Mal escalado, Fluminense é derrotado pelo Ceará e perde embalo do pós-Copa

Se comparado ao que venceu o Palmeiras, quarta-feira, por 1 a 0, o time derrotado pelo Ceará, agora há pouco, pelo mesmo placar, foi diferente. Retornando de suspensão, Richard e Sornoza barraram Aírton e Marcos Júnior, presentes no jogo de meio de semana. Matheus Norton foi mantido e, completando o meio-campo, Jádson continuou atuando adiantado. Mas o quarteto teve uma tarde infeliz no Presidente Vargas.

À medida que sentia o apoio de sua torcida, o Ceará encontrava espaços na defesa do Fluminense. Primeiro, obrigou Júlio César a operar um milagre, em bola parada. Pouco depois, o goleiro só olhou o chute de Juninho Quixadá esbarrar na trave. Nas duas vezes que chegou com mais perigo, o time carioca acabou prejudicado pela arbitragem. Teve um gol mal anulado, quando o juiz assinalou falta inexistente no goleiro, e reclamou de suposto pênalti, alegando toque de mão do zagueiro.

Aos 40′ do primeiro tempo, o Vozão abriu o placar, com Leandro Carvalho. Ele passou por dois tricolores e, antes de vencer Júlio César, ainda deixou Gum no chão. Era a prova de que Marcelo Oliveira teria de mexer no time e, principalmente, sacar Richard e Matheus Norton, os piores, sem dúvida, da partida.

Oliveira, entretanto, preferiu tirar Sornoza e Jádson e promover as entradas de Luciano e Everaldo, dono da melhor oportunidade do segundo tempo. Com os mesmos problemas de antes, o Fluminense levou azar com seu reforço, que, livre na área, mandou para fora a bola e a chance de o clube encostar no pelotão de cima do Campeonato Brasileiro. No momento, ocupa o nono lugar, com 21 pontos, e pode terminar a rodada em 13º.


Arbitragem

O juizão do jogo, Leandro Bizzio Marinho, aquele mesmo que nos prejudicou contra o Paraná, no primeiro turno, começou os trabalhos cedo. Marcou perigo de gol no lance que faríamos 1 a 0, nos primeiros minutos. Estamos de olho, CBF!

Cadê o meia?

Fluminense sem meio-campo. Eu era a favor de colocar um armador no segundo tempo para fazer a bola chegar nos atacantes, principalmente a Pedro, apagado. Ah, não tem ninguém no banco…

Minhas alterações 

Marcelo poderia ter trocado Richard e Norton por Ibañez e Luciano, colocando o Júnior Dutra para fazer o mesmo papel de quarta-feira. Jádson também é dose para leão!

Déjà Vu

Replay daquele dilema que vivemos há anos: time embala, parece trazer a torcida para perto e tem a chance de subir na tabela. Mas joga mal e perde para time do Z-4. É dureza!


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.