fbpx

Diniz elogia volume de jogo do Fluminense, mas frisa necessidade de concluir melhor

Treinador tricolor destacou que os erros na hora de finalizar em gol vendo sendo o diferencial na conquista de pontos dentro do Brasileirão

Foto: Lucas Merçon / FFC

Voltando à campo pelo Campeonato Brasileiro após a parada para a Copa América, o Fluminense frustrou a torcida presente e empatou em 1 a 1 com o Ceará em pleno Maracanã. Com o resultado, o Tricolor até saiu do Z4 da competição, mas saiu de campo vaiado e com mais um tropeço dentro de casa. Após a partida, Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva e, apesar de não ter conquistado a vitória, destacou o bom volume de jogo de sua equipe e comentou sobre o gol sofrido nos acréscimos da etapa inicial.

“Infelizmente, a bola não entrou. Tivemos chances claras, um bom volume de jogo, tanto que o goleiro deles deve ter sido o melhor em campo. O gol deles acabou acontecendo em um lance duvidoso e o time parou para reclamar. Essa parada que a gente deu gerou o contra-ataque e o gol do Ceará, mas é levantar a cabeça, pois temos um jogo importante no sábado”.

Para o treinador, a atuação do Fluminense na primeira etapa foi muito boa, mas o nível caiu no segundo tempo. De acordo com ele, a equipe jogou de forma errada. Diniz aproveitou também para frisar a necessidade de concluir melhor e aproveitar as chances de marcar gols.

“Jogou (o time) o primeiro tempo muito bem e jogou certo, depois no segundo tempo, jogou errado. Não jogou mal, mas errado. Em determinados lances do jogo, o time ficou fazendo a transição e esse não é o jogo do Fluminense”.

“O que mais incomoda no nosso time é a gente criar e não concluir em gol, está sendo o diferencial de deixar pontos pelo caminho. A gente tem treinado e além disso, temos jogadores com característica de fazer gol, temos o Pedro, o João Pedro, Yony, até o próprio Ganso. A gente tem jogador que, rotineiramente, faz gol, e espera que a bola comece a entrar o quanto antes para que a gente comece a vencer os jogos”.

Perguntado sobre a falta que o volante Allan fez no jogo contra o Ceará, o técnico tricolor rasgou elogios ao jovem jogador e o definiu como “um achado” do clube das Laranjeiras.

“Allan é um achado do Fluminense, é um jogador de muita qualidade técnica, de condicionamento físico, tem empatia com o torcedor, tem o pacote completo. Ele está muito bem, se encontrou no Fluminense e se sente bem jogando aqui, é um jogador diferente e tem jogado num nível muito alto”.

Sobre as vaias da torcida após o apito final, Diniz afirmou que entende a chateação da torcida, e disse que o time precisa retribuir o carinho dado no treino aberto e no jogo com vitórias dentro de campo.

“A torcida tem todo o direito de se manisfestar, é apaixonada. A demonstração de carinho ontem e hoje, em boa parte do jogo, é o que vale para mim. A gente tem que saber acatar e melhorar, porque o torcedor quer ver o time vencer e a gente precisa trazer a vitória para o torcedor. Temos que continuar produzindo e vencer as partidas”.

Por fim, o comandante não descartou a estreia de Nenê, recém-contratado logo no clássico contra o Vasco, no próximo sábado (20), às 16h (de Brasília), em São Januário. A partida será válida pela 11ª rodada do Brasileirão. Vale lembrar que o meia atuou por praticamente três anos no Cruzmaltino.

“Se estiver regularizado, tem chance, mas vai treinar primeiro. Nenê é um jogador móvel, tem muita qualidade, é decisivo. Pode jogar em mais de uma posição e vamos encontrar o melhor lugar para ele produzir bem no Fluminense”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top