fbpx

Não é a 1ª vez que Flu conta com terceiro goleiro para partida decisiva

 

No Z4 e sem Muriel, o Fluminense enfrenta o Atlético-MG, no Maracanã, na primeira das seis “decisões” que o time tem pela frente, na luta contra o rebaixamento. O cenário de incertezas aumenta ainda mais com Marcos Felipe, que passou de terceiro goleiro, a titular do gol tricolor. A ascensão do jogador não chega a ser uma novidade na história do clube, que foi bastante feliz em uma outra ocasião.

Em 2010, o Fluminense lutava para ser campeão brasileiro. Faltando nove rodadas, o técnico Muricy Ramalho promoveu a entrada de Ricardo Berna ao time. Assim como Marcos Felipe, Berna era o terceiro goleiro e não tinha jogado na temporada, mas deu conta do recado, terminando a sua participação invicto e com o título, somando quatro empates e cinco vitórias. O ex-jogador falou com exclusividade ao LANCE!, relembrando a situação vivida por ele, em comparação ao atual momento do clube.

“- O Marcão analisou quem está em bom momento. É uma decisão e uma reta final de campeonato. Eu assumi no fim de 2010 após uma análise que o Muricy Ramalho. Ele não sentia confiança em quem estava atuando, eu vinha treinando muito bem e resolveu apostar. Eu já vi substituição de goleiro quando o time está mal. Agora brigando pelo título brasileiro, é a primeira vez que eu vi acontecer. Tem que se analisar o momento e quem está melhor merece a oportunidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top