RESTAURAR OU NÃO, EIS A QUESTÃO. LARANJEIRAS, UM PATRIMÔNIO TRICOLOR.

RESTAURAR OU NÃO, EIS A QUESTÃO.
LARANJEIRAS, UM PATRIMÔNIO TRICOLOR.

A restauração total da Sede das Laranjeiras e a reforma do seu respectivo Estádio para uso nos jogos envolvendo a base, o profissional masculino (alguns jogos), o profissional feminino e também para uso dos sócios do clube não avançam, em razão da falta de vontade política da direção do Fluminense FC que, a bem da verdade, não quis jamais assumir a responsabilidade de tocar a reforma.
Simples assim.
O Fluminense é uma instituição que há anos não zela pelo seu patrimônio secular.
Segundo pesquisa feita na Inglaterra pela SOCCEREX FOOTBALL Finance 100, o nosso patrimônio é o que mais projeta positivamente o Fluminense nesse estudo, comprado com os outros clubes. O Fluminense FC é o quarto clube mais rico do Brasil, com o seu patrimônio físico estimado em 102 milhões de Euros, fonte FIXED ASSETS (foto).

Fonte : Fixed Assets.

Somos um clube que tem uma história muito rica, enraizada em Laranjeiras, onde jogamos e conquistamos títulos.
Os nossos eventos sociais tinham repercussão nacional, pois eram muito expressivos, fora que formamos inúmeros atletas olímpicos que ganharam notoriedade no cenário mundial.
Hoje, todo esse nosso acervo está sendo deixado propositadamente de lado, cabendo aqui registrar que a atual gestão está literalmente “rasgando dinheiro”, enfim, “jogando contra o nosso próprio patrimônio”.
É uma lástima.
Passaremos vergonha no próximo dia 11 de maio de 2019, data em que iremos comemorar o centenário do nosso lindo e majestoso estádio que, como todos nós sabemos, está em estado de abandono, juntamente com suas dependências.
Somos, hoje, TERRA ARRASADA.
Não é possível entender como um Clube que mexe com um orçamento bem acima de R$ 200 milhões anuais não consegue dispor de apenas R$ 1 milhão para tão-somente finalizar os estudos, objetivando a reforma do estádio, apresentar as plantas e tirar as respectivas licenças junto aos órgãos públicos para a aludida reforma.
A inércia do marketing e da comunicação do clube é de assustar e de causar perplexidade, pois ambos poderiam ter planejado uma estratégia de ação, com o propósito de, movimentando nossa imensa torcida, captar recursos para reformar nossa sede histórica e o nosso majestoso estádio.
Nada foi feito nesse sentido, pois não era esse o interesse da gestão que, em nome da verdade, deveria estar preocupada também com vontade daqueles que sustentam o Fluminense: os sócios!
Preferem derramar rios de dinheiro com o custeio de várias PJ’S que, conforme é do conhecimento de nós todos, retorno algum nos dão, apesar do muito que recebem.
A gestão deveria dar carta branca a um grupo de sócios para tocarem esse projeto de restauração, com o clube também chefiando esse trabalho, até porque a reforma integral, da sede social e do estádio, acabará por valorizar ainda mais o nosso patrimônio.
Depois dessa questão que envolve a sede e o Estádio das Laranjeiras resolvida, com as dívidas equacionadas, com o quadro social em alta e sócio futebol bombando, aí sim, poderemos pensar num estádio próprio para 40 mil pessoas.
Saudações Tricolores.

Deixe uma resposta