Nino comemora segundo jogo pelo Fluminense e projeta encontro com o Luverdense: “Encaramos como uma final”

Sem Léo Santos, lesionado, Fernando Diniz leva a campo o zagueiro Nino para o duelo com o Luverdense, em Mato Grosso, pela terceira fase da Copa do Brasil. Ele, que veio do Criciúma por empréstimo, estreou na derrota por 3 a 2 para o Flamengo, na Taça Rio.

– Oportunidade muito importante para mim. Segundo jogo como jogador do Fluminense. Espero aproveitar da melhor maneira. Venho trabalhando muito sério, muito forte. Espero pôr tudo em prática nesta quarta – comemorou.

Devido a contusões, o time sofreu alterações considerando aquele que encarou o Rubro-Negro na semana passada. Além da saída de Léo Santos para entrada de Nino, o técnico recolocou Caio Henrique no meio, como volante, em razão do desfalque de Airton, com problema na coxa. A esquerda passa a ser função de Ezequiel, lateral-direito que deixa a reserva para ser improvisado.

– Antes de um time, temos um grupo forte. Sabemos que jogadores importantes não vão jogar, mas quem entra também tem capacidade. Vamos manter o nosso estilo de jogo, como estamos fazendo em casa e fora de casa. Manteremos a seriedade e a postura de fazer o melhor. A característica é ficar com a bola, propor o jogo. Por vezes, temos dificuldade. Mas a ideia é essa. Fazer gol é a melhor maneira de respeitar o adversário – explicou Nino.

Nessa terça-feira, o elenco treinou no Passo das Emas, estádio que receberá o encontro das equipes, provavelmente, lotado. Nino crê que o jogo promete ser difícil e lembra que é um confronto de 180 minutos, dada a volta, marcada para 9 de abril. Gol fora de casa não é critério de desempate.

– Jogo é jogo. São 11 atletas do outro lado que também querem vencer. Não vamos comparar esse jogo com nenhum outro. Pés no chão. A gente sabe da força deles, a gente sabe que o estádio vai estar lotado. Temos de fazer o melhor nos 180 minutos. Jogo muito importante, muito difícil. Sabemos da dificuldade que vamos encontrar, jogar na casa do adversário. É sempre difícil jogar aqui. Nós viemos preparados. Trabalhamos forte, estamos encarando como uma final esse jogo. Esperamos fazer nosso melhor.


Leia mais falas do zagueiro:

Folga no último fim de semana
Temos um calendário muito apertado devido aos muitos jogos, competições diferentes. Todo tempo que se tem para trabalhar é válido. Tempo bom para descansar quem vinha na sequência, trabalhar quem estava precisando. Usamos bem esse tempo.

Viagem desgastante
Temos de nos acostumar. É o nosso dia a dia, todo o atleta passa por isso.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *