Diniz vê Ganso já adaptado e enaltece postura dos atletas em relação ao atraso de salários

Foto: Mailson Santana / FFC

Treinador tricolor também comentou sobre a situação de Yony González, substituído com desconforto na posterior da coxa

O Fluminense dominou no primeiro tempo, criou ótimas oportunidades, mas não conseguiu matar o jogo e sofreu o empate do Botafogo nos primeiros segundos da etapa final. Após o Clássico Vovô, Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva no Maracanã. Logo de cara, o treinador fez questão de enaltecer a postura dos atletas em meio ao atraso de salários. Segundo ele, o elenco tem uma grande hombridade e ‘estão honrando a camisa do Fluminense’.

Eles se reuniram de forma muito coesa. Não quero tratar muito sobre isso. Eles conseguiram se dedicar muito bem no jogo e o ambiente está muito bom. O mais importante é o jogador chegar e jogar, como eles estão fazendo. Isso que tem que ser realçado. O mais importante é que os jogadores estão honrando a camisa do Fluminense“.

Perguntado sobre a atuação de Paulo Henrique Ganso, autor do gol em seu primeiro clássico pelo clube, o técnico elogiou o desempenho do meia e se disse satisfeito com o desempenho do camisa 10 tricolor.

Adaptado, está desde o momento que chegou. Ele foi bem acolhido e retribuiu de uma maneira muito generosa. Naturalmente ele vai melhorando. A partir das partidas, vai conhecendo o melhor os espaços no campo, os companheiros, a forma tática de jogar. A tendência dele é de evolução, assim como todo o time“.

Diniz também comentou sobre a situação física de Yony González, que foi substituído no segundo tempo e deixou o campo mancando. De acordo com ele, o atacante não deve ser problema para a partida decisiva pela Copa Sul-Americana.

Tendência é que jogue quinta contra o Antofagasta. Ele saiu porque sentiu um desconforto na posterior da coxa. A princípio a tendência é de que ele jogue“.

Conhecido pelo seu estilo de toque de bola e por prezar pela qualidade no passe, Diniz viveu uma situação peculiar no clássico, já que o gol do Fluminense surgiu após um chutão do goleiro Rodolfo. O comandante fez questão de analisar o lance.

A gente faz uso da bola longa quando é pertinente e ajuda a chegar ao gol adversário. Quando o Rodolfo fez uso da bola longa, a gente conseguiu ocupar o espaço mais rápido do que o Botafogo e chegar ao gol“.

Por fim, o treinador tricolor destacou o poder de reação do Botafogo e elogiou Zé Ricardo. Porém, frisou que não se pode levar um gol da forma que aconteceu.

O Zé é um grande treinador e o Botafogo tem jogadores de muita qualidade. Eles usaram muito o lançamento da bola em diagonal em cima do nosso lado esquerdo no 2° tempo. Mas não podemos tomar um gol saindo de chutão“.

O Fluminense se reapresenta no CTPA nesta segunda (18) e treina até amanhã no Rio de Janeiro. Depois, viaja para o Chile para o jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana contra o Antofagasta. Na partida de ida, no Maracanã, as equipes ficaram no 0 a 0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *