fbpx

Matheus Ferraz celebra boa fase e projeta semana decisiva para o Fluminense

Foto: Divulgação / FFC

Zagueiro afirmou que o entrosamento sem Digão não será o mesmo, mas pregou confiança em quem for escolhido como substituto

Após o empate em 1 a 1 com o Botafogo pela 4ª rodada da Taça Rio, o Fluminense se reapresentou no Centro de Treinamento Pedro Antônio (CTPA) e mostrou já ter mudado totalmente o foco. Isso porque a semana é decisiva para o clube. Nesta terça (19), depois de treinar no Rio de Janeiro, a equipe viajará para o Chile, onde enfrenta o Antofagasta, pela Copa Sul-Americana. No jogo de ida, o Tricolor não saiu do zero e chega para o duelo de volta com um teor de tensão.

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda (18), Matheus Ferraz se disse motivado para a partida e pregou confiança no substituto de Digão, lesionado. Já que Leo Santos e Nino não estão inscritos na competição, a vaga será disputada por Paulo Ricardo e Frazan.

A gente ainda não treinou, ainda temos tempo. A equipe que jogou só fez regenerativo. Independentemente de quem jogar, está preparado. Por quem o Diniz optar, vai fazer um grande jogo. O entrosamento não vai ser o ideal, tanto na zaga quanto as outras peças. Mas a vontade vai atravessar a questão do entrosamento. É um jogo que requer muita motivação“.

O zagueiro também falou sobre a boa fase que vem vivendo no Fluminense. Contratado para esta temporada, o atleta de 34 anos vem surpreendendo com atuações seguras e garantiu o posto de titular no Tricolor.

É tudo fruto de trabalho e dedicação. Vim para cá para me dedicar ao máximo e ajudar o Fluminense. Onde passei, pude ter uma boa regularidade. Me preparei para ter essa oportunidade e chegar ao Fluminense. As coisas vêm fluindo“.

Perguntado sobre Paulo Henrique Ganso, Ferraz não poupou elogios ao camisa 10. De acordo com ele, o meia tem capacidade de decidir uma partida a qualquer momento.

É um jogador diferenciado, todos sabem. Vem numa crescente, fazendo coisas do estilo de jogo dele, a visão de jogo que tem a diferente. É um cara de peso, que impõe respeito. A qualquer momento pode definir uma partida“.

O defensor analisou o empate com o Botafogo no ‘Clássico Vovô’ e lamentou as chances de gol desperdiçadas pelo time quando ainda liderava o placar.

No primeiro tempo, fomos intensos, no nosso estilo, criamos boas oportunidades. No segundo tempo, vacilamos. A equipe do outro lado tem qualidade, e eles não vão perdoar. Isso não pode acontecer“.

Por fim, Matheus Ferraz revelou um pouco da cobrança de Fernando Diniz do lado de fora do campo. De acordo com o zagueiro, o treinador tricolor exige intensidade e tem como maior pilar o entrosamento entre os jogadores.

Ele cobra muito a movimentação. Quando você pega uma equipe que marca muito baixo, a movimentação tem que ser rápida, com um ou dois toques. É difícil. Requer bastante treinamento, entrosamento. O Diniz cobra isso, movimentação, intensidade“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top