fbpx

Opinião: Hora de abraçar o time

Crédito: Divulgação

A torcida Tricolor vem sofrendo, desde 2012, com a falta de motivos para sorrir. Após ganhar o Tetra Brasileiro, o clube entrou em um declínio onde passou a fazer figuração nos torneios. Tirando alguns bons momentos, a realidade passou a ser a fuga do rebaixamento, salários atrasados, time sem padrão de jogo definido e o esvaziamento dos jogos por parte dos torcedores.

Em todo cenário de crise e problemas, é fácil encontrar os responsáveis e fazer acusações. Esse lugar comum está posto, sendo evidente os problemas nos últimos anos. Porém, encontrar as soluções que é difícil.

Ainda sem conseguir se firmar financeiramente, todos podem fazer um pouco para ajudar o Fluminense a sair dessa situação. O padrão de jogo foi encontrado no comando de Fernando Diniz. Ganhando ou perdendo, todos reconhecem o estilo do time. Você olha para o jogo e sabe a forma que o Flu vai jogar. Isso é importante para tentar não continuar na sina de participar do Campeonato Brasileiro para fugir do rebaixamento e avançar. Quem sabe uma vaga na Libertadores? Ganhar a Sul-Americana ou a Copa do Brasil…

Quando o time encontra seu padrão de jogo e os resultados começam a sair, entra a função da torcida. Abraçar a equipe é de grande importância para fazer a engrenagem da máquina Tricolor funcionar.

Mosaico da torcida Tricolor!

Com o time se esforçando e ganhando jogos de equipes apontadas como melhores, caso esse do Cruzeiro, a torcida tem que comprar a ideia que ela precisa ocupar o seu lugar. Isso influência outra questão. Sem patrocínio principal, a bilheteria passa a ter grande relevância na geração de receita. Fazer o Maracanã dar lucro, não é fácil. Porém, um público de 30 mil sempre dará lucro. Pode não ser muito, mas já ajuda um clube com tantos problemas financeiros.

Após tantos anos sem dar gosto de ver uma partida bem jogada pelo Fluminense, Diniz conseguiu resgatar isso com seu estilo de jogo. Futebol jogado com a bola no pé. Se a torcida comprar essa ideia, provavelmente o time irá evoluir mais rápido com a confiança. Pedro, João Pedro, Marcos Paulo, além é claro do Ganso, Luciano, Yony, Allan, Gilberto, Matheus Ferraz e Nino. O elenco do Tricolor, no papel, pode não ser dos melhores, mas tem jogado o seu melhor, vamos abraçar esse time!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top