fbpx

Jádson ignora má fase do Nacional e pede time concentrado em “clima hostil” no Uruguai

A delegação do Fluminense desembarcou no Uruguai na tarde de segunda-feira e entrou no clima da decisão de amanhã, pela Sul-Americana. Embora esteja em desvantagem na disputa pela vaga na semifinal, o time, segundo Jádson, tem condições de eliminar o Nacional. 

– Temos que nos manter concentrados, fazer nosso trabalho da melhor maneira possível. Tenho certeza de que temos capacidade de sair daqui com um resultado positivo – disse, em primeira entrevista à imprensa em solo uruguaio.

Em contrapartida, o volante se preocupa com a postura de seus companheiros perante a presença da torcida rival, que esgotou os ingressos para o jogo, no Parque Central. É a primeira vez que os tricolores enfrentarão casa cheia nesta edição do torneio. 

– A maior dificuldade que vamos enfrentar é manter a concentração durante os 90 minutos. A gente sabe que será um clima bastante hostil. Eles fazem com que o clima fique assim. A torcida, todos os envolvidos na partida – relembrou.

No entanto, o clube encarou algumas dificuldades até chegar às quartas-de-final da Sula. As altitudes de Potosí e Quito, por exemplo, amadureceram o elenco para mais uma adversidade.

– Nossos jogos da Sul-Americana fora de casa até aqui não tiveram pressão da torcida. Mas pegamos altitude de quase 4 mil metros em Potosí. O fato de termos passado por uma situação como essa e, depois, a altitude em Quito nos credencia para fazer um bom jogo aqui, independente de qualquer coisa externa. Conseguimos fazer um bom trabalho nessas duas adversidades que enfrentamos fora. Tenho certeza de que não vai ser diferente aqui. Temos condições de fazer um bom jogo e sair com a classificação – cravou.

O que, talvez, tranquilizasse o Fluminense para o duelo é a fase ruim do Nacional, que está sem vencer há quatro partidas e, no fim de semana, perdeu a final do Torneio Clausura para o Peñarol. Jádson, porém, minimiza as estatísticas.  

– Os números passados só servem para a história. Na hora da partida, não influencia tanto assim. Influencia mais a nossa atitude, a forma que vamos nos adaptar ao jogo, a pressão deles que vai acontecer. Temos que saber sofrer, estar concentrados e colocar em prática o trabalho dos últimos dias.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top