Digão pede união entre time e torcida e lamenta atrasos salariais: “Atrapalha”

Assim que o juiz encerrou a partida desta quinta-feira, em que o Fluminense acabou derrotado pelo Bahia, por 2 a 0, a reportagem do SporTV flagrou Digão consolando Luciano, que estaria abalado pelo sexto jogo de seca e sem os três pontos. Na saída do campo, quando se deu o último contato entre os jogadores e a imprensa, o zagueiro confessou que os atrasos salariais têm interferência mesmo quando a bola rola.

– Eu seria hipócrita de falar que não atrapalha. O momento é conturbado fora de campo e atrapalha muito. É um grupo jovem, alguns jogadores ficam abalados. Mas não vamos desanimar. Vamos continuar correndo um pelo outro para deixar o Fluminense na primeira divisão – afirmou, em entrevista ao canal da Globosat.

Restam duas rodadas, contra Internacional e América-MG, para o clube se garantir na primeira divisão do ano que vem. Digão pediu que a torcida se una ao time e abrace a luta contra a queda para a Série B. No momento, o Fluminense ocupa a 13º colocação, com 42 pontos e a uma distância de quatro para a zona de rebaixamento.

– Papo é para não desanimar. O resultado foi muito ruim. Precisamos um abraçar o outro para ter cabeça boa diante do Internacional. Vamos fazer o possível para levar um grande resultado para o Rio de Janeiro. No Fluminense sempre foi muito difícil, mas a torcida vai nos abraçar e vamos deixar o clube no lugar em que ele merece, a primeira divisão. Temos que terminar o ano dignamente – completou.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.