou como falso 9 e que tem faro de gol. Em 2021 o jogador marcou 13 gols, em 28 partidas pelo time do La Equidad e no fim da mesma temporada, se transferiu para o Independente Medelin, onde atuou 4 vezes e marcou 1 gol. Um jogador de porte fisico forte e finalizador, o time do Abel Braga tem que ter atenção com o meia atacante Colombiano.


O Time Colombiamo, assim como o Fluminense, tambem se movimentou no mercado e trouxe 5 jogadores, Álvaro Montero que já foi da seleção colombiana e é a contratação mais importante na janela. Herazo veio para ser o substituto do goleador Uribe, e Larry Vásquez para suprir a saída de Daniel Giraldo. O zagueiro Cuenú não vai ser titular, veio para ser a terceira ou quarta opção, e o meia Sosa deve ser o reserva imediato do Mackalister Silva, que é a referência da equipe. É muito pouco provável que vão chegar mais jogadores. Se chegarem, serão jovens da base para completar, nada mais – explicou o jornalista Antonio Casale, da “Rádio RCN” de Bogotá.

Até o dia 22 de fevereiro, o Millonarios ainda terá mais seis jogos para cumprir e preparar a equipe para os confrontos com o Fluminense. 

Yago declara “quero crescer e conquistar títulos aqui”

O volante Yago foi um dos destaques da temporada passada pelo Fluminense. Nesta sexta-feira, o jogador revelou que seu foco é tão grande no clube que ele se negou a ouvir propostas de outras equipes.

“Por estar jogando em alto nível com a camisa do Fluminense, aparece muita visibilidade. Apareceram algumas coisas, mas falei com o representante e o Mário Bittencourt que não quero nem escutar. Quero crescer, conquistar títulos aqui. Meu pensamento está aqui 100%”, disse ao SBT.

Yago destacou a qualidade das opções que o técnico Abel Braga tem no Fluminense para seu setor e o ataque para 2022.

“A gente tem muitos jogadores ali para a posição, o Fluminense está muito bem servido. Teve a revelação que foi o André, o Martinelli. Fora os que chegaram e ficaram, Nonato, Wellington, o Felipe Melo que pode ser volante e zagueiro. O Abel que vai responder essa pergunta de como vai ficar esse meio de campo para municiar Fred, Cano, Willian Bigode para eles fazerem muitos gols para a gente”, declarou.

O Fluminense terá seu primeiro compromisso na temporada na próxima quinta-feira, contra o Bangu, pelo Campeonato Carioca, no estádio Luso-Brasileiro, às 21h (de Brasília).

foto Lucas Merçon Flick Fluminense Football Club.

Após proposta do Cuiabá, Fluminense comunica a saída do técnico Eduardo Oliveira do sub-20

O Fluminense comunica a saída do técnico Eduardo Oliveira da categoria Sub-20. O treinador recebeu uma proposta do Cuiabá e pediu desligamento do clube nesta sexta-feira (21/1). Guilherme Torres, que estava à frente do Sub-17, assumirá o comando da categoria.

Eduardo Oliveira chegou ao Tricolor em 2017 como coordenador metodológico da base, e assumiu a equipe Sub-17 em maio de 2018, conquistando a Copa do Paraguai e dois estaduais da categoria. O treinador começou a treinar a equipe Sub-20 após a Copa RS de 2019. Em 2021, conquistou o Carioca Sub-20.

O clube agradece ao técnico Eduardo Oliveira pelo desempenho, dedicação e carinho pela instituição e deseja sucesso na sequência de sua carreira.

Fonte: Fluminense 

Foto: Mailson Santana

Em coletiva realizada hoje, Cris Silva fala sobre ansiedade para estrear e revela preferência em atuar com três zagueiros

Reforço para a lateral-esquerda do nosso tricolor, Cris Silva (como prefere ser chamado) foi apresentado oficialmente na manhã desta sexta-feira. Em sua primeira coletiva pelo clube, o atleta de 28 anos disse estar ansioso para estrear com a camisa tricolor e revelou sua preferência em atuar em um esquema com três zagueiros:

O professor está fazendo bastante troca, acho que isso é importante. Eu me sinto mais à vontade jogando com três zagueiros, jogando bastante adiantado. Na próxima semana já estreamos, temos mais alguns dias, se eu não me engano, nove dias para poder continuar nesse treinamento, e o professor Abel vai decidir o que fazer melhor”, comentou.

Questionado sobre a “polêmica” em cima dos valores da sua contratação – o Flu vai pagar cerca de R$ 7 milhões pelo lateral –, Cris preferiu não opinar e focou no acerto do negócio, que, segundo ele, foi a realização de um sonho:

“Eu não tenho muito o que falar sobre números, eu prefiro deixar essa pergunta para o presidente responder. Estou muito feliz de estar aqui, só quero jogar, só quero treinar. Muito feliz de estar realizando um sonho de estar jogando em um time grandioso como o Fluminense”, finalizou.

Foto: Lucas Merçon/FFC