O problema não é o VAR. E sim, a arbitragem

O brasileirão começou e o Fluminense tropeçou feio em casa. Uma derrota amarga, com um gol, vamos dizer, ridículo, marcado por Rafael Vaz de falta por baixo da barreira no fim do jogo, levando os 17 mil tricolores ao ódio e a vaiar o time.

Mas o que chamou atenção no Maracanã ontem, foi o VAR. Ou, na verdade, o juíz Dewson Freitas. Uma atuação de chamar muita atenção da comissão de arbitragem da CBF. Erros grosseiros que determinaram o rumo do jogo e afetou muito os jogadores.

Primeiramente, Luciano não participou do lance do gol de Everaldo, em que o juíz, mesmo olhando-o no monitor do VAR, anulou o gol legal, afirmando que o jogador estava na frente do goleiro, participando do lance.

O segundo momento crucial foi na suposta falta marcada onde o Goiás marcou seu gol. Everaldo não fez falta. E ainda levou cartão amarelo por reclamar com a arbitragem.

No primeiro tempo, Bruno Silva sofreu falta dentro da área. Dewson marcou o pênalti. Depois, esperou quase três minutos e foi chamado pelo árbitro de vídeo para um suposto impedimento. No final, o jogador não estava em posição irregular e não estava impedido. Mas o que ele marcou? Só ele sabe.

Apesar disso tudo, ele ainda marcou um pênalti, também no VAR, onde Yago encostou a mão na bola. Cobrança que demorou 30 minutos para ser cobrada por causa da falta de iluminação no Maracanã. E Luciano conseguiu a proeza de perder a penalidade.

Após tantas polêmicas e confusões, é possível que tiremos algumas conclusões. O VAR funciona, isso é óbvio. Mas o despreparo da arbitragem brasileira é inacreditável. Vemos os campeonatos europeus todos utilizando essa tecnologia. Vimos na Copa do Mundo, na Champions League, mas o mais incrível é que no Brasil, o VAR consegue ser estragado. Falta preparo para os árbitros. Como utilizar uma alta tecnologia mas o básico, que é apitar um jogo de futebol estando em cima dos lances, não se faz. Ainda tendo a opção de rever os lances polêmicos e mesmo assim, a justiça não é feita.

O que chegou para ser uma tremenda ajuda, poderá atrapalhar cada vez mais a conturbada arbitragem brasileira.

E estamos só na primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Crédito da Foto: Blog Do Rica Perrone

Sobre o autor