Nino nega ambiente ruim no Fluminense e foca em retomada contra o Ceará: “Precisamos do torcedor”

A regularização dos salários atrasados de Pedro vinha levantando especulações de um suposto incômodo dos demais jogadores, que ainda têm dois meses na CLT e, em alguns casos, cinco de imagem por receber. Em entrevista nesta quinta-feira, Nino rechaçou clima ruim no CT. O local sediou churrasco entre elenco e os dirigentes Celso Barros e Paulo Angioni nesta semana.

– Não houve incômodo. A diretoria pensa no melhor do Fluminense. A gente sabe que estão trabalhando para solucionar esse problema. Nossa expectativa é trabalhar para o jogo contra o Ceará, mas queremos que tudo seja resolvido logo.

Com a ameaça da zona de rebaixamento, o Fluminense busca uma arrancada na sequência de jogos no Rio na retomada do Campeonato Brasileiro. A diretoria lançou uma promoção de ingressos, que ganhou nome de “Rumo à Libertadores”, para levar bons públicos ao Maracanã. O grupo, aliás, conta com o apoio vindo das arquibancadas.

– A gente fica com saudade de poder jogar na nossa casa, com apoio do torcedor. A expectativa está grande. Precisamos do apoio do torcedor nesse momento. Estamos felizes com isso. As coisas vão melhorar e os pontos vão começar a vir – disse Nino.

A três dias da final da Copa América, entre Brasil e Peru, o zagueiro de 22 anos não escondeu a admiração por Thiago Silva, cria de Xerém que se destaca cada vez mais pela seleção.

– O Brasil tem um time muito estruturado, não tomou nenhum gol na competição e tem uma defesa muito forte. Me inspiro muito no Thiago Silva, um ídolo para mim, com uma grande história no futebol. O que me chama a atenção é isso, o poder defensivo da Seleção Brasileira, que chega numa final com um sistema bem consolidado – opinou.


LEIA MAIS RESPOSTAS:

Atrasos salariais: “É uma diretoria que começou a trabalhar agora. Estão fazendo o melhor para o Fluminense e vão tentar resolver os problemas. Estamos focando na volta para a temporada e vamos esperar que essa situação se resolva logo”.

Risco de entrar no Z-4: “A gente tem se preparado muito bem. Sabemos da situação incômoda, não queríamos estar passando por isso. Temos um longo campeonato pela frente e precisamos de paciência. Estamos pensando só no Ceará. Estamos trabalhando para as coisas acontecerem”.

Preparação durante Copa América: “A gente tem aproveitado esse tempo para melhorar. Ele (Fernando Diniz) sempre cita pontos que podem ser melhorados. Ele vê o jogo muito bem, vê coisas a serem melhoradas. Estamos fortalecendo o grupo de uma maneira geral”.

Digão: “É um grande jogador e líder do grupo. Se comunica muito dentro de campo, ajuda todo o time e tem facilitado muito esse entrosamento. Pela experiência e pela qualidade dele, estou muito feliz em fazer essa dupla”.

Matheus Ferraz: “Desde que eu cheguei, ele me acolheu, foi um dos meus primeiros amigos no clube. É um cara espetacular. Fico feliz de ter jogado com ele. No melhor momento da carreira dele, acabou se machucando. Todos nós sentimos muito, ficamos tristes, mas ele tem uma cabeça muito boa e vai voltar da melhor maneira possível”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *