Em jejum de gols, Yony não se abala e comemora apoio dos tricolores: “Foi algo sonhado”

Yony González precisou de pouco tempo para se tornar um dos personagens preferidos dos tricolores. Com gols, boas atuações e carisma, construiu um início arrasador e ganhou até música, em referência à sua nacionalidade. Todavia, o colombiano encontrou no caminho uma seca de gols que dura seis jogos; ainda assim, diz não se abalar.

– Fazer gol é sempre importante, mas estou feliz porque estou jogando, estou ajudando a equipe com assistências quando não consigo fazer gol. Sigo trabalhando. Vem partidas importantes e espero contribuir com gols.

O jogador vem se posicionando como centroavante, função que pertence a Pedro, lesionado. Por isso, inclusive, deve haver uma pressão por gols. Na volta do camisa 9, prevista para abril, existe a expectativa por uma futura concorrência. Por outro lado, Yony entende que seu lugar é pelas pontas.

– Pedro é um grande jogador. Grande centroavante. No momento, estou jogando de centroavante, mas não é a minha posição habitual. Em Junior Barranquilla, eu jogava mais pelas pontas. O professor vai buscar pôr os melhores sempre. Espero que Pedro volte rápido. É um jogador que a equipe precisa. Vou seguir trabalhando para ajudar a equipe.

Nem a confiança do atacante e nem sua relação com os torcedores foram estremecidas por conta do jejum. A próxima oportunidade de voltar a balançar a rede é na tarde desta sexta-feira, em jogo contra o Resende, em Moça Bonita.

– A sintonia com a torcida e com as pessoas próximas ao Fluminense é muito boa. Foi algo sonhado. Quando fiz os gols foi bom dar alegria para as pessoas. Espero marcar muitos gols e espero que a torcida do Fluminense continue apoiando – destacou.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

Deixe uma resposta