Aos prantos, Pedro deixa o campo com dores na coxa e pode ser desfalque até a Copa

Nesta quarta-feira, na Arena do Grêmio, uma cena preocupou os tricolores. Vivendo a melhor fase da carreira, aos 20 anos, Pedro encontrou a primeira pedra no caminho: machucou-se aos 16’ do segundo tempo, quando pediu para sair por causa de desconforto na coxa esquerda. A dor da lesão e da interrupção de grande momento profissional levaram o centroavante às lágrimas.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro, com cinco gols, deixou o gramado carregado em maca. Segundo estimativa de Abel Braga, sem respaldo de algum exame, Pedro desfalca o time por até três semanas, o que o tiraria dos jogos até a parada para a Copa – a partir do dia 14 de junho.

– Lesão de três semanas, talvez duas. Ele é jovem, não machuca muito. Destino é um negócio. Na hora em que ele foi atendido, no primeiro tempo, por levar uma pancada na cabeça, ficou tonto. Falei para ele sair. Se tivesse saído, não teria tido a lesão. Ele quis ficar, foi uma pena. Tem de começar a medir um pouco: às vezes é melhor perder jogador em um jogo do que em cinco ou seis – disse o técnico.

Xodó da torcida, o camisa 9 será avaliado nesta quinta-feira, no Rio, para descobrir a gravidade da contusão. Ele, que havia sentido o mesmo problema contra o Atlético-PR, há cerca de duas semanas, saiu da Arena mancando.

Na ausência de Pedro, a lógica aponta para titularidade de João Carlos, único reserva da posição. O jogador terminou o confronto em Porto Alegre, válido pela 8ª rodada e que acabou empatado em 0 a 0. Entre críticas e elogios, recebeu mais comentários positivos dos torcedores.

– A gente vai procurar superar. É o negócio: sem o Pedro, joga o João Carlos. Não sei se terei banco. Pablo Dyego pode atuar ali, mas não é de ficar centralizado – explicou Abelão.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!