fbpx

Fernando Diniz vê Fluminense “soberano” ao Botafogo e alerta sobre gols perdidos: “Precisamos pontuar”

Mesmo superior ao Botafogo, o Fluminense saiu do Maracanã derrotado por 1 a 0 no Clássico Vovô deste sábado. Ainda assim, o tom nas arquibancadas, devido à boa atuação, era de apoio à equipe. As várias chances desperdiçadas impossibilitaram um resultado melhor para o grupo de Fernando Diniz, que cobra eficiência para transformar em gols o domínio sobre o adversário.

– Me preocuparia muito se tivesse perdido e jogado mal. A equipe produziu muito, para fazer mais de um gol. Do começo ao fim, jogou melhor que o Botafogo. Temos que pensar para frente. Continuar com esse volume de produção ofensiva, mas conseguir finalizar melhor.

Apesar do modelo de jogo que convence, a realidade do Tricolor no Campeonato Brasileiro não é das melhores. Em quatro rodadas, soma três derrotas (Goiás, Santos e Botafogo) e apenas três pontos, conquistados na virada sobre o Grêmio, na Arena, semana passada.

– A equipe está evoluindo. Precisamos é traduzir o desempenho em vitórias. Precisamos vencer, pontuar. Não existe aquele negócio de que agora precisamos jogar pior para ganhar. Temos que continuar jogando e conseguir vencer as partidas. A melhor maneira de vencer é construindo chances de gol e evitando as do adversário. Tivemos muito mais chance que o Botafogo. Temos que aproveitar melhor – destacou o técnico.

Às 21h30 de quarta-feira, no Maracanã, Fluminense e Cruzeiro fazem o primeiro duelo em busca de vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil. Com Airton e Bruno Silva machucados, a tendência é de que a escalação seja a mesma da usada contra o Botafogo, com só Allan como volante e Daniel e Paulo Henrique Ganso no meio.

– Procuro colocar os jogadores que estão melhores nos treinamentos, seguindo jogo a jogo. Daniel entrou muito bem e achei que não devia sair. Ganso retornou de lesão e achei que devia voltar.

Após iniciar pela primeira vez entre os titulares desde a lesão sofrida em agosto de 2018, Pedro anotou uma caneta em Rodrigo Pimpão, boas jogadas e quase emplacou uma assistência em gol marcado por Matheus Ferraz e invalidado pelo VAR por impedimento do centroavante.

— A tendência é de melhora sempre. Jogador de nível de seleção brasileira. Tenho muita confiança que, com sequência de jogos, produzirá cada vez mais. Tendência é que continue iniciando as partidas – afirmou Diniz.


LEIA MAIS TRECHOS DA ENTREVISTA:

Análise do jogo: “Até tomarmos o gol, o Botafogo não tinha nem finalizado. Isso aos 20 e poucos minutos do 2º tempo. Depois que levamos, desorganizamos um pouco e eles tiveram mais uma chance. Depois tentamos de todas as maneiras. O time jogou bem os dois tempos, com exceção do momento logo após tomarmos o gol. Produzimos um gol, anulado corretamente pelo VAR. O Flu foi soberano praticamente o jogo inteiro, mas não conseguimos marcar”.

Gol do Botafogo: “Foi uma jogada mapeada pela gente. Jogada forte deles pelo lado com muita gente penetrando na área. Além de não fazermos os gols, bobeamos em uma jogada que era muito forte deles”.

Observações táticas: “Eles dificultaram um pouco (pela esquerda), mas o Caio Henrique teve chance claríssima e produziu outras jogadas. Yony estava levando vantagem por esse lado também. Gilberto fez boa partida, mas na direita não temos jogador agudo. Luciano é um jogador que centraliza mais, de construção”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top