Com três meses de salários atrasados, Fluminense teme novo “caso Scarpa”

A má condição financeira ainda é um enorme problema no Fluminense. Venceu, nesta segunda-feira, quinto dia útil do mês, a folha salarial referente a fevereiro e avaliada em R$ 3,5 milhões. Dado o incômodo do elenco, que chegou a promover uma greve em represália aos atrasos, existe o receio de que o clube sofra ações judiciais semelhantes à impetrada por Gustavo Scarpa no início da temporada passada e que resultou em sua saída, sem lucro, para o Palmeiras.

Em acordo com lideranças do grupo, a diretoria pagou um mês atrasado na CLT aos novos contratados, que não haviam recebido nenhum salário. Assim, a dívida é maior com os remanescentes da equipe de 2018, o que os respalda para recorrer aos tribunais. Por outro lado, recentemente, o Fluminense saldou as premiações atrasadas.

As pendências na CLT são 13º e férias de 2018, janeiro e fevereiro de 2019. Quanto aos direitos de imagem, são novembro e dezembro de 2018 e janeiro de 2019. Nem os funcionários que recebem até R$ 5 mil tiveram a remuneração regularizada. Quem presta serviço como pessoa jurídica (PJ) teve pago o mês de dezembro apenas no meio de fevereiro. Para estes, o débito é de dois meses.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: EXTRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *