Aírton reclama de cera do Bahia, mas reconhece erro em falta de fair-play: ‘Cabeça quente’

Foi com confusão que Fluminense e Bahia se despediram do Maracanã neste domingo. Aos 48′ do segundo tempo, Ibañez caiu no gramado e, para pedir atendimento, o time baiano mandou a bola para a lateral. Quando Aírton foi cobrar o arremesso, ignorou o fair-play e seguiu o jogo.

A iniciativa do volante despertou a ira do adversário, que havia empatado o placar dez minutos antes. Alguns foram até Aírton para tirar satisfação, o que gerou todo o tumulto. Enquanto o problema era contornado, o pivô da polêmica foi para o vestiário, quando, ao SporTV, resumiu:

– Quero ganhar o jogo, pô! Eles estão enrolando.

Ao passar pela zona mista para sair do estádio, Aírton manteve o discurso de que o Bahia estava fazendo cera, mas reconheceu  e explicou seu erro.

– Eu estava ali de cabeça quente. A gente quer ganhar o jogo, dentro de casa. Nosso jogador caiu, eles jogaram para fora. Eles estavam segurando o jogo. Na hora eu acabei não devolvendo a bola. Eles vieram reclamar, eu peço desculpas e bola para frente – declarou.

Durante entrevista, Marcelo Oliveira nega que tenha recomendado a ação e repudia o episódio.

– Não foi uma orientação nossa. Os próprios jogadores também não concordam exatamente com aquilo. Partiu de três jogadores envolvidos na jogada, talvez pela ânsia de ganhar o jogo. Acho que não foi a melhor atitude. Mas, mesmo assim, não precisava ter aquela confusão dos jogadores indo para cima, querendo briga. Isso não vai melhorar a situação. Vou orientar novamente, chamar a atenção sobre essa situação. Tínhamos que devolver a bola. Se não pela lateral, pelo menos devolver em jogo, já que o Bahia, naquele momento, estava caindo muito e querendo que o jogo terminasse. Infelizmente aconteceu, mas tenho certeza que não vai voltar a acontecer – afirmou.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte e Foto: Globoesporte.com