fbpx

Diniz pede paciência com o estilo de jogo

Após o empate de ontem em 1 a 1 com o Cruzeiro, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o técnico Fernando Diniz concedeu coletiva e falou sobre a dificuldade que o time tem tido para aproveitar as chances criadas nas últimas partidas. O treinador aproveitou para falar também sobre as vaias a Rodolfo e Luciano, situação clínica de Pedro, a entrada dos garotos de Xerém no time e muito mais, confira:

Modelo de jogo apresentado nos últimos jogos

Está faltando botarmos a bola para dentro do gol. Jogamos contra um grande adversário, que se defende muito bem. O Fluminense tem que ser muito elogiado pela partida que fez, independentemente do resultado. Podia ter terminado 1 a 0 para o Cruzeiro e isso não tiraria o mérito da partida que fizemos. O volume de finalizações está alto e a bola vai começar a entrar. Temos que insistir. Não podemos achar que isso é o errado. Eles jogaram por uma bola. Se jogamos assim e perdemos, como foi contra o Botafogo, dá uma impressão muito equivocada de que se jogássemos de outra forma as chances de ganhar aumentariam. A maneira como a equipe está jogando, segundo aquilo que penso de futebol e da vida, estamos fazendo o melhor possível para ganhar os jogos. A bola vai passar a entrar. Tem que insistir. O modelo está correto e os jogadores se entregaram muito.

Convocação de Pedro para seleção pré-olímpica

Se passasse por mim, ele jamais seria convocado. Jamais. E tinham até outros atletas que poderiam ser convocados, caso do Allan, do Caio Henrique e do Nino, que estavam em uma pré-lista. Por mim, o Pedro jamais seria liberado para a seleção olímpica. Não sei como é a questão legal, não sei se é possível interromper isso.

Situação clínica de Pedro

Ele não tem absolutamente nada grave. Teve um trauma e está em fase de recuperação. Pode ser que tenha condição de jogar no fim de semana. Mas não tem problema não. Foi uma coisa bem tranquila.

Torcida

Quero parabenizar a torcida. No jogo contra o Botafogo a torcida ter aplaudido o time e reconhecido o trabalho é uma coisa muito difícil de acontecer no Brasil. A torcida do Fluminense está precisando de vitórias e de grandes comemorações. E hoje fez a diferença também. Me sinto muito feliz de estar trabalhando no Fluminense. Muito mesmo. E farei de tudo para dar alegria para essa torcida.

Jogadores vaiados

Os jogadores estão trabalhando muito. Se empenham demais, tanto Rodolfo, quanto Luciano. Luciano teve um grande momento no começo. E é um jogador que acredito, o Rodolfo também. Quando ganhamos e perdemos é o time que ganha e o time que perde. São jogadores muito importantes para o elenco e receberão todo apoio nosso.

Meio campo com as voltas de Airton e Bruno Silva

Temos as duas maneiras de jogar. Procuramos colocar o que acontece nos treinamentos e, com a sequência dos jogos, o que é melhor para o Fluminense. Hoje quase repetimos a escalação, mas tivemos a ausência do Pedro. É bom termos opções. Todos eles são titulares.

O Bruno Silva é um jogador que tem uma característica de competitividade e liderança que é muito importante para a equipe. Jogador que naturalmente se impõe no jogo e tem respeito dos adversários.

Airton tinha a chance de jogar. Fizemos partidas muito boas com ele. Fez uma partida impecável contra o Santa Cruz. É um jogador que às vezes não tem tanta dinâmica de corrida, mas faz o jogo ficar mais acelerado com um ou dois toques na bola. Conhece muito da posição.

Caras novas no time

João Pedro entrou no lugar do vaiado, Luciano, e garantiu o empate aos 48 minutos do segundo tempo

Hoje ganhamos mais opções. O Marcos Paulo entrou muito bem, o João Pedro fez o gol, o Ewandro também fez uma boa partida, o Léo Artur saiu jogando… Vamos ganhando opções para a sequência das partidas e treinamentos. E isso é melhor para mim. Vou buscar sempre colocar o melhor time em campo.

Léo Artur

Fez uma partida boa. Cumpriu a função. Já tinha entrado muito bem contra o Botafogo, quando em pouco tempo finalizou duas bolas, deu o cruzamento que originou o gol que foi anulado pelo VAR. E hoje fez uma boa partida. No 1º tempo, ele e o Caio Henrique criaram praticamente todas as ações pela esquerda. É um jogador que conheço bem, talentoso. Está se adaptando à essa realidade de jogar em um time com a camisa do Fluminense. Contribuiu para que o time jogasse bem.

Fluminense atacando mais pela esquerda

O Luciano joga mais livre para flutuar. O time tem uma tendência um pouco natural de jogar mais pela esquerda. Hoje a ideia era jogar um pouco mais pelo lado direito. Mas conforme o jogo vai acontecendo, não importa muito por onde você ataca. Você precisa atacar muito e criar as situações de gol. Se está dando certo por um lado, vai por aquele lado. Se estivesse dando errado, provavelmente jogaríamos mais pelo lado direito. A ideia era explorar os dois corredores. Mas como pela esquerda o time foi se encontrando, foi até uma inteligência que o time teve de saber explorar o lado que estava dando certo.

Gilberto isolado na direita

E o Gilberto, de fato, ficou isolado pelo lado direito. Mas não deixamos de jogar por lá. Tinha menos gente lá, menos apoio, mas ele foi bastante importante na fase ofensiva, então acabamos tendo jogada ofensiva pela qualidade individual do Gilberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top