fbpx

Divulgação: Por que certos porquês quebram a cabeça da gente?

Por quê?

Por que alguém para ser candidato a Presidente do Fluminense precisa se dobrar à vontade de grupos políticos?

Por que os sócios do Fluminense, para escolher o Presidente da Instituição precisam ser submetidos à uma bateria de promessas que não serão cumpridas e acusações entre os candidatos e os grupos que os apoiam?

Por que quem deseja ser candidato a presidente do Fluminense, uma função não remunerada e, geralmente, não reconhecida, tem que se transformar num pedinte, gasta dinheiro e passa a ser agredido nos bastidores?

Certos porquês quebram a cabeça da gente.
Sabe-se que o Fluminense não anda bem, no campo, no clube, na administração e isso faz bastante tempo. Por quê? Pelo diabo da política interna.

Eu amo o Fluminense. Aprendi a torcer por ele com muita paixão desde pequeno. Desde pequeno também frequento o clube, onde aprendi a competir, a me relacionar com as pessoas e famílias e a me divertir de forma sadia.

Em nome desse sentimento, decidi participar das decisões e fiz isso sendo candidato duas vezes a Vice-Presidente Geral. Este ano, resolvi ser candidato a Presidente e não quero me dobrar aos porquês que amarram o meu Fluminense numa sucessão de insucessos ou sucessos ocasionais.
Eu quero ser presidente do Fluminense para liderar um processo de reunificação, de reconstrução de todos os elementos essenciais para uma administração transparente, comprometida exclusivamente com a paixão dos torcedores do futebol e outros esportes e o desejo dos usuários do clube de terem um espaço de lazer digno, onde valha à pena passar boas horas com a família e amigos.

Eu quero ser presidente do Fluminense para dar responsabilidade na administração do dinheiro dos sócios e dos torcedores, que compram os produtos com a marca do Fluminense e, pela paixão, pagam pelo privilégio de ver o time jogar, nos estádios, nas TVs, nas diversas mídias modernas.

Eu quero ser presidente do Fluminense para dar aos torcedores dignidade nos estádios, enquanto buscamos um para chamar de nosso.

Eu quero ser presidente do Fluminense para romper com a lógica dos muitos porquês que dificultam a vida da Instituição, num jogo de disputa política que, como faz com todo o Brasil, trava a felicidade.

Eu quero ser presidente do Fluminense para mostrar que é possível administrar o clube, os times e equipes sem esperar retorno financeiro, mas pelo prazer de servir à paixão.

Para fugir à amarra dos interesses dos grupos, venho diretamente a você, sócio pedir que me dê a chance de ser presidente do Fluminense, com o seu voto.

Que tal, dessa vez, fazermos diferente, já que o igual não deu certo?

Ricardo Tenório – Chapa Libertadores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top