Marcelo Oliveira lamenta calendário apertado e vê Ceará superior fisicamente

A melhor campanha da Série A no retorno da Copa foi travada pelo Ceará, que venceu o jogo deste sábado, em Fortaleza, por 1 a 0. Vindo de triunfo sobre o Palmeiras, quarta-feira, o time sentiu o cansaço, principalmente no segundo tempo, e teve pouco poder de reação. Marcelo Oliveira destaca a maratona de jogos e viagens como determinante para o resultado.

– Tudo que eu falar, depois de uma derrota, pode ter conotação de desculpa. Mas são quatro jogos em 10 dias, com duas viagens para o Nordeste. Se o adversário tivesse feito a mesma coisa, tudo bem. Mas o Ceará jogou na segunda-feira e nós fizemos um clássico nacional na quarta-feira. Fisicamente, ficou nítido que o Ceará estava muito melhor que a gente – disse.

Pressionado durante o primeiro tempo, o time, na visão do técnico, evoluiu na etapa final. A grande dificuldade foi em criar lances de perigo e em fazer a bola chegar a Pedro, artilheiro do Campeonato Brasileiro.

– Eu achei que, principalmente no primeiro tempo, foi dessa forma: não só não conseguimos marcar bem o Ceará, como não conseguimos criar situações. Foi muito pouco. Fizemos uma cobrança natural no intervalo, trocamos jogadores e o segundo tempo foi melhor. Embora também não tenha criado tanto, não demos tantas chances para o Ceará – avaliou, antes de explicar por que o camisa 9 quase não apareceu:

– Pedro é um ótimo finalizador. Precisa de jogadas para fazer o gol e criamos muito pouco, principalmente no primeiro tempo. Não foi uma tarde feliz. O cansaço bateu forte também, mas estamos firmes na caminhada do trabalho – concluiu.


Confira mais respostas do treinador:

Opções para o time

– Acho que, hoje, o Marcos Júnior fez falta porque vem jogando bem, entrosado com o Ayrton pelo lado esquerdo. A diretoria do Fluminense está atenta a qualquer situação nova, possibilidade. Um jogador que queremos para o meio é raro.

Foco na Sul-Americana

– Mas, da mesma forma que ganhamos três jogos, não vamos agora achar que está tudo errado. Vamos mudar a chave para o jogo de quinta-feira e esperar o apoio da torcida.

Alterações ao longo do jogo

– No caso do Jádson, estava mais cansado e não estava conseguindo marcar o lateral. Luciano é um jogador que vem treinando muito bem e estava esperando oportunidades. Tem um chute muito forte de fora da área. Poderia encostar no Pedro, como meia e atacante. Bate muito bem essas bolas paradas. Infelizmente, temos a melhor intenção, mas é preciso também ver o mérito do Ceará, que marcou forte, recuou e utilizou bem do gol marcado.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.