Em chegada ao Rio, Fluminense frustra torcedores que vieram do Macapá

Depois da derrota para o Internacional, por 2 a 0, no Beira-Rio, o Fluminense chegou ao Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira, preocupado com possíveis protestos de torcedores. Assim como fez no retorno de Salvador, no meio de semana, o clube reforçou a segurança para impedir maiores problemas.

Desta vez, foram 15 seguranças que, somados aos profissionais do aeroporto do Galeão, formaram uma equipe de 23 pessoas, além de um policial militar. De novo, não houve confusão, mas a delegação preferiu desembarcar pela pista, onde acessou o ônibus que a levou para o Centro de Treinamento, na Barra, onde ocorreria um treino fechado à imprensa. O temor era de que houvesse mais tricolores no entorno do local.

Havia seis torcedores que aguardavam a chegada do elenco. Dois deles se deslocaram de bem longe e, sem conseguir conhecer os jogadores, acabaram frustrados, mesmo após uma espera de duas horas. São eles Marco André e seu filho, Davi, que saíram de Macapá para o Rio, no objetivo de assistir ao segundo jogo da semifinal da Sul-Americana, quarta-feira, contra o Atlético-PR, no Maracanã.

– Viemos de longe por conta de uma paixão que não se explica. Vamos torcer, acredito. Mas a situação é difícil. Os caras (jogadores) têm de receber os (salários) atrasados. A diretoria precisa honrar os compromissos – disse Marco André.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.