fbpx

Fluminense desembarca no Rio, e Nathan Ribeiro avalia empate: ‘Ponto importantíssimo’

Depois de empatar com o Grêmio, nesta quarta-feira, na Arena, o Fluminense desembarcou no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com a sensação de dever cumprido. A estratégia era buscar um ponto diante do time gaúcho, considerado o melhor do Brasil. Até pela postura mais defensiva, o primeiro tempo foi sofrido. O panorama do jogo só mudou na segunda metade, quando se viu um time mais ofensivo e que, ao mesmo tempo, soube suportar à pressão.

– Foi um ponto importantíssimo. Sabemos da dificuldade de enfrentar o Grêmio lá. Não fizemos um primeiro tempo brilhante, mas, no segundo tempo, jogamos bem e tivemos chances de gol. Saímos felizes – declarou Nathan Ribeiro, na chegada, antes de completar:

– Nos desgastamos muito no primeiro tempo, o que acabou nos prejudicando na segunda parte. Se não tivéssemos corrido tanto, talvez pudéssemos ter ido melhor no segundo tempo.

Titular na vaga de Gum, poupado por desgaste muscular, Nathan se disse à vontade para atuar ao lado de Renato Chaves e Luan Peres, como nesta 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Consolidado como ponto forte do Fluminense em 2018, a defesa, novamente, chamou a atenção, desta vez por parar os gremistas, invictos no mês de maio.

– Gum é exemplo para todos nós, um grande jogador, com uma história brilhante no clube. Mas Renato e Luan me passaram muita confiança. Fiquei tranquilo – admitiu.

Enquanto os jogadores que começaram o duelo contra o Grêmio folgam neste feriado, os reservas e não-relacionados treinaram no Centro de Treinamento, na Barra, priorizando a parte física. Os titulares se reapresentam na tarde desta sexta-feira, de olho no confronto com o Paraná, dia 04 de junho.


Leia mais declarações de Nathan Ribeiro:

Lesão de Pedro

Essa maratona antes da Copa vai ser um pouco complicada. Temos quatro jogos pela frente. O Pedro é um jogador importantíssimo para o Flu nesse momento. Temos que saber exatamente o que aconteceu, mas espero que não seja nada sério.

Cartão amarelo logo no início

Foi complicado. A gente fica pensando toda hora nisso. Se fosse necessário tomar outro cartão, eu não hesitaria. Mas, graças a Deus, não precisou.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

 

Top