Nino vibra com chance no Fluminense e relembra crise no Mogi Mirim: “Pensei em desistir”

Treinando com o elenco desde meados de fevereiro, Nino se apresentou à imprensa apenas nesta terça-feira, após ser anunciado na semana passada. Quase indo às lágrimas, o zagueiro destacou a reviravolta numa carreira que poderia ter sido encerrada por instabilidade no Mogi Mirim.

– Sou jogador de 21 anos, de Recife. Saí de lá muito cedo para jogar no Mogi Mirim, em São Paulo. Muitas vezes pensei em desistir, estava disposto a isso. Já tinha colocado na minha cabeça. Se não fosse meu pai, o apoio da minha família e Deus na minha vida, hoje eu não estaria aqui – disse, explicando por que considerou largar o esporte:

– Há cinco anos, eu não estava sendo relacionado para os jogos no Mogi Mirim, estava triste, querendo desistir do meu sonho de infância, e tive a força da minha família para continuar. Então, estar aqui hoje é pelo apoio da minha família. Me emociona porque realmente eu estava muito perto de desistir.

Emprestado pelo Criciúma até dezembro, Nino chega por indicação do técnico Fernando Diniz. Ele, que se diz preparado fisicamente e entrosado com a equipe para estrear, revelou suas principais características.

– Eu me considero um jogador técnico, com uma boa velocidade, mas um jogador que se entrega, com raça e com vontade. A torcida pode esperar isso de mim. Muito trabalho e muita disposição para que na hora do jogo dê tudo certo.


Leia mais trechos da entrevista:

Ansiedade pelo anúncio da contratação

– É claro que tem uma ansiedade, sim. É um momento especial para qualquer jogador. Todo mundo planeja e sonha com essa apresentação. Mas, mais do que essa ansiedade, tem o prazer de estar aqui e já treinar com meus companheiros. Aproveitei esse tempo para já aprimorar o físico, adaptar ao jogo.

Indicação de Diniz

– Me deixa feliz, mostra que o meu trabalho tem sido reconhecido. Mas, sem trabalho, nada acontece. Tem várias competições, uma hora a oportunidade vai surgir, e a gente tem de estar preparado. Temos de ter um grupo em alto nível e é para isso que vamos trabalhar.

Concorrência na zaga

– Chego muito feliz, muito motivado. Em time grande, todos os jogadores têm muita qualidade, têm de mostrá-la todo dia. Chego para somar, feliz, em um grande clube do Brasil, representando um sonho não só meu, mas de toda a minha família.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *