Mãe de Gilberto admite nervosismo por jogo em Potosí e comemora classificação

Antes mesmo do Dia das Mães, Solange, a mãe de Gilberto, ganhou um presentão do filho: a vaga na segunda fase da Sul-Americana. Para comemorar a continuidade no torneio, Solange vestiu a camisa, chamou o caçula, Lucas, e partiu para o aeroporto do Galeão, na sexta-feira, quando a delegação desembarcou no Rio.

A ocasião, inclusive, pedia a presença de pessoas especiais. Afinal, Gilberto retornava de um dos maiores desafios profissionais – atuar a 4.067 metros de altitude. Depois do sofrimento pelo jogo e pela viagem à Bolívia, marcada por imprevistos desde a saída do Brasil, Solange, enfim, pôde celebrar a classificação.

– O melhor presente de Dia das Mães foi ver aquele jogo, a classificação, foi ter dado tudo certo. Fizeram ligação com a tragédia da Chapecoense, eu fiquei muito nervosa. Já era uma grande dificuldade jogar lá e ainda ouvimos muitas coisas ruins. Confesso que foi preocupante, e ele nos surpreendeu, pois achei que não aguentaria tão bem. Foi muito angustiante. Os 90 minutos não passavam. Mas o presente veio antes, e estou muito feliz – disse, em entrevista ao Globoesporte.com.

No bate-papo com o GE, ficou claro que Solange se enche de orgulho para falar do lateral-direito do Fluminense. Peça importante no time em 2018, Gilberto é indicado pela torcida para Seleção. A mãe, ao ouvir os pedidos no aeroporto, se emocionou e relembrou os tempos em que o camisa 2 buscava realizar seu sonho.

– Gilberto nasceu com o propósito de ser jogador, sempre com a bola. E aprendeu sozinho, não tinha crianças para brincar. Ele jogava sozinho e, conforme ia crescendo, procurava as escolinhas de futebol. Eu não pude acompanhá-lo quando começou a ir aos testes, pois meu caçula tinha acabado de nascer. Mas ele foi sozinho atrás do sonho, até ser contratado pelo CFZ (Centro de Futebol Zico). Depois, ele só cresceu. Espero que continue tudo dando certo para ele – torce.

Mesmo com a rotina agitada do futebol, Gilberto se mantém presente quando o assunto é família. Solange destaca, principalmente, o companheirismo com o caçula.

– Ele é um menino de ouro, muito participativo. Muito família e muito preocupado com a gente. Faz questão de estar com a família. É muito determinado. Tem muita preocupação com o irmão caçula, o Lucas, que é tudo para ele. Nosso orgulho.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua vaga na festa de 116 anos do Fluminense!

Nicholas Rodrigues

Tricolor, 16 anos. Redator do Canal FluNews desde 2015. Apresenta-se nas redes sociais como @nickrodriguesrj