Abad diz que Vasco quer “burlar” contrato entre Fluminense e Maracanã: “Absurdo”

Finalistas da Taça Guanabara, Fluminense e Vasco protagonizam a primeira polêmica do clássico marcado para 17h deste domingo, no Maracanã. Sem se envolver na discussão, o consórcio que gerencia o estádio apenas alega que não pode interferir na divisão das arquibancadas entre as torcidas, uma vez que o mando, definido em sorteio, é cruz-maltino.

– Outras vezes, essa discussão aconteceu e foi respeitado o contrato. Agora, por motivos que a gente não sabe, o Maracanã quer descumprir atendendo a uma posição do Vasco. O Vasco também sabe do contrato e quer burlá-lo – disse Pedro Abad, emendando:

– Coloquei claramente que não é assim. Ninguém pode fazer o que quiser. Não se pode ter contrato entre Maracanã e Vasco que tire o torcedor do Fluminense do Setor Sul.  O Maracanã está descumprindo uma determinação deliberadamente. É um absurdo.

Por sua vez, o presidente Abad relembra o contrato firmado entre o clube e o Maracanã em 2013. Após presenciar reunião na FERJ e se surpreender com o anúncio de que o rival iniciaria a venda de ingressos para o lado à direita das cabines de TV e rádio, ele, pessoalmente, comunicou o Consórcio.

–  O Fluminense tem um contrato que determina que qualquer time que o enfrente como mandante lá tem de respeitar o lado da torcida. Aliás, não é só o contrato. É uma decisão judicial, a liminar dada no processo que discute o contrato. Ela determinou que o aditivo quatro rege a relação. Há uma cláusula que diz que o Fluminense, mesmo como visitante, tem o direito de ter o seu torcedor no Setor Sul. Isso tem de ser cumprido – avisou.

Nas Laranjeiras, a diretoria recebeu um representante do Vasco, enviado para resolver o esquema da comercialização dos bilhetes para o jogo, mas reafirmou que não colocará os tricolores no espaço Norte. A ideia é levar o caso à Justiça.

– Não permitimos. Não vamos permitir que seja assim. O Fluminense não aceita. O regulamento não fala nada sobre o lado da torcida. O Vasco tem direito de escolher o campo que ele quiser jogar. E cabe ao Maracanã impedir que o Vasco faça a venda de ingressos do setor que cabe ao Fluminense. A ação judicial visa impedir que o nosso contrato com o Maracanã seja descumprido.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Deixe uma resposta