fbpx

Mário Bittencourt é empossado em cerimônia nas Laranjeiras e diz: “Vejo o Fluminense gigantesco”

Aos 40 anos, Mário Bittencourt se tornou o 35º presidente da história do Fluminense ao vencer seu ex-aliado, Ricardo Tenório, na eleição de sábado, dia 8. A cerimônia de posse aconteceu nesta segunda-feira, no Salão Nobre das Laranjeiras. Além dele, chegam ao clube Celso Barros, como vice-geral, e 150 conselheiros, mais os 50 suplentes, sendo que 54 assumem agora e o restante, ao fim do ano.

O evento de passagem de bastão durou pouco mais de uma hora e reuniu personalidades como Rubens Lopes, mandatário da FERJ, e os ex-jogadores Aílton, Duílio, Marcão, Ricardo Berna e Ronald. Ficou marcado por agradecimentos às pessoas envolvidas na campanha da chapa “Tantas Vezes Campeão”.

Logo no início, Pedro Abad subiu à tribuna para se pronunciar e ouviu algumas vaias. “Não é momento para isso”, repreendeu o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite. Em seu pronunciamento, o agora ex-dirigente pediu união e desejou sorte aos novos comandantes do Tricolor. Mário respondeu agradecendo pela chance de conversar com o elenco antes do empate em 0 a 0 no clássico com o Flamengo, domingo.

– Competência e caráter eu sei que eles têm. Vamos dar apoio a eles, que o Fluminense vai crescer. Confio muito nos dois – disse Pedro Abad, aplaudido em seguida.

Após ser oficialmente empossado, Mário Bittencourt recebeu os cumprimentos de suas filhas e esposa. Celso celebrou com sua esposa. O advogado, aliás, se emocionou ao lembrar da semana em 2010 em que perdeu a mãe, viu o nascimento de uma das filhas e comemorou o tricampeonato brasileiro.

Em dado momento do discurso, Mário exaltou a trajetória vencedora de seu parceiro Celso Barros enquanto presidente da Unimed-Rio, que patrocinou o clube por mais de 15 anos: “Alguém, 20 anos atrás, acreditou que o Fluminense era imenso e fez o clube ser gigante novamente”. Pouco antes, pediu aplausos a Tenório, a quem considera “grande tricolor”. Encerrou a assembleia convocando o público a, de pé, cantar o hino do Fluminense à capela.

“Eu vejo o Fluminense gigantesco, porque é assim que eu sempre o vi, desde pequeno”

A nova gestão, que assume até o fim de 2020, traz como vice-presidentes Heraldo Lunes (jurídico), Leonardo Lunes (finanças), Luiz Fernando Moura (administrativo), Newton de Souza Júnior (governança) e Rui Reisinger (base).

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com / Foto: Mailson Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top