Demissão de Diniz e contraste de estilos pesam para criar clima ruim entre elenco e Oswaldo de Oliveira

Apenas dois jogos depois de seu retorno às Laranjeiras (empate com Corinthians e derrota para Avaí), Oswaldo de Oliveira encara clima ruim com jogadores, ainda descontentes com a demissão de Fernando Diniz, consumada após o revés por 1 a 0 para o CSA, em 18 de agosto. Também pesou para o “racha” no CT o contraste de estilos dos treinadores.

Informa o blog Terno e Gravatinha, do jornalista João Marcelo Garcez, que a relação entre Oswaldo e Paulo Henrique Ganso não é das melhores, o que acabou evidenciado nesta segunda-feira. Ao ser sacado para a entrada do volante Caio, que cometeu o pênalti que gerou o gol do adversário, o meia, vaiado por parte dos mais de 16 mil presentes, passou direto pelo comandante, em direção ao vestiário.

– Cada jogador tem uma característica, um comportamento. O Ganso é um jogador tímido, arredio. Compreendo, não tem nenhum problema. Já aconteceu no último jogo. Ele não tem obrigação de me cumprimentar. Ele tem que cumprir com as obrigações dele como atleta, e isso ele tem feito. No momento que achei que precisa tirá-lo do jogo eu tirei. Não tenho o menor problema quanto a isso – declarou Oswaldo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *