fbpx

Brenner se diz encantado com atuações do Fluminense e revela: “Doido para jogar”

Encostado no São Paulo, o jovem Brenner, aos 19 anos, vê no Fluminense a chance de um recomeço na ainda curta carreira. Apresentado à imprensa nesta sexta-feira, ele assinou contrato de empréstimo até o fim do ano e vestirá a camisa 30.

– Claro que sou muito novo, mas acredito que é um grande recomeço e uma chance de mostrar o meu futebol. Uma oportunidade grande que eu estou procurando aproveitar da melhor maneira – disse, completando:

– É um desafio novo e estou muito motivado para que dê tudo certo. Estou muito feliz de jogar no Fluminense, que é um grande clube que eu sempre acompanhei. Estou muito motivado para entrar em campo e corresponder ao que o treinador pedir e ajudar meus companheiros a atingir grandes resultados.

Ao destrinchar seu perfil técnico, o atacante, que se colocou à disposição para atuar como ponta ou falso 9, destacou a velocidade e a intensidade como principais características. Enquadra-se, portanto, ao estilo de jogo ofensivo de Fernando Diniz. Foi, aliás, esse fator que o deixou mais animado com a transferência para Laranjeiras.

– Foi esse um dos motivos de eu vir para cá. Time ofensivo, futebol de verdade, bonito, que dá gosto de jogar. E quem assiste também tem vontade de jogar. Isso motivou bastante a minha vinda. Claro que trabalhar com o professor Diniz é um privilégio grande pois é um treinador muito capacitado. Fui ao Maracanã assistir ao jogo, fiquei encantado não vejo a hora de estrear – revelou.

Regularizado no BID, o reforço pode estrear já no domingo, contra o Athlético-PR, na Arena da Baixada. Ele está liberado para defender o novo clube na Copa do Brasil e, se inscrito, na Sul-Americana.

– Estou treinando a semana toda e quero jogar logo. Estou doido para jogar.


LEIA MAIS RESPOSTAS DE BRENNER:

Poucas chances no São Paulo: “Quando eu subi, tive uma sequência boa, mas a troca de treinadores e várias contratações pesaram um pouco na minha sequência de titularidade. Mas eu continuei trabalhando. Sempre que entrava e tinha tempo, eu fazia gols. Infelizmente, não tive a sequência. Mas agora estou focado no novo desafio e tenho que pensar só aqui”.

Mudança de posição: “Eu surgi com muitos gols na base, mas procuro esquecer isso. Meu desejo agora é fazer meus gols no profissional. Joguei alguns jogos como segundo atacante, quando fui várias vezes titular. Mas devido a algumas contratações e para eles jogarem, eu fui jogado para o lado esquerdo. Mas continuei jogando, e trabalhando, mas perdi posição”.

Papo sobre Diniz: “Conversei com o Tchê Tchê. Ele me passou que é um estilo de jogo muito favorável ao atleta, que nos deixa livre para jogar, tocar a bola e desenvolver um belo futebol. E me ajudou muito nessa vinda para cá”.

Possível reencontro com o Athlético-PR: “Eu estava comentando isso com a minha família nessa semana, de poder estrear no mesmo lugar em que estreei pelo São Paulo no profissional. É uma coisa que não tem muita explicação. Só pensar que o jogo é muito difícil porque a equipe do Athletico-PR é muito forte lá dentro. Naquela ocasião, eu entrei muito motivado, estava contente, e é o mesmo que estou aqui. Motivado cada vez mais, feliz por estar aqui e pronto para jogar”

Concorrência no Fluminense: “Quem ganha com tudo isso é o Fluminense. São vários jogadores de qualidade. É uma dor de cabeça boa para o treinador, até porque nós queremos sempre jogar. Claro que é difícil. A gente vai brigar um com o outro, mas, claro, com lealdade. Cada um vai buscar o seu espaço para fazer o seu melhor”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top