Oswaldo vira assunto em reuniões da diretoria e vê jogo contra Santos se tornar crucial para definição de futuro no Fluminense

Depois do fraco desempenho na goleada por 3 a 0 para o Goiás, Oswaldo de Oliveira viu aumentar a pressão sobre si no Fluminense. Com pouco mais de um mês à frente do Time de Guerreiros, o treinador virou assunto em reuniões entre Mário Bittencourt, Celso Barros e Paulo Angioni no domingo, ainda em Goiânia, e na segunda-feira, no Rio, segundo o GloboEsporte.com.

Por ora, a decisão da diretoria é pela permanência do comandante. Porém, o resultado e a exibição diante do Santos, nessa quinta-feira, no Maracanã, se considerados negativos pelos dirigentes, podem pôr em risco o futuro do técnico nas Laranjeiras.

Quarta-feira, o LANCE! informou que primeiro nome especulado internamente para possível substituição no cargo é o de Maurício Barbieri, que treinou Goiás e América-MG em 2019. Aos 38 anos, ele não comanda uma equipe desde julho.

De volta à zona de rebaixamento desde a rodada passada do Brasileirão, o Tricolor venceu duas, empatou uma (na eliminação nas quartas-de-final da Sul-Americana) e perdeu três vezes desde a chegada de Oswaldo de Oliveira.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *