Fluminense e Flamengo se unem pelo Maracanã e levam proposta ao Governo

Pedro Abad e Rodolfo Landim, presidentes de Fluminense e Flamengo, levaram proposta ao Governo do Rio pela gestão do Maracanã, nessa quinta-feira, prazo limite para fazê-lo. A ideia, exposta em reunião no Palácio da Guanabara, é assumir temporariamente a operação do local, a partir da saída da Odebrechet, em 18 de abril. Os próximos encarregados pelo estádio serão anunciados na sexta-feira do dia 12.

– Nós vamos esperar que o prazo da entrega se encerre. Aí, sim, a gente vai planejar um momento mais detalhado de tudo aquilo que envolve à medida que o estado colocar a gente a par do resultado. A gente entende que é um equipamento do estado e da população. A gente tem que dar satisfação ao povo do Rio de Janeiro sobre o que está sendo feito com aquele investimento e o que o estado tem ou deixa de ter de gasto e de rendimento. A gente vai detalhar no momento certo – disse Pedro Abad.

No encontro desta quarta-feira, na FERJ, o Rubro-Negro revelou a intenção de exercer maior poder no comando do Maracanã. Havia consenso entre os quatro grandes cariocas sobre existir uma parcela maior dos lucros ao rival por atrair mais público, mas divergência quanto à liderança desejada. A nova licitação deve ser iniciada em 180 dias, mas a decisão só sairá após cerca de um ano.

– O Maracanã não é um equipamento que vai passar a ser de Flamengo e Fluminense. Nós apenas vamos gerir um equipamento que é do estado. Pela proposta que nós fizemos, se Vasco e Botafogo quiserem jogar, vão ter o mesmo nível de desembolso e receita que Flamengo e Fluminense terão. Da mesma forma que o estádio também é para eles jogarem. Nossa proposta é totalmente inclusiva. Vasco e Botafogo também construíram a história do Maracanã e devem continuar a construir a história lá – concluiu Abad.

Os clubes não explicaram como combinaram a administração conjunta. Porém, Rodolfo Landim disse que pretende promover jogos também de Vasco e Botafogo, que sobraram da parceria, e shows no Maracanã, a fim de torná-lo mais rentável.

– O objetivo é a gente fazer isso de forma harmônica e com a possibilidade de participação de todos os clubes. O objetivo não é só Flamengo e Fluminense jogarem lá. O objetivo é que todos os clubes possam jogar. Nós não temos dúvida nenhuma de que as condições de que nós vamos oferecer, juntos, para que outras agremiações possam participar lá serão melhores e mais baratas do que as que existem hoje. É um pleito de que seja utilizado para shows e a gente continua aberto a isso. A prioridade do Maracanã será o futebol, mas será também será aberto a outras atividades.

Desde meados de março, Fluminense e Flamengo vinham se reunindo semanalmente com a comissão nomeada pelo governador Wilson Witzel para conversar acerca do repasse do estádio. Além de um consórcio encabeçado pela empresa que gere a Arena Palmeiras, o Vasco, que defende gestão com os demais clubes e com o Governo responsável por uma fatia dos gastos, também formalizou interesse.


Confira a carta enviada ao Governo:

Carta que Flamengo e Fluminense apresentaram ao governo — Foto: Reprodução
Segunda página da carta que Flamengo e Fluminense apresentaram ao governo — Foto: Reprodução

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *