Diniz descarta favoritismo na Sula e comenta postura defensiva do Fluminense em Medellín

Treinador também projetou o confronto com o Peñarol, próximo rival do Tricolor carioca na Sul-Americana

Foto: Lucas Merçon / FFC

Mesmo com a derrota por 1 a 0 para o Atlético Nacional, o Fluminense se classificou para as oitavas de final da Copa Sul-Americana, já que goleou por 4 a 1 no jogo de ida e viajou para Medellín com uma larga vantagem no confronto. Na partida, pode-se observar o Tricolor abdicando de seu estilo de jogo, onde valoriza a posse de bola e tenta envolver o adversário, o que deixou muitos surpreendidos. Mas não Fernando Diniz. Após o duelo, o treinador concedeu entrevista coletiva e revelou que optou por recuar o time. De acordo com ele, a estratégia foi necessária para o time se encontrar dentro de campo.

“A gente tomou o gol e as nossas bolas não estavam entrando. O jogo ficou perigoso porque o Atlético precisava marcar. Coloquei o time um pouco mais atrás para ter o contra-ataque. O jogo ficou mais controlado, tivemos segurança para conseguir a classificação. Sair perdendo aos três minutos é difícil, mas sabíamos que poderia acontecer. O time não se desesperou e foi bem. Tivemos chances de marcar, mas a bola não entrou. O Atlético teve algumas outras, e o jogo ficou perigoso. No segundo tempo tivemos uma atuação mais segura e limitamos o time deles”.

Perguntado sobre a preleção antes do jogo, Diniz frisou a importância da equipe ter jogado com seriedade do início ao fim e citou as grandes viradas que aconteceram na Europa recentemente como exemplo.

“O Atlético era capaz de ganhar do Fluminense aqui e conseguir a classificação. Isso aconteceu recentemente no futebol na Europa. Tínhamos que jogar com seriedade para sair com a vaga. Respeitamos o Atlético do início ao final do jogo”.

O técnico tricolor aproveitou para descartar qualquer tipo de favoritismo do Fluminense na Sul-Americana. Para ele, todas as equipes estão na briga pelo título, apesar de qualquer tradição em competições continentais.

“Não há favoritos na Sul-Americana. Entraremos na próxima fase com 15 outras equipes e todas têm chances de ganhar. Existem algumas mais tradicionais do que outras, mas todas estão na briga”.

Por fim, Diniz projetou o confronto com o Peñarol-URU, adversário do clube das Laranjeiras nas oitavas do torneio. O comandante afirmou que espera um jogo difícil.

“É uma equipe muito tradicional do futebol sul-americano. Assim como o Atlético, que recentemente é um dos mais ganhadores. Eles enfrentaram o Flamengo no Maracanã, pudemos acompanhar. Vão ser jogos difíceis. Vamos buscar a classificação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *