fbpx

Confira as notas de desempenho do Flu na última partida

Nessa última quarta-feira (13), o time Tricolor suou para avançar contra o time rubro negro. Apesar do bom desempenho no segundo tempo, não foi suficiente para garantir sua vaga na Taça GB.

O Globo Esporte publicou notas sobre o desempenho dos jogadores e a nota de cada um. Confira:


Muriel (GOL): Começou o clássico muito mal – cedeu um escanteio bobo, saiu mal no gol de Bruno Henrique e poderia ter saído melhor no segundo. Pouco depois, saiu jogando errado com os pés. Não demorou muito para ser vaiado. Ao longo da partida, no entanto, se redimiu e fez, no mínimo, três grandes defesas, evitando uma derrota mais elástica no Maracanã. Nota 4,5.

Gilberto (LAD): não conseguiu acompanhar as investidas de Bruno Henrique e, mais de uma vez, tomou bola nas costas em tabelas do Flamengo. Preso na marcação, também não conseguiu ajudar muito na frente. Ainda desperdiçou ótima chance no fim do jogo, optando pelo passe para trás. Nota 4,5.

Luccas Claro (ZAG): assim como Gilberto, sofreu para marcar Bruno Henrique. Além de ter cometido erros individuais no primeiro tempo que levaram perigo ao gol de Muriel – em um deles, deu nos pés de Gabigol. No segundo gol do Fla, tocou na fogueiro para Wellignton Silva, que recuou mal para Henrique, que não alcançou. Melhorou bastante no segundo tempo com bom posicionamento e cortes precisos. Além disso, marcou o primeiro gol tricolor. Nota 6,0.

Digão (ZAG): assim como Luccas Claro, teve dificuldade de marcar o trio de ataque do Flamengo, que flutuava em velocidade. Sem a ajuda dos volantes, tentou algumas vezes carregar a bola para o meio de campo, mas sem muito sucesso. Chegou a descolar dois bons lançamentos para Evanilson, que não aproveitou. Nota 5,0.

Egídio (LAE): apareceu bem pouco em campo. No primeiro tempo, cometeu alguns erros bobos de passe e, no fim, acertou cruzamento na cabeça de Evanilson. Mas só. Na segunda etapa, praticamente não foi acionado. Fez lançamento displicente em lance que originou terceiro gol do Flamengo. Nota 5,0.

Henrique (VOL): ficou longe de repetir a boa atuação que teve contra o Botafogo. Pecou no gol de Gabigol, em que não alcançou passe recuado de Wellington Silva. Lento, não deu dinamismo algum ao meio de campo. Pelo contrário. Chegou a retardar algumas poucas chances que o Flu teve para tentar contra-atacar. Nota 4,5.

Entrou Ganso (MEC): entrou na parte final do 2º tempo e mal tocou na bola. Sem nota.

Yuri (VOL): mais um que pouco apareceu para o time e cometeu erros individuais. No pior deles, errou passe bobo, após Evanilson conseguir se livrar de três, e armou boa chance para o Flamengo. Nota 4,5.

Nenê (MEC): muito marcado, não foi o Nenê dos outros clássicos. Foi desarmado com facilidade e teve dificuldade em criar jogadas. Mesmo assim, teve bons momentos e foi quem cobrou a falta no gol de Luccas Claro. Nota 5,5.

Wellington Silva (ATA): junto com Henrique, bobeou no gol de Gabriel, ao recuar a bola e dar nos pés do atacante rubro-negro. Em um rebote, prendeu demais a bola e foi desarmado, dando o contra-ataque. Deu lugar ao peruano no início do segundo tempo. Nota 4,5.

Entrou Fernando Pacheco (ATA): pareceu afobado quando entrou, mas cresceu de produção rapidamente, incendiando o jogo. Com o time mais ligado no segundo tempo, foi mais acionado do que Wellington Silva e deu velocidade à equipe. Balançou as redes, mas estava impedido. Nota 6,5.

Marcos Paulo (ATA): discreto, sofreu com a forte marcação rubro-negra e foi bem abaixo do que nos últimos jogos. Correu bastante, mas pouco conseguiu ajudar o ataque tricolor. Não deu sequer um chute a gol. Nota 4,5.

Entrou Caio Paulista (ATA): teve pouco tempo para ajudar, mas participou de boas jogadas de contra-ataque em velocidade. Chegou a balançar as redes no finalzinho, mas em posição de impedimento. Nota 5,0.

Evanilson (ATA): foi quem deu mais trabalho a Diego Alves. No primeiro tempo, chegou a tirar do goleiro, mas pecou na força. Logo no início da segunda etapa, recebeu cruzamento de Digão e, por pouco, não diminuiu para o Tricolor. Até que no oportunismo de camisa 9 deixou o dele. Nota 6,5.

Fonte: Globo Esporte

foto: Lucas Merçon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top