fbpx

CBF altera data e horário de Fluminense x Chapecoense

O duelo entre Fluminense e Chapecoense, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, sofreu mudanças de data e horário. A princípio, a bola rolaria dia 27 de maio, domingo, às 19h. Agora, o jogo está marcado para 26 do mesmo mês, às 16h. O Maracanã é o palco do encontro entre os times.

O Tricolor nunca venceu a Chape e busca dar fim ao tabu. Até aqui, foram nove embates, sendo três empates e seis vitórias do clube catarinense.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Ferrugem foi cotado para FluFest, mas Blitz é confirmada e convoca torcida

Pela segunda vez (a primeira foi em 2016), Evandro Mesquita levará a banda Blitz, sucesso no Brasil há mais de 30 anos, para o palco da FluFest. A festa, marcada para o dia 21 de julho, sábado, comemorará os 116 anos do Fluminense. O show acontece à noite, no Salão Nobre, para cerca de 700 pessoas.

O Fluminense sondou cantores tricolores para a missão de agitar os festejos nas Laranjeiras. Até a sensação do pagode atual, Ferrugem, foi procurado. Mas o calendário apertado inviabilizou sua presença: o artista tem shows marcados em Vitória e Juiz de Fora na data do evento.

A Blitz, dona de músicas que marcaram o rock nacional, foi confirmada pelo clube na noite desta segunda-feira. Evandro Mesquita, ilustre tricolor, convocou a torcida para a FluFest.

Veja o vídeo:

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Robinho conversa com Leomir e promete se firmar no Fluminense

Com status de substituto de Richarlison, Robinho desembarcou no Rio e vestiu a camisa do Fluminense em agosto de 2017. A contratação, negociada com o Figueirense, custou R$ 7,4 milhões. Considerado promissor, o atacante ainda tenta emplacar nas Laranjeiras e, semana passada, teve seu nome especulado no Ceará, da primeira divisão. Porém, a vontade do jogador, esclarecida ao auxiliar-técnico, é continuar no clube carioca e buscar sua vaga entre os titulares.

– Chamei o Robinho, conversei com ele algumas vezes. Falei para o Leomir falar com ele também. Ele falou para o Leomir: “Eu vou provar que tenho condições de jogar”. Ele não está melhor do que era; está mais competitivo – revelou Abelão, em entrevista.

Domingo, por exemplo, Robinho entrou e mudou o jogo. Deu  assistência para Pedro, autor do gol de empate, e chutou uma bola na trave. Com o destaque no duelo no Maracanã, o jogador pode ganhar ainda mais esperança de recuperar seu espaço. Porque, para Abel Braga, quem estiver melhor, atua.

– Nas duas últimas semanas, ganhei dois jogadores que estavam em baixa: Matheus Alessandro e Robinho. A primeira entrada vinha sendo o Pablo. Eu via que, nos treinamentos, os outros estavam passando. Passou, vai jogar. Eu não quero saber. Quem estiver melhor, vai jogar – disse o comandante.

Segundo o site ‘Gazeta Esportiva’, a diretoria vê com bons olhos o empréstimo até dezembro para dar mais experiência ao jovem. A situação, no entanto, ainda está indefinida.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Abel Braga se diz satisfeito com apoio da torcida e elogia o time: ‘Alma incrível’

Cerca de 20 mil tricolores assistiram ao empate, em 1 a 1, entre Fluminense e São Paulo, no Maracanã. Mesmo com a desvantagem no placar em parte do jogo, os guerreiros lutaram pelo gol e recompensaram o apoio da torcida. Pedro cabeceou e marcou, aos 43 minutos do segundo tempo.

– Estou muito feliz. Mais feliz porque conseguimos o empate. Não 100% porque merecíamos a vitória. Mas feliz porque a equipe não sentiu a mudança tática. Manteve a ofensividade, a agressividade, e jogou o São Paulo lá para trás – elogiou Abel Braga.

A cara do Fluminense em 2018 é de um time aguerrido. Abelão, aliás, é o primeiro a ressaltar a vontade do elenco. Domingo, o discurso do comandante se repetiu, mas com um agradecimento aos torcedores. Os tricolores acreditaram na virada e, depois do apito final do árbitro, aplaudiram a entrega de cada jogador.

– Deu prazer porque vimos um número de torcedores muito maior no estádio. Mesmo quando o time estava perdendo, incentivaram. Porque estavam vendo a luta com uma alma incrível.

O dia no Maraca poderia ter terminado com o 2 a 1 carioca, mas o árbitro ignorou um pênalti claro de Arboleda. Aos 26’ da segunda etapa, Ayrton Lucas cruzou e o zagueiro pôs a mão na bola. O que, somado ao restante das decisões do juiz Rodolpho Toski, revoltou Abel.

– Se você reparar no jogo, duas vezes ele chegou a levar o apito na boca, a bola ficou para o jogador do São Paulo e ele mandou jogar. Ele é horroroso, é prepotente. Estou falando isso porque, quando ele vier da próxima vez, eu vou ficar caladinho, mas sei que ele vai prejudicar meu time.

Leia mais falas de Abel Braga

Entrega do time

Você tem que ver a maneira como os jogadores saem (do campo). Porque aí o torcedor passa a entender mais, a ter mais paciência.

Ayrton Lucas apagado

A marcação foi dobrada. Ele (Aguirre) colocou o Militão com o Régis. O Ayrton, realmente, não conseguiu fazer um grande jogo.

Frazan

Ele só falhou uma vez. Depois jogou muito bem. Nosso maior craque é o coletivo. Além disso, temos que colocar alma em cada palmo do campo.

Tabela difícil no início do Brasileiro

Podíamos ter ganho do Corinthians, campeão paulista e Brasileiro. Fizemos um jogaço, injusto o resultado. Ganhamos do Cruzeiro com um a menos, muita dificuldade. Um time que três dias depois meteu sete na Libertadores.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense! 

Gum reclama de pênalti ignorado pelo árbitro: ‘Para Corinthians ou Fla, teriam dado’

O time do Fluminense ficou na bronca com a arbitragem, domingo, depois do empate em 1 a 1 com o São Paulo. Aos 26 minutos do segundo tempo, quando o rival ainda estava à frente no placar, Ayrton Lucas cruzou para a área e Arboleda, com a mão, prejudicou a trajetória da bola.

O erro de Rodolpho Toski, juiz do duelo, gerou revolta entre os tricolores e rendeu críticas de Gum. Antes de deixar o Maracanã, o camisa 3 apontou para uma maior boa vontade com Corinthians e Flamengo.

– O pênalti nós vimos. Para nós, foi muito claro. Se fosse para Corinthians ou Flamengo, teriam dado. Para o Fluminense, não estão dando. O passe foi para trás e ele impediu que a bola chegasse na área. Isso é pênalti – declarou.

À Rádio Tupi, o lateral-esquerdo Ayrton, autor do passe que parou em Arboleda, explicou a jogada.

– Quando olhei pra trás, vi a bola pegando na mão dele, por isso reclamei bastante. Agora é descansar, porque a cada jogo é preciso estar pontuando.

Abel Braga manteve o discurso contra o árbitro, em tom de voz mais elevado, e foi além: considera Rodolpho Toski ‘horroroso’ e ‘prepotente’.

– Vocês lembram do pênalti contra o Corinthians ano passado? Foi igual. E o árbitro era o mesmo. Eu não gosto dele. Ele é horroroso, é prepotente. Ele sempre nos prejudica. Já estou falando: se ele voltar aqui, vai nos prejudicar – desabafou o treinador.

Abelão, no entanto, se confundiu: o dono do apito de Corinthians x Fluminense, no fim do ano passado, era Bráulio da Silva Machado. 

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Blitz, de Evandro Mesquista, fará show na FluFest 2018

Em 21 de julho, sábado, Laranjeiras vai ferver. Para comemorar seus 116 anos, o Fluminense prepara a quarta edição da FluFest, sucesso entre os tricolores. O tema da vez é a gloriosa história do clube no Maracanã, principal palco do futebol no mundo.

Com a ajuda da torcida, via crowdfunding (ou financiamento coletivo), o clube espera alcançar, pelo menos, a meta de R$ 100 mil. Os colaboradores ganharão presentes especiais, de acordo com o valor doado. Copo, pôster, livro e camisa estão entre os brindes.

O dia na sede do Fluminense começa com uma programação repleta de atividades. Mais tarde, o auge da festa fica por conta da Blitz, do tricolor Evandro Mesquita, a atração da noite. A banda se apresentará pela segunda vez no evento (a primeira foi em 2016) e, desta vez, traz um novo show. A turnê tem recebido elogios por onde passa e promete agitar o Salão Nobre.

Para acessar mais informações e garantir sua entrada na FluFest 2018, clique aqui.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Abel detona árbitro de Flu x São Paulo: “horroroso e prepotente”

Treinador lembrou inclusive um lance do Brasileirão do ano passado.

O técnico do Fluminense, Abel Braga demostrou bastante irritação com o árbitro, Ricardo Toscci, que dirogiu a partida entre Flu x São Paulo neste domingo (29) no Maracanã.

O treinador reclamou não só de um possível pênalti não marcado em favor do Tricolor, como da partida num todo, inclusive lembrando de lance semelhante durante o Brasileirão do ano passado:

– Vocês lembram o pênalti contra o Corinthians ano passado? Foi igual. E o árbitro era o mesmo. Eu não gosto dele. Ele é horroroso, é prepotente. Ele sempre nos prejudica. Já tô falando: se ele voltar aqui, vai nos prejudicar – desabafou o treinador.

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Divulgação FFC

Pouca técnica e muita emoção: Fluminense e São Paulo ficam no 1 a 1 no Maracanã

Fluminense e São Paulo se enfrentaram na tarde deste domingo (29), no Maracanã, em partida que teve início às 16h. As duas equipes começaram o jogo se estudando bastante e sem muitas chances de gol, até que aos 24 minutos após cobrança de escanteio, o São Paulo bombardeou o gol de Júlio César, com três finalizações seguidas. Na primeira, Bruno Alves desviou a bola no travessão, Diego Sousa bateu o rebote de primeira e contou com uma grande defesa de Júlio César com a bola explodindo novamente no travessão, até que Éder Militão empurrou para o fundo das redes.

Tendo que propor o jogo, o Fluminense demostrava muita dificuldade em achar os espaços, ainda mais com o São Paulo à frente do placar e bem postado defensivamente.

No melhor momento do Tricolor na primeira etapa, Léo de ótima jogada pela direita e cruzou pra área, mas Marcos Júnior se antecipou à Sornoza e desviou a bola sem perigo, tirando uma chance clara de gol do equatoriano.

O lance foi o último de alguma emoção no fraco primeiro tempo praticado por Fluminense e São Paulo no Maracanã, indo para o intervalo 1 a 0 para os paulistas.

Diante da pouca ofensividade do São Paulo no primeiro tempo, Abel Braga voltou com o time mais pra frente, com a entrada de Matheus Alessandro na vaga de Frazan. Ainda sem surtir o efeito desejado, o treinador foi para o tudo ou nada e lançou Pablo Dyego no lugar de Jadson e Robinho na vaga de Marcos Júnior. Um pouco antes das mudanças k Fluminense reclamou de pênalti quando Ayrton Lucas cruzou e Arboleda cortou com o braço, mas o juiz mandou seguir.

Fluminense reclamou de pênalti em lance que a bola toca no braço de Arboleda. (Foto: Reprodução TV Globo)

Com as mudanças, o jogo melhorou e ganhou em emoção. Na primeira dela, Léo pegou um rebote da zaga Sãopaulina, num belo sem pulo da intermediária e a bola explodiu no travessão. A resposta do São Paulo veio na sequência, com Marcos Guilherme desviando o cruzamento e acertando o travessão de Júlio César. O Fluminense continuava em busca do empate que quase veio com Robinho, que carimbou o trave esquerda de Sidão após bom passe de Pedro.

Após tanto pressionar o Fluminense chegou ao empate com o artilheiro da equipe. Robinho colocou a bola na cabeça de Pedro, que com grande categoria colocou a bola no ângulo direito, sem chances para Sidão.

Pedro volta a marcar e salva o Flu da derrota. (Foto: Mailson Santana)

O jogo ainda teve mais quatro minutos de acréscimos, mas ambas as equipes já estavam bastante desgastadas e não conseguiram ir em busca da vitória, terminando empatado o jogo, que se faltou qualidade técnica, teve emoção até o fim.

 

ST,

Douglas Wandekochen

 

Foto: Mailson Santana

Flu defende longo tabu diante do São Paulo

Invencibilidade já dura 12 anos dentro do Maracanã.

Além de ir em busca da sua segunda vitória no Brasileirão e afirmação na competição no jogo deste domingo (29) contra o São Paulo, o Fluminense defende também uma escrita que já dura 12 anos. Desde 2016 que o Tricolor das Laranjeiras não perde para o time paulista jogando dentro do Maracanã.

O último revés do Fluminense dentro do templo do futebol foi em 2006 quando foi derrotado por 2 a 1. De lá para cá, foram disputados nove confrontos, contabilizando sete vitórias do Fluminense e dois empates. No último jogo, o Tricolor venceu por 3 a 1, em duelo válido pelo Campeonato Brasileiro do ano passado.

Contudo, quando se trata da história do confronto, a vantagem muda de lado. No total, as equipes se enfrentaram 119 vezes. O Fluminense venceu 45 partidas, perdeu 52, houve 22 empates. Além disso, o Tricolor das Laranjeiras marcou 182 gols e sofreu 190.

 

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Mailson Santana

Fluminense divulga parcial de ingressos para jogo diante do São Paulo

Torcedor ainda tem até às 23:50 desta sábado para realizar o check-in.

O Fluminense divulgou na noite deste sábado (28) a parcial de ingressos vendidos para o confronto diante do São Paulo neste domingo (29) às 16h, no Maracanã, onde já foram vendidos 6.500 ingressos.

O número ainda pode aumentar, uma vez que o torcedor têm até às 23:50 deste sábado (28) para realizar o check-in e garantir lugar no jogo.

Há possibilidade ainda de compra nas bilheterias do Maracanã, onde o torcedor poderá adquirir seu bilhete no próprio domingo (29) das 10h até o fim do primeiro tempo, na bilheteria 2 do estádio.

 

ST,

Douglas Wandekochen

 

Top