Fluminense perde com gol nos acréscimos e cai para o Flamengo na Taça Rio

Em clássico polêmico no Maracanã, o Fluminense acabou eliminado da Taça Rio ao perder por 2 a 1 para o Flamengo. Após superioridade rubro-negra no primeiro tempo, o jogo caiu nas mãos dos tricolores com a expulsão de Bruno Henrique. Yony González empatou de pênalti e, nos acréscimos, também em penalidade, Éverton Ribeiro levou o rival à decisão.

Mal rolou a bola e ocorreu a primeira polêmica: Léo Santos abriu o placar e viu o bandeira assinalar irregularidade no lance. Com auxílio do VAR, Marcelo de Lima Henrique confirmou a decisão, determinando que houve falta de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio. Por reclamação, o preparador de goleiros do clube, André Carvalho, foi retirado do local.

Foi, na verdade, o Fla que saiu na frente. Rodolfo espalmou cruzamento e a bola sobrou para Bruno Henrique passar para Renê, que mandou uma bomba para o gol. Jogada que evidenciou a desatenção do Flu na marcação, comum durante o clássico. Assim como os frequentes erros de passe.

Por sua vez, o time da Gávea não cedia espaços e dificultava a criação. Quase ampliou com finalização de Uribe, cara a cara, para defesa de Rodolfo. O panorama em campo, porém, tendia a mudar com a saída de Bruno Henrique, que entrou de sola contra Gilberto.

Na segunda etapa, o Fluminense buscou se valer da vantagem numérica. Everaldo escapou pela direita, caiu na área e, depois de análise pelo VAR, o juiz marcou pênalti. Yony González converteu sem chances para Diego Alves e empolgou ainda mais os tricolores. Na sequência, o colombiano, embalado, cabeceou firme no travessão.

À medida que o duelo se aproximava do fim, o clima, que era ruim desde domingo, esquentava. Foram distribuídos 11 amarelos em faltas ou confusões, que ocorriam com frequência. Além de dois vermelhos, sendo um, inclusive, para Paulo Henrique Ganso.

Já nos acréscimos, o Tricolor descolou a oportunidade que precisava para sacramentar a classificação. Everaldo saiu frente a frente com o goleiro e, pressionado, errou o alvo.

Na jogada seguinte, Léo Santos derrubou Lucas Silva na área, o que levou à penalidade que, cobrada por Éverton Ribeiro, colocou os flamenguistas na decisão e à espera do adversário, que sairá de Bangu x Vasco, amanhã. O gol foi o estopim para um mal-estar do técnico Abel Braga, que preferiu abandonar a beira do campo.

Nos últimos instantes do Fla-Flu, Ganso perdeu a cabeça e foi expulso por empurrar o 4º árbitro. Em resposta, Fernando Diniz enlouqueceu e partiu para cima da arbitragem. Foi então que policiais precisaram intervir.

Os ânimos permaneceram aflorados e, após mais discussões no gramado, houve tumulto no túnel que dá acesso aos vestiários envolvendo membros das comissões técnicas, atletas e seguranças.

Com a eliminação, o Fluminense só jogará a semifinal geral se Flamengo ou Bangu conquistarem o segundo turno. Caso o Vasco leve o troféu, está fora das últimas partidas do Estadual.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Sobre o autor