fbpx

Maioria apoia mudança estatutária, e eleição no Fluminense será remarcada

Convocada por Pedro Abad para promover uma mudança no estatuto, a Assembleia Geral ocorreu durante este sábado, nas Laranjeiras, e aprovou a antecipação da eleição, prevista, inicialmente, para novembro. A tendência é que seja remarcada para março. 

– O processo se desenrola de uma forma que precisa ser respeitado. O primeiro passo é registrar essa ata no Registro Civil de Pessoa Jurídica. Depois, sim, podemos divulgar a data da nova eleição. O pessoal trabalhou pesado para fazer esta assembleia em tempo recorde. Precisamos reorganizar o clube para fazer uma outra. Então, não pode ser em um prazo extremamente curto pois os candidatos precisam montar as suas chapas. Um mínimo de apresentação das suas plataformas. Será da forma mais célere que pudermos fazer. Tenho a data que eu quero na cabeça, mas, por respeito ao processo, ela ficará guardada por enquanto – revelou o presidente.

Eram 10.501 sócios aptos a votar. Porém, apenas 994, ou seja, menos de 10% se encaminharam à sede para expressar seu posicionamento quanto à proposta, que divide opiniões entre os personagens mais influentes na política do clube. Foram 812 favoráveis e 179 contrários à antecipação. Houve três nulos. 

A votação terminou às 18h, mas a apuração levou algum tempo até ser iniciada e, depois, concluída. Os sócios assinalaram a opção desejada em uma cédula de papel, colocada numa urna. O resultado saiu por volta de 19h10. 

Oposicionistas até ensaiaram um pedido de recontagem dos votos, mas recuaram da ideia. A assembleia, inclusive, pode virar alvo de ações judiciais, sob a alegação de suposto desrespeito ao estatuto. 

Letícia Tavares, sócia que impetrou processos contra o Fluminense para cancelar a Assembleia Geral, disse que recebeu a carta de convocação para votar e, ao chegar ao local, acabou impedida, uma vez que ainda não tem o tempo mínimo de associação. A reclamação se junta a mais sete ocorrências registradas em ata, segundo o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite.

– Existem alguns protestos na ata que devem ser analisados. Pedi a um tabelião para fazer a ata para termos transparências. Alguns sócios reclamaram. Fiz a minha parte de comandar a assembleia. Em dez dias, a ata fica pronta e, apartir daí, o presidente do clube, caso não haja objeção, tomará as providências que achar – declarou.

Pedro Abad deixou seu voto na urna às 11h50 e acompanhou o processo ao longo do dia. Mário Bittencourt, Ricardo Tenório e Celso Barros, o triunvirato que montará chapa para a próxima corrida eleitoral, compareceram à sede. Assim como Pedro Antônio e Cacá Cardoso, que se declararam contra a alteração estatutária. 

— É um passo importante para que o Fluminense possa reconstruir sua história, se recolocar nos caminhos das vitórias, se reconstruir como gigante do futebol brasileiro e resgatar sua alma. Acho que foi muito importante esse primeiro passo. O segundo é a eleição que, possivelmente, vai ser em março — avaliou Mário Bittencourt, em entrevista à VAVEL.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.


LEIA MAIS: Pedro Antônio vê renúncia como saída ideal e discorda de Assembleia; “Sou contra rasgar o estatuto”

LEIA MAIS: Ricardo Tenório aprova Assembleia Geral: “Fluminense não aguenta duas eleições num só ano”

 

4 Replies to “Maioria apoia mudança estatutária, e eleição no Fluminense será remarcada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top