fbpx

João Pedro crava permanência na Série A: “Medo nenhum do rebaixamento”

Em São Paulo para enfrentar o Palmeiras, na Arena, em jogo adiado da 16ª rodada do Brasileirão, João Pedro garante que, apesar da 17ª colocação, o “fantasma” do rebaixamento não preocupa. Com 15 pontos, o Fluminense, se vencer, iguala a pontuação do Cruzeiro, primeiro acima do Z-4, e o ultrapassa pelo maior número de vitórias.

— Nosso grupo está sem medo nenhum do rebaixamento. Sabemos da nossa força. É entrar em campo e dar nosso melhor. Trabalhando e dando nosso melhor, o Fluminense não vai cair.

Foi de JP o gol que aliviou a pressão de Oswaldo de Oliveira, recém-contratado, no comando do Time de Guerreiros. O jovem de 17 anos explicou a diferença entre o estilo de jogo do técnico veterano e de seu antecessor, Fernando Diniz, demitido após derrota por 1 a 0 para o CSA, no Maracanã, em meados de agosto.

— Oswaldo e Diniz são um pouco diferentes. Oswaldo pede para a gente ser mais agressivo. Com essa mudança, a gente pensou mais em finalizar do que em manter a posse de bola. O resultado também não vinha e a gente tinha que ser mais agressivo para fazer gols.

Tricolor e Alviverde, embora distantes entre si na classificação, têm semelhanças: a fase ruim e os triunfos longe de seus domínios no fim de semana. João Pedro, inclusive, não vê equipe em vantagem no duelo de amanhã, marcado para 21h.

— É um grande time. Sabemos da grandeza do Palmeiras, mas acho que o Fluminense é também uma grande equipe e é jogo de igual para igual. Os dois times vêm de momentos ruins, mas, quando a bola rola, dentro de campo vence quem estiver melhor.

O elenco, que sequer passou no Rio depois de vencer o Fortaleza no Castelão, encerrou a preparação nessa tarde, no CT da Barra Funda, onde treina o São Paulo.


CONFIRA MAIS FALAS DE JOÃO PEDRO:

Busca por gols: “No jogo contra o CSA, a gente finalizou absurdamente, e a bola não entrou. A bola começou a entrar e viemos para São Paulo em busca dos três pontos. Consegui fazer com que o gol saísse e a gente tem que concentrar para saírem os gols. A gente tem que fazer nosso trabalho”.

Momento do Fluminense: “A gente trabalha para conquistar coisas boas. Infelizmente, o momento não é tão bom, mas é trabalhar para conseguir sair dessa situação”.

Saída de Pedro: “Atrapalha um pouco porque o grupo já estava acostumado com ele. Mas a gente tem jogadores excelentes que vão recompor a saída dele e ajudar o grupo”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top