fbpx

“Por que tamanha indulgência com ‘el sabichón’?” Coluna André Ferreira de Barros

“Por que tamanha indulgência com ‘el sabichón’?”
André Ferreira de Barros


“Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”, já ensinava o lendário Vicente Matheus.
Decerto, a Flusócio – após herdar um timaço, com craques a rodo, bancado por um patrocínio milionário – deixou terra arrasada no Fluminense. Num exemplo que fala por si só, a Seita Maldita recebera, em 2011, Deco e entregou, em 2019, Airton. Simples assim! Incompetência pouca é bobagem!
Portanto, a hercúlea tarefa de recolocar o Fluminense F. C nos trilhos demandará tempo, muito tempo. Talvez, um mandato seja pouco!
Mas o que ora aflige o torcedor tricolor não é a ausência de glórias, nem mesmo a falta de perspectiva.
Isso fica pra depois do Natal!
Diferentemente, o que, hoje, tira o sono da torcida tricolor é o risco iminente de rebaixamento para a Série B. Ou seja, o Fluminense está disputando – e perdendo – um campeonato de baixíssimo nível técnico, disputado por equipes de quinta categoria, como Ceará, Fortaleza, Chapecoense, CSA, Avaí e Goiás.
E, pelo amor de Deus, para se desincumbir dessa singela tarefa – de ganhar, pelo menos, 4 pontos, do Ceará, do Fortaleza, da Chape, do CSA, do Avaí e do Goiás – um mês à frente do clube é mais do que suficiente! Desde, claro, que haja um mínimo de competência administrativa, artigo de luxo – quase quimérico – em Laranjeiras há décadas.
Ao invés de competência, Sr. Presidente, o senhor, data venia, tem nos brindado com doses cavalares de incompetência, regadas a requintes de crueldade com o torcedor tricolor. O maior exemplo disso – mas não o único – é a mantença do Marcão como técnico. Haja rivotril!
Concluindo, o culpado pelo nosso presente infortúnio tem nome, sobrenome e fala javanês, japonês e juridiquês: Mário Bittencourt, por mim alcunhado “el sabichón” – em tupi-guarani, aquele que não precisa de ninguém, pois nasceu sabendo de tudo.
Porque amo o Fluminense, a minha indulgência o senhor não tem.

Saudações Tricolores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top