Abelão considera resultado ‘mentiroso’ e define performance do time: ‘Aula de futebol’

A bola pune. É a frase que melhor define o Clássico Vovô desta segunda-feira, vencido pelo Botafogo, por 2 a 1. Embora tenha sido superior durante a maior parte do jogo, o Fluminense desperdiçou chances de gol e, acima de tudo, a oportunidade de encostar nos líderes. O resultado, para Abel Braga, é mentiroso, assim como contra o Corinthians, na primeira rodada.

– Esse resultado é mentiroso. Se fosse empate, seria mentiroso também. Meu time finalizou 21 vezes, 60% de posse de bola. O goleiro (Jefferson) foi um monstro? Foi. Mas teve jogada que ele nem defendeu, chutamos para fora – disse.

A performance do time, talvez a melhor em 2018, impressionou. Orgulhoso, Abelão enalteceu o trabalho do grupo e, inclusive, disse que viu uma aula de futebol no Engenhão.

– O Fluminense, principalmente no 1º tempo, deu uma aula de jogar futebol. Eles foram uma vez e fizeram o gol. Foi brincadeira. No 2º tempo, até o segundo gol, o jogo estava igual. Eu falei para os jogadores que estou orgulhoso. O que os torcedores viram aqui foi fantástico – destacou.

Como nem tudo é perfeito, a parte defensiva é que destoou. Praticamente nulo na partida, o Botafogo ameaçou poucas vezes, mas foi preciso nas oportunidades que teve. Os gols, no entanto, saíram de bola aérea. Mas, na entrevista, o treinador deu um ‘desconto’ à zaga, que teve a entrada de Luan Peres no lugar de Frazan.

– Futebol é assim. Quantos gols de bola parada temos feito esse ano? Uma hora, há desatenção – defendeu, completando:

– Luan não teve culpa em nada, fez um jogo acima do esperado. O Botafogo teve uma jogada muito forte que não conseguiu usar hoje, com Luiz Fernando e Marcinho, e ele se posicionou muito bem.

Confira mais trechos da entrevista:

Jefferson ‘monstro’

Hoje, talvez, se tivesse o titular (Gatito) no gol, tivéssemos ganho. O Jefferson é um monstro. A defesa que ele fez no chute do Sornoza não é possível. A bola não foi reta, caiu um pouco. Eu não acreditei.

Orgulho do time

Tem dia em que você sai decepcionado, vai para casa, tem que tomar uma taça a mais de vinho para poder dormir. Mas estou orgulhoso hoje. Quem vê esse time do Fluminense, que não tem craque, não tem alguém que desequilibre, vê que tem algo a mais nesse time aí. Estou orgulhoso de ser treinador desse time, dessa rapaziada, do ambiente que nós criamos.

Ação ofensiva

Desde o ano passado, não vejo o Sornoza finalizar tanto a gol. Subidas constantes dos laterais. Perdi um jogador de profundidade, que é o Ayrton. Entraram os atacantes, não perdemos o domínio. Mas não conseguimos botar a bola para dentro.

Viagem a Potosí influenciou?

Não vou dar desculpa de nada, de viagem… Nem pensar. Corremos para caramba, jogamos para caramba.

Análise da estreia de Luan Peres

Luan não teve culpa em nada, fez um jogo acima do esperado. O Botafogo teve uma jogada muito forte que não conseguiu usar hoje, com Luiz Fernando e Marcinho, e ele se posicionou muito bem.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Nicholas Rodrigues

Tricolor, 16 anos. Redator do Canal FluNews desde 2015. Apresenta-se nas redes sociais como @nickrodriguesrj