fbpx

“Um Zap do Telê”

“Um zap do Telê”

Não me perguntem como isso ocorreu, mas, num desses muitos grupos sobre o Fluminense, encontrei um zap do Mestre Telê Santana dirigido ao Fernando Diniz. Reproduzo-o, na íntegra.
“Caro Fernando Diniz,
Em primeiro lugar, cumprimento-o pela coragem de fugir da mesmice que granjeia no futebol brasileiro. Isso de “4-3-3”, “4-4-2”, “4-3-1-2” é linha de ônibus – e com troncal. Desde os meus tempos de treineiro, penso que jogador tem que ter função, não posição em campo.
Aliás, Fernando, quando era treinador, eu não me limitava a ensaiar jogadas e a ditar táticas para os jogadores, não. Eu ia além, bem além: ensinava fundamentos de futebol aos caras. O Cafu, capitão da seleção brasileira pentacampeã mundial, reconheceu, várias vezes, que eu, repetida e incansavelmente, o obrigava a treinar cruzamentos no CT do São Paulo. Com o passar dos tempos, ganhamos eu (como treinador), o Cafu (como jogador), o São Paulo (como time) e, claro, a torcida (como espectadora interessada).
Fernando, embora tenha trabalhado em outros clubes, eu sou Tricolor apaixonado, todos sabem. E não pude deixar de observar que, em cerca de 1 mês, o Fluminense sofreu 3 dissabores por erros elementares de fundamentos dos jogadores. Relembrando-lhe: (a) Rodolpho falhou, clamorosamente, contra o Vasco na decisão da Taça GB; (b) Léo Santos cometeu erro infantil contra o Flamengo na semifinal da Taça Rio. O “molambo” estava saindo da área; (c) Rodolpho tornou a falhar, bisonhamente, desta feita contra o Flamengo na semifinal do Carioca. A propósito, Fernando, a camisa 1 tricolor é pesadíssima, já foi envergada pelo Grande Castilho – que acha o Rodolfo um vencedor na vida e um grande frangueiro.
Em suma, Fernando, ou os caras são leões de treino ou você precisa de óculos.
Saudações tricolores, Telê Santana”.

One Reply to ““Um Zap do Telê””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top