fbpx

Candidato à vaga de Léo, Airton cobra “inteligência” para eliminar o Nacional

Quanto ao time que começará o duelo desta quarta-feira, contra o Nacional, a maior incerteza é sobre a presença de Léo, desfalque na semana passada por edema na coxa. Marcelo Oliveira trabalha com a ideia de improviso e, nos dois treinos no Uruguai, testou algumas opções. A poucas horas da partida, que determinará um dos classificados à semifinal da Sul-Americana, o principal candidato à vaga é o volante Airton.

– A pressão será muito grande. A torcida deles fica muito em cima, mas sabíamos que isso aconteceria, então nos preparamos. Mostramos amadurecimento e inteligência fora de casa nas outras fases. Temos que focar nisso e jogar futebol – avisou.

Na ida, no Nilton Santos, o camisa 5 entrou no segundo tempo e reforçou a marcação. Inclusive, completou, neste sábado, seu décimo jogo com a camisa verde, branca e grená. Caso ele seja mesmo o escolhido do técnico, a tendência é que Jádson assuma a lateral-direita. No empate em 1 a 1, a missão ficou para Matheus Alessandro.

– Estamos prontos. Treinamos bem e sabemos que, se colocarmos tudo em prática, temos grandes chances de conquistarmos nossos objetivos. Será um jogo muito difícil e precisaremos mais que do que nunca de cabeça no lugar e inteligência – alertou.


Provável escalação:

Júlio César; Gum (Paulo Ricardo), Ibañez e Digão; Léo (Airton), Richard, Jadson, Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Marcelo Oliveira mantém incertas escalações de Gum e Léo em jogo decisivo da Sula

Gum (entorse no joelho e inchaço no tornozelo) e Léo (edema na coxa), que se recuperaram de seus problemas físicos, ainda são dúvida no Fluminense, que tem jogo decisivo, contra o Nacional, pela Sul-Americana, nesta quarta-feira. Embora treinem com o time desde domingo, os jogadores correm o risco de começar no banco. À imprensa, no Uruguai, Marcelo Oliveira detalhou ambos os casos.

– Léo preocupa um pouco mais. Ainda está um pouco inseguro e temos a chance de testá-lo pela última vez nesta terça para decidir. Sobre o Gum, a expectativa é melhor. Ele está sentindo um pouco o tornozelo, mas é um tipo de lesão que dá para jogar. Gum se posiciona muito bem, é importante, experiente. Vamos aguardar. O importante é entrar forte, com bom equilíbrio entre a defesa e o ataque – disse.

Gum tem Paulo Ricardo como reserva imediato. Foi ele, inclusive, que comandou a defesa na goleada para o Santos, sábado, pelo Brasileirão. No entanto, caso a ausência de Léo seja confirmada, a solução é improvisar, o que vem acontecendo desde a derrota no clássico contra o Flamengo, há duas semanas. Gilberto, dono da vaga, está lesionado. Marcelo Oliveira revelou que testou algumas alternativas, mas escondeu a escalação que vai a campo logo mais.

– Tenho ideia, sim (de possíveis substitutos). Já treinamos uma outra opção. Só não vou falar agora. Posso escalar um time aqui hoje e depois jogar com outro. Temos opções, será uma improvisação. Não há um lateral de ofício, um ala. Mas temos confiança naqueles jogadores. Hoje um atleta precisa jogar em mais opções e isso nos anima muito, nos dá confiança de que qualquer um que entrar, entrará com força total – falou.

A delegação chegou ao Uruguai na segunda-feira, quando fez o primeiro treino em terras estrangeiras. Na terça-feira, além do reconhecimento do gramado do Parque Central, palco do duelo, houve nova atividade. Precisando vencer ou empatar por dois gols ou mais, o Fluminense, inicialmente, deve adotar uma postura mais cautelosa.

– Acho que não vai ser um jogo assim, de sair para cima. Vai ter uma marcação forte. Nacional tem como característica jogar para frente. Já percebemos isso no Rio de Janeiro, eles não abriram mão de atacar. Vai ser um jogo equilibrado, de marcação forte, competitivo. Temos que estar atentos e criar uma estratégia boa. Se durante o jogo precisarmos mudar, sair com tudo, vamos fazer. Mas tem que ter o momento certo para isso.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com

Fluminense vende poucos ingressos, e torcedores do Nacional fazem campanha para tomar setor de tricolores

A torcida uruguaia esgotou os ingressos para o jogo desta quarta-feira, no Parque Central, pela Sul-Americana, mas ainda quer mais. De acordo com a imprensa local, foram liberados 2 mil ingressos para o Fluminense, que vendeu, até esta segunda-feira, apenas 300. A baixa procura fez os torcedores rivais iniciarem, inclusive, uma campanha nas redes sociais. Trata-se da #ScaroneParaNacional (o nome da tribuna). 

A imagem acima, divulgada por um adversário, quer dizer, em português, que “não vem nem 300 brasileiros. Liberem a scarone!”. 

Com os pedidos de seus fãs, o Nacional tenta, junto à Conmebol, liberar a arquibancada destinada aos tricolores, sob a alegação de que o clube brasileiro não comercializou o mínimo necessário, estimado em 600 entradas. Por outro lado, no jogo de ida, semana passada, no Nilton Santos, o adversário vendeu cerca de apenas 400 bilhetes. Caso haja consenso, é possível que parte da arquibancada Scarone seja aberta para os uruguaios.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Gum e Léo são novidades em primeiro treino no Uruguai e dependem de M. Oliveira para enfrentar o Nacional

Ainda que como dúvidas, Gum e Léo se juntaram à delegação que foi ao Uruguai nesta segunda-feira, de olho no duelo contra o Nacional, pela Sul-Americana. Poucas horas depois da viagem, os jogadores fizeram, no estádio Luiz Franzini, o primeiro treino em solo uruguaio. Ambos, que se recuperam de lesões, estiveram presentes na atividade tática. A tendência é que eles entrem em campo na quarta-feira. 

– A gente trabalhou com os dois, acho que estarão aptos a jogar. Tenho certeza de que vai ser uma ajuda muito importante – revelou Jádson, em entrevista à imprensa no Uruguai.

Gum sofreu uma entorse no joelho direito no jogo de ida, há uma semana. Também houve inchaço no tornozelo da mesma perna. O zagueiro, inclusive, foi poupado da goleada para o Santos, pelo Brasileirão, no fim de semana, assim como os demais titulares. 

Léo, por sua vez, se ausentou da primeira partida, no Nilton Santos, por conta de um edema muscular. Na ocasião, sua vaga ficou para Matheus Alessandro. Nas outras vezes em que esteve impedido de atuar, deu lugar a Matheus Norton, que sobrou da relação de Marcelo Oliveira.

Nesta terça-feira, o time fará novo treinamento e, também, o reconhecimento do gramado do Parque Central, palco do encontro que decidirá o classificado à semifinal da Sula. Será quando o técnico definirá quem começa jogando.


Confira os relacionados:

GOLEIROS: Júlio César e Rodolfo 

LATERAIS: Ayrton Lucas, Léo e Marlon

ZAGUEIROS: Digão, Gum, Ibañez e Paulo Ricardo

VOLANTES: Airton, Caio, Dodi, Jadson e Richard

MEIA: Sornoza

ATACANTES: Everaldo, Junior Dutra, Luciano, Marcos Jr. e  Matheus Alessandro.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Jádson ignora má fase do Nacional e pede time concentrado em “clima hostil” no Uruguai

A delegação do Fluminense desembarcou no Uruguai na tarde de segunda-feira e entrou no clima da decisão de amanhã, pela Sul-Americana. Embora esteja em desvantagem na disputa pela vaga na semifinal, o time, segundo Jádson, tem condições de eliminar o Nacional. 

– Temos que nos manter concentrados, fazer nosso trabalho da melhor maneira possível. Tenho certeza de que temos capacidade de sair daqui com um resultado positivo – disse, em primeira entrevista à imprensa em solo uruguaio.

Em contrapartida, o volante se preocupa com a postura de seus companheiros perante a presença da torcida rival, que esgotou os ingressos para o jogo, no Parque Central. É a primeira vez que os tricolores enfrentarão casa cheia nesta edição do torneio. 

– A maior dificuldade que vamos enfrentar é manter a concentração durante os 90 minutos. A gente sabe que será um clima bastante hostil. Eles fazem com que o clima fique assim. A torcida, todos os envolvidos na partida – relembrou.

No entanto, o clube encarou algumas dificuldades até chegar às quartas-de-final da Sula. As altitudes de Potosí e Quito, por exemplo, amadureceram o elenco para mais uma adversidade.

– Nossos jogos da Sul-Americana fora de casa até aqui não tiveram pressão da torcida. Mas pegamos altitude de quase 4 mil metros em Potosí. O fato de termos passado por uma situação como essa e, depois, a altitude em Quito nos credencia para fazer um bom jogo aqui, independente de qualquer coisa externa. Conseguimos fazer um bom trabalho nessas duas adversidades que enfrentamos fora. Tenho certeza de que não vai ser diferente aqui. Temos condições de fazer um bom jogo e sair com a classificação – cravou.

O que, talvez, tranquilizasse o Fluminense para o duelo é a fase ruim do Nacional, que está sem vencer há quatro partidas e, no fim de semana, perdeu a final do Torneio Clausura para o Peñarol. Jádson, porém, minimiza as estatísticas.  

– Os números passados só servem para a história. Na hora da partida, não influencia tanto assim. Influencia mais a nossa atitude, a forma que vamos nos adaptar ao jogo, a pressão deles que vai acontecer. Temos que saber sofrer, estar concentrados e colocar em prática o trabalho dos últimos dias.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Apresentador crava volta de Fred ao Fluminense

Edilson Silva garante volta do atacante ainda este ano ao Tricolor.

De acordo com o apresentador Edilson Silva, do programa “Os Donos da Bola”, da rede Bandeirantes, o atacante Fred retornará ao Fluminense ainda em dezembro deste ano.

A informação foi dada pelo jornalista em seu programa na tarde desta segunda-feira e publicada no perfil oficial do programa.

Fred saiu do Fluminense no final de 2016 quando se transferiu para o Atlético Mineiro, onde atuou até dezembro de 2017. No início deste ano o atacante se transferiu para o Cruzeiro em uma transferência que frustrou vários tricolores que, contavam com seu retorno ao clube das Laranjeiras. Já na raposa o jogador rompeu os ligamentos do joelho nas semifinais do Campeonato Mineiro e só retornou ao time celeste na reta final do Brasileirão e Copa do Brasil, tendo marcado inclusive um gol na última partida da equipe mineira no último sábado (27), diante do Paraná.

 

foto: Getty Imagens

Matemático diz que Fluminense ainda corre risco de rebaixamento em 2018

A poucas rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, os torcedores estão com a calculadora em mãos e preocupados com o futuro de seus times nesta temporada. Quem também começou as projeções sobre a tabela foi o matemático Tristão Garcia, que dá o Paraná como rebaixado (com 99%) e só vê mais três vagas para a Série B do ano que vem.

A disputa contra a degola começa no Fluminense, o décimo colocado, com 40 pontos. De acordo com os cálculos de Tristão, o clube tem apenas 1% de chance de figurar entre os quatro últimos. Mas o foco nas Laranjeiras continua sendo de alcançar, pelo menos, 46 pontos. Goleado pelo Santos no fim de semana, o time de Marcelo Oliveira enfrenta, sábado, o Vasco, no Maracanã. Ocupando o 13º lugar, os cruz-maltinos somam 35 pontos e têm 40% de chances de cair.

– Ainda temos de estar atentos para chegar à pontuação de se livrar do risco. Ainda é possível chegar na Libertadores, mas a prioridade ainda é nos livramos de qualquer risco da parte de trás – disse o técnico, há uma semana, depois de vencer o Atlético-MG.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

 

Fernando Neto recomeça no Fluminense e comemora atuação contra o Santos: “Fiz um bom trabalho”

O uso do time alternativo na derrota para o Santos, sábado, por 3 a 0, serviu para o Marcelo Oliveira considerar novas opções para o fim da temporada. Enquanto a maioria teve uma atuação ruim, dois reservas conseguiram mostrar serviço: Rodolfo e Fernando Neto, fruto do Flu-Samorin. Ele pôde, finalmente, voltar a vestir a camisa verde, branca e grená, depois de mais de três anos.

– Procurei dar o meu melhor. Mesmo não indo para os jogos, procurei sempre me esforçar nos treinos. Sabia que uma hora a minha chance ia chegar. Mais para frente é o Marcelo que vai avaliar. Acho que fiz um bom trabalho. Quero trabalhar para cada vez mais ajudar o Flu – disse o lateral-esquerdo, que vê o período na Eslováquia como vantajoso:

– Acho que é a terceira vez que estou voltando. Aprendi bastante a parte tática na Eslováquia. Lá joguei na mesma posição de hoje (sábado). Procurei evoluir e a experiência foi muito boa. Voltei em julho com a expectativa de jogar e dei meu melhor em todos os treinos. Acho que nos portamos bem no primeiro tempo, mas o pênalti abalou um pouco a equipe. Agora é pensar na Sul-Americana – finalizou.

Aos 25 anos, Fernando Neto foi revelado em Xerém e rodou o Brasil com empréstimos, defendendo, por exemplo, Macaé, Santo André e Vila Nova. Como no último fim de semana, pode ser improvisado no meio-campo. A delegação viajou ao Uruguai na manhã desta segunda-feira, em razão da decisão contra o Nacional, pela Sul-Americana, e a presença do jogador na lista de relacionados ainda é incerta.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Fluminense viaja para o Uruguai com dúvidas na defesa

Zagueiro Gum e lateral Léo viajaram com a equipe, mas seguem como dúvida para a partida.

A equipe do Fluminense embarcou na manhã desta segunda-feira (29) rumo ao Uruguai onde vai enfrentar o Nacional-URU, na próxima quarta-feira (31) pelo jogo de volta das quartas de finais da Copa Sul-Americana.

O zagueiro Gum e o lateral direito Léo, viajaram com a delegação e, mesmo recuperados de problemas médicos,  seguem como dúvida para a partida. Gum sofreu uma entorse no joelho direito durante o segundo tempo da primeira partida. Já Léo, ficou de fora das últimas três partidas do Tricolor (Atlético Mineiro, Nacional-URU e Santos) devido a um edema na coxa direita.

O técnico Marcelo Oliveira deverá segurar o mistério até momentos antes da partida, mas é provável que conte com a presença da dupla.

Como terminou o primeiro jogo, no Rio, empatado em 1 a 1, no Rio, o Tricolor terá de vencer a partida ou conquistar qualquer empate superior ao 1 a 1 do primeiro confronto para garantir a classificação. O Nacional, se garante com o 0 a 0. Caso se repita o placar do último jogo, a decisão será definida nos pênaltis.

 

foto: Lucas Merçon

Marcelo Oliveira tira lições de derrota para o Santos e mantém confiança na Sula

Cheio de reservas, o time do Fluminense chegou à Vila Belmiro, neste sábado, com o objetivo de resistir à pressão do Santos. A estratégia funcionou até os minutos finais. Bastaram algumas desatenções e, em cinco minutos, estava consolidada a goleada de 3 a 0. Mas, segundo Marcelo Oliveira, é possível tirar lições da derrota.

– Pretendíamos segurar o Santos, tirar o empate para contra-ataque, aproveitar uma bola parada ou uma arrancada. Fica a lição de que alguns desses jogadores poderão ser úteis na sequência do Brasileiro e da Sul-Americana – disse, completando:

– Ficam como positivas a entrega e a disposição dos jogadores. Pelo menos três estavam com câimbras e não saíram. Sustentamos o empate até os 35 minutos do segundo tempo, mas é sempre difícil jogar aqui.

A opção por poupar os titulares tem uma razão: a decisão na Sul-Americana, quarta-feira, frente ao vice-campeão uruguaio, Nacional. O excesso de jogos em um curto período de tempo desgastou os principais nomes do elenco, que vão descansados para lutar pela vaga na semifinal do torneio. A ida terminou empatada em 1 a 1, o que obriga os tricolores a vencer ou conseguir igualdade a partir de dois gols.

– Agora temos um jogo dos mais importantes. Nacional mostrou qualidade no Rio. É possível reverter a vantagem. Esperamos que esse descanso tenha valido a pena. O calendário é apertado, seriam quatro jogos em dez dias. Vamos fortes e confiantes de que podemos buscar o resultado que nos interessa.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top