fbpx

Em tumulto, torcedores se machucam e são encaminhados a hospital

A ordem judicial que previa portões fechados no Maracanã, que sediou a final da Taça Guanabara, seria cumprida, após o juiz do JECRIM (Juizado Especial Criminal) vetar documento que contrariava o estabelecido. Contudo, os vascaínos, barrados nos acessos às arquibancadas, confrontaram a Polícia no local e deram início a um enorme tumulto. Reação se deu, por exemplo, com bombas de efeito moral e gás de pimenta.

Aos 30′ do primeiro tempo, com um cenário um pouco mais tranquilo, o desembargador Andre Emílio Ribeiro permitiu a entrada do público para assistir ao clássico vencido pelo Vasco por 1 a 0. FERJ anunciou 29 mil presentes.

– É uma vergonha para o futebol, para a sociedade, para as torcidas. Jogar uma parte da final da Taça Guanabara para depois chegar a torcida no meio do jogo é uma coisa vexatória – disse Fernando Diniz.

Foram 29 torcedores socorridos na confusão generalizada desta tarde. Destes, dois – um com ombro deslocado e outro ferido na perna por bala de borracha – precisaram ser levados ao Hospital Souza Aguiar, no Centro. Seus nomes não foram revelados.

Preocupado com o clima que se desenhava para o duelo, a PM optou por aumentar o efetivo que atuaria na região.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top