fbpx

A CULPA É DO ABAD!!! Coluna de Marcello Luna

Pedro Abad, quando decidiu antecipar as eleições, tinha a absoluta certeza de que o clube cairia nas mãos do Mário Bittencourt e Mário Bittencourt sabia, perfeitamente, que, de um jeito ou de outro, o clube restaria em suas mãos, caso as eleições fossem antecipadas.

Se as mesmas fossem realizadas em Novembro, a vitória do Mário Bittencourt não poderia ser dada como certa, uma vez que a “oposição” teria mais tempo para se organizar e assim tentar criar algum salseiro.

Todo esse processo de antecipação das eleições foi debatido, à exaustão, entre Pedro Abad e Mário Bittencourt, antes, durante e depois, em absoluta harmonia, bastando, inclusive, ver que diversas figuras que integravam a gestão passada ainda permanecem fagueiras e serelepes trabalhando no Fluminense (Fernando Simone, Angione, dentre outros, apenas para exemplificar), absolutamente intocáveis, em flagrante e inacreditável continuidade à gestão anterior, à gestão Flusócio. E novas “celebridades” entraram no circuito, cada uma mais deslumbrada do que a outra.

Nada mudou.
É a mais pura expressão da verdade a afirmação de que Mário Bittencourt sabia perfeitamente o que iria enfrentar, quando assumisse a presidência do Fluminense, pois, como dito, participou ativamente de toda a transição, inteirando-se, de corpo e alma, dos gravíssimos problemas que nos afligiam. E mesmo de longe sabia ele exatamente o que se passava dentro das Laranjeiras.
Nada lhe era estranho, portanto. Por conhecer à miúde os nossos problemas, Mário Bittencourt bradou aos 04 (quatro) cantos que sabia perfeitamente como enfrenta-los e que, portanto, sentia-se capacitado para assumir o comando do clube, apesar de não possuir, comprovadamente, qualquer experiência como gestor.
Ao que nos é dado saber, Mário Bittencourt jamais foi gestor e o Fluminense precisa, desesperadamente, de um gestor.
Após 03 (três) meses de gestão, o nosso cenário é ainda pior, mas, fiquem tranquilos, pois a horda dos honorius lamberes bagos ou, querendo, os honrados lambedores de bagos, remunerados ou não, já está espalhando que a culpa de nossa provável descida ao porão do inferno possui nome e sobrenome: Pedro Abad!

É o exemplo escarrado da covardia.
A culpa é do Abad e não daquele que chamou para si toda a responsabilidade, buscando desesperadamente os holofotes, a fim de propagar que detinha a solução para todas as nossas mazelas.
Durante anos, Mário Bittencourt disse para quem quisesse escutar que, assim que assumisse, teríamos um patrocinador máster, teríamos uma equipe competitiva, teríamos investidores aportando no clube recursos financeiros para fazer frente às dívidas de curto prazo (cerca de R$ 250 milhões), passando a imagem de ser uma pessoa muito bem relacionada, com largo trânsito no mundo empresarial.

O fato é que, até a presente data, não temos um patrocinador máster, nenhum reforço expressivo passou pela a portaria das Laranjeiras, nenhum investidor nos procurou para aportar recursos financeiros em nosso caixa, de modo a nos possibilitar a composição das nossas dívidas.
Enquanto isso não acontece, o valor da nossa marca se deprecia, em franco e incontido galope.

“A culpa é do Abad!”, assim gritarão os poltrões. Encontrar culpados é a melhor forma de encobrir os nossos erros e nossas limitações.
E em assim sendo, vamos de “a culpa é do Abad”.

Voltando à gestão, Mário Bittencourt não precisaria ser um gestor, na acepção exata da palavra, mesmo porque é ele, sabida e reconhecidamente, um Advogado. E nada há de errado em não ser ele propriamente um gestor, até porque bastaria estar cercado de um verdadeiro executivo, um profissional de mercado capaz de buscar soluções para os nossos problemas, como captação de recursos, e de gerar novas receitas. Infelizmente, ele não está ombreado com pessoas das mais capacitadas, em decorrência da composição política que se viu obrigado a aceitar, visando vencer as eleições, podendo ser dito que os nossos quadros estão muito aquém das nossas necessidades.

Hoje, pode-se falar, sem qualquer medo, que o maior erro cometido pelo o Pedro Abad foi o de ter antecipado as eleições.
Quem apoiou a antecipação e eu apoiei não imaginou que a nova gestão, mesmo a do Mário Bittencourt, teria a consistência de uma geléia.
O tempo está passando e na medida em que o tempo passa o Fluminense mergulha cada vez mais na decadência, na decrepitude.

É deprimente assistir pessoas que jamais foram comprometidas com o Fluminense, que jamais produziram nada de positivo, nesse particular excluo totalmente o nosso atual presidente, se arvorando em doutores do Fluminense, arrotando uma série de teses idiotas, enquanto presenciam, de camarote, literalmente, o nosso clube caminhando a passos largos para a segunda divisão. Não há alternativa, senão a que leva à união de todos nós, isso já cansou de ser dito. E, não obstante tratar-se de algo muito difícil, cabe ao presidente, democraticamente eleito, dar o primeiro passo, buscando o apoio de todos aqueles que sabidamente podem ajudar, a fim de evitar o mal pior.
Saudações Tricolores !
Marcello Luna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top