fbpx

Após empate com a Chape, Diniz critica arbitragem e lamenta série de lesões no Fluminense

Treinador tricolor reclamou das inúmeras paralisações do juiz e disse ser “bem-vinda” a parada para a Copa América

Foto: Lucas Merçon / FFC

Repleto de desfalques, o Fluminense foi até Chapecó enfrentar a Chapecoense e voltou para o Rio de Janeiro com um ponto na bagagem. Apesar da expulsão de Allan na segunda etapa, o Tricolor segurou o 1 a 1 com a equipe catarinense e se manteve na 16ª posição, fora da zona de rebaixamento. Após a partida, Fernando Diniz elogiou a postura de seus atletas, mas fez questão de criticar a atuação da arbitragem, que segundo o treinador paralisou o jogo muitas vezes. Ainda de acordo com o técnico do clube das Laranjeiras, o time melhorou no segundo tempo e poderia ter conseguido um resultado mais satisfatório.

“Foi um jogo atípico, com muitas paradas da arbitragem, VAR, muita bola aérea da Chapecoense. Sofremos com tudo isso, mas conseguimos um domínio. Faltou mais tranquilidade no último terço do campo. Em termos de qualidade de jogo, sim, fiquei satisfeito. De resultado, não. Poderíamos estar com mais sete pontos pelos jogos que a gente fez. Hoje, tomamos o gol muito cedo em uma bola muito forte do Everaldo. Depois, tivemos o domínio, mas sem criar tantas chances. No segundo tempo fomos mais contundentes”.

Perguntado sobre as lesões em sequência no Fluminense, Diniz afirmou que os atletas sem condição de jogo fazem falta e comemorou a parada de um mês para a Copa América. Para ele, é difícil manter uma evolução no entrosamento quando muitas mudanças precisam ser feitas.

“São lesões acidentais. A única muscular é do Yony González. O restante é ligamento, menisco, fratura… O Digão está em processo final de recuperação. Está fazendo falta… Estamos mexendo muito no time, isso dificulta. Não tem solução mágica, temos que trabalhar em todas as frentes. Após a janela, saberemos o time que vai continuar com a gente. Essa parada vai ser muito bem-vinda. Vamos ver quem mais vai sair de imediato para ter um time com menos mudanças”.

Por fim, o comandante tricolor fez uma breve análise do empate com a Chapecoense, onde aproveitou para novamente reclamar da performance do árbitro do jogo. De acordo com Diniz, o duelo não teve “fluência”.

“A gente voltou para o segundo tempo jogando bem, foi nosso melhor momento. Quando empatamos, o jogo ficou diferente. Muita interrupção, muita falta, muito lance duvidoso. Isso cria receio no time. O jogo não teve fluência. Muita falta, muita bola parada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top