fbpx

Oswaldo garante paz com Ganso, revela razão para tirá-lo de campo e explica polêmica: “Toda ação tem reação”

O empate em 1 a 1 entre Fluminense e Santos ficou em segundo plano na entrevista de Oswaldo de Oliveira. O pronunciamento, em grande parte, se resumiu à explicação da polêmica briga com Paulo Henrique Ganso, durante o segundo tempo.

— Fluminense vive um momento muito especial, de tensão. Todos nós, que nos envolvem com a camisa do Fluminense, vivemos um momento muito difícil. Muito intenso. Às vezes, os ânimos passam dos limites, como aconteceu hoje. Está tudo resolvido, entre mim e o jogador. É natural que, em uma situação adversa, haja o desentendimento. Eu não desrespeito ninguém, principalmente um superior meu. No momento em que fui desrespeitado, tomei a atitude que deveria tomar. Depois, resolvemos. A hostilidade passou do limite — disse.

Oswaldo revelou que havia pedido ao meia para voltar e ajudar na marcação. Foi retrucado, segundo o próprio, com palavrão. Por isso decidiu pela substituição, dando chance a Daniel apenas pela segunda vez desde o retorno às Laranjeiras, no fim de agosto.

— Só tenho a reação que eu acho que tenho de ter. Eu sou veemente da mesma maneira. Toda ação tem uma reação. Não tem mágoa, de maneira alguma. Jogador de futebol tem direito de se expressão, não dessa maneira — ponderou o treinador, sobre a troca de xingamentos.

Ao menos o discurso dos tricolores revela paz dos dois lados, acordada ainda no vestiário. O clima, realmente, precisa melhorar. Afinal, o elenco se reapresenta na tarde de sexta-feira e enfrenta o Grêmio no domingo, no Maracanã.

— Tomei a iniciativa na frente de todo mundo. Chamei, dei um abraço e falei que as coisas se resolvem assim. Ele aceitou, é claro — explicou o comandante.

Perguntado sobre possível punição ao camisa 10, Oswaldo não quis expor sua opinião, apesar de ter se colocado à disposição da diretoria para definir o futuro do jogador.

— A diretoria está acima. Eu tomei a decisão que me cabia. A diretoria que precisa saber o que fazer. A minha opinião não vem ao caso. Se eles perguntarem minha opinião, darei.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top