fbpx

Com gol olímpico de Sornoza, Fluminense vence retranca e leva vantagem para o Uruguai

A quinta-feira no Maracanã reservou aos 15 mil tricolores um jogo de um time só. Pois era o Fluminense quem buscava o gol, enquanto o Defensor, fazendo jus ao nome, se defendia. Embora com certa demora, a fórmula para sair do 0 a 0 foi encontrada e praticada aos 41′ do segundo tempo. Digão, em cabeceio, e Sornoza, minutos depois, com uma obra-prima que encantou o Brasil, fizeram o 2 a 0.

Desde que a bola rolou, às 21h45, os uruguaios adotaram uma postura que apontava seu objetivo: sair do Rio de Janeiro sem tomar gols. Mas, para tal, foram além da retranca. Fizeram o antijogo. Cera, principalmente, marcou o que foi a atuação do Defensor na ida da segunda fase da Sul-Americana. Só que é o que dizem no futebol: a bola pune.

Houve, inclusive, o absurdo de um deles se jogar fora do campo e voltar engatinhando. Levou amarelo, pelo menos.

Eram nove adversários atrás da linha de meio-campo, com Waterman, o centroavante solitário, tentando desafogar a pressão do Fluminense. Sem sucesso, é claro. Afinal, Júlio César apenas assistiu às investidas tricolores. Marcelo Oliveira, por sua vez, apostou na ofensividade, com três atacantes. Apesar do maior tempo de posse de bola, disparado, o time da casa pouco levou perigo ao gol do Defensor. A chance que, no primeiro tempo, ainda fez a torcida se empolgar foi de autoria de Sornoza, que mal sabia que acabaria o nome da rodada.

Na segunda metade do duelo, a dificuldade em chegar à área rival persistia. A alternativa foi arriscar chutes de longa distância e fazer o goleiro trabalhar. Em um cruzamento, Pedro teve a melhor jogada. Observado por olheiros de Tite na Seleção, o camisa 9 passou em branco, completando quase duas semanas sem marcar, e, quando viu a bola chegar redondinha, tocou para fora.

O próprio Marcelo Oliveira reforçou, nas últimas entrevistas, a importância de levar vantagem para o embate na casa do adversário. E, nos minutos finais, Digão abriu caminho para a vitória. Fez gol em sua centésima partida pelo clube, ao qual retornou neste meio de ano. Para encerrar com chave de ouro, Sornoza, simplesmente, fez um lindíssimo gol olímpico. Talvez o mais bonito do novo Maracanã.

O reencontro entre Fluminense e Defensor é dia 16 de agosto, em Montevidéu. Caso confirme a vaga nas oitavas-de-final, o Tricolor pegará o Deportivo Cuenca, do Equador.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

Top